Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home | Blog | Charges | Colunistas | Competições | Especiais | Fórum | No Mundo | Notícias | Quem Somos | Serviços | Torcedor do Futuro 

*** AVISO - PODCASTs, NOTÍCIAS E COLUNAS DE OPINIÃO ESTARÃO, a partir de 26 de JULHO de 2020 no Blog PHD ***
Cruzeiro.Org - 25 anos

01-04-06 22h50min  | Competições
Mineiro 2006 - Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG

Raposa joga melhor e vence o Atlético-MG por 2 x 0, neste domingo, e volta a disputar o título contra o Ipatinga.

Cruzeiro despacha o rival e vai à final

Por Pelé.Net

Sem se preocupar com a vantagem do empate, o Cruzeiro venceu o Atlético-MG neste domingo, por 2 x 0, no Mineirão, e garantiu vaga na final do Campeonato Mineiro diante do Ipatinga, que eliminou o América-MG. O Galo, por sua vez, completa seis anos sem conquistar títulos, uma vez que não tem mais chance de levantar uma taça ainda no primeiro semestre.

Melhor desde o início da partida, o Cruzeiro abriu o placar com Wagner, em cobrança de falta, no primeiro tempo. Francismar ampliou no segundo tempo. O volante Alício e o lateral-esquerdo Julio César foram expulsos. Pelo lado do Atlético, o time ficou a desejar e reclamou bastante da arbitragem.

Como empatou em 2 x 2 no primeiro clássico, o Cruzeiro poderia jogar pelo empate por Ter feito melhor campanha que o rival na primeira fase. O time celeste volta a disputar o título estadual e tem a chance da revanche contra o Ipatinga. No ano passado, a Raposa perdeu na final para o time do Vale do Aço, que comemorou a conquista inédita.

Durante a semana, a polêmica em cima do técnico Paulo César Gusmão, que teria recebido proposta do Corinthians, mexeu com o ânimos na Toca da Raposa. O treinador desmentiu a oferta dos paulistas e procurou tranqüilizar os jogadores. A diretoria celeste exigiu a vitória sobre o rival e o título estadual.

O Atlético, que completou 98 anos de existência no sábado segue com o longo jejum de títulos e vivendo a fase mais difícil de sua história. Além de não ganhar títulos, o Galo foi rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro em 2006.

Mesmo precisando da vitória, o técnico Lori Sandri optou por escalar o Atlético com três zagueiros e três volantes. A novidade ficou por conta da entrada de Rodrigo Silva, de 18 anos, no meio-campo. Alício ganhou a vaga de Rafael Silva. Na frente, o jovem Ramon e o experiente Alberto.

No Cruzeiro, o técnico Paulo César Gusmão não pôde contar com o volante Jonilson, que não se recuperou de contusão. Diogo ganhou nova chance no meio-campo. Sem o meia Leandro Bomfim, suspenso, Wagner foi escolhido para atuar ao lado de Francismar.

O jogo

Em jogo ruim tecnicamente no primeiro tempo, o Cruzeiro aproveitou a retranca do Atlético e foi para o vestiário ganhando o jogo. O time celeste criou as melhores chances e poderia ter saído com um resultado maior. O Galo pouco fez em campo e ainda ficou com um jogador a menos após a expulsão do volante Alício, aos 39min.

Logo que a bola rolou, a chuva caiu no Mineirão. O Cruzeiro, apesar de erras muitos passes, foi para cima do rival e criou chances, principalmente com a dupla Gil e Élber. Na melhor delas, o primeiro fez boa jogada pela esquerda e cruzou na cabeça do segundo, que obrigou o goleiro Bruno a fazer grande defesa.

Com um esquema bastante defensivo, o Atlético não conseguia chegar ao gol adversário e se limitava a marcar. As melhores chances do Galo saíram com os zagueiros Leandro Castan e Lima. O meia Ramon, marcado de perto pelo volante Diogo, rendeu pouco e nada criou no primeiro tempo.

O Cruzeiro abriu o placar aos 40min com o meia Wagner, em cobrança de falta perfeita, logo após a expulsão de Alício, para desespero da torcida atleticana. Volante, que havia recebido o cartão amarelo, fez falta em Francismar e levou outro amarelo e, em seguida, o vermelho.

As duas equipes voltaram para o segundo tempo modificadas. No Cruzeiro, Moisés, que sentiu uma contusão, saiu para a entrada de André Leone. No Atlético, as mudanças foram de ordem técnica. O zagueiro Lima e o atacante Alberto deram lugar a Rafael Gomes e Éder Luís.

Apesar de precisar somente do empate para chegar à final, o Cruzeiro voltou em cima do rival e criando oportunidades para ampliar o placar. O Galo continuou encontrando dificuldade para chegar ao gol do adversário e sem criatividade no meio-campo.

Bem mais organizado em campo, o Cruzeiro envolvia o rival com toques rápidos dificultando para o marcadores alvinegros, que paravam as jogadas quase sempre com falta. Os canhotos Wagner, Francismar e Gil infernizavam a defesa adversária.

O Cruzeiro sofreu uma baixa aos 25min. O lateral-esquerdo Júlio César, que havia recebido o cartão amarelo momentos antes, acabou sendo expulso. Com isso, os dois times passaram a ter dez jogadores em campo, equilibrando as forças numericamente. Anderson entrou no lugar de Wagner para compor a defesa celeste.

Mas quem esperava uma reação do Atlético viu o Cruzeiro fazer o segundo e esfriar os ânimos do rival. O jovem Francismar fez boa jogada e bateu no ângulo superior direito do goleiro Bruno, um belo gol no Mineirão.


CRUZEIRO 2 X 0 ATLÉTICO-MG

Cruzeiro - Fábio; Jonathan, Moisés (André Leone), Edu Dracena e Júlio César (Anderson); Diogo, Fábio Santos (Recife), Francismar e Wagner; Gil e Élber. Técnico: Paulo César Gusmão

Atlético-MG - Bruno; Lima (Rafael Gaúcho), Marcos e Leandro Castan; Zé Antônio, Alício, Márcio Araújo, Rodrigo Silva e Vicente; Ramon e Alberto (Éder Luís). Técnico: Lori Sandri

Data: 26/3/2006 - domingo
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Público: 49.617 pagantes
Renda: R$ 563.640
Árbitro: Álvaro Azeredo Quelhas (MG)
Cartões amarelos: Marcos, Alício, Rodrigo Silva, Márcio Araújo (Atlético); Gil, Moisés, Fábio Santos, Julio César (Cruzeiro)
Cartões vermelhos: Alício (Atlético), Julio César (Cruzeiro)
Gols: Wagner, aos 40min do primeiro tempo; Francismar, aos 31min do segundo tempo


Classificação da Rodada

Aqui você fica sabendo como ficou a classificação da competiçao após a rodada.



Arquivo Cruzeiro.Org

Se você não acompanhou a transmissão ao Vivo pelo Cruzeiro.Org ou quer rever como foi mais esta partida do Cruzeiro.
Clique no link abaixo e relembre cada lance da partida, de acordo com a narração exclusiva Cruzeiro.Org. Somente Cruzeiro.Org leva para a Maior Torcida de Minas Gerais.Arquivo ao vivo

  Colunas 
10/06/2020 | Evandro Oliveira
Torcedor Cibernético - Lanterna Azul

06/06/2020 | Walisson Ferreira
Gol Importante

27/05/2020 | Voz da Arquibancada
Luz no fim do túnel

02/05/2020 | Evandro Oliveira
Torcedor Cibernético - Walk Alone Azul

22/03/2020 | Evandro Oliveira
Torcedor Cibernético - Idiossincrasias e Idiotices

 Últimas notícias 
26/07 - 07h00 [1 coment.]
Cruzeiro.Org muda o foco de seu conteúdo e serviços 

10/07 - 11h07 [2 coment.]
COLAPSO: ´Má Gestão x Má Fé` por Sérgio Santos Rodrigues 

10/07 - 07h07 [0 coment.]
CENTENÁRIO: CBF marca jogo contra o Cuiabá (MT) dia 2 de janeiro 

10/07 - 06h49 [1 coment.]
COLAPSO: Aumento das despesas de salários em 50% com Wagner Pires 

09/07 - 19h34 [0 coment.]
CENTENÁRIO: Vinte anos do TRI na Copa do Brasil na Toca 3 

 Torcedor do Futuro 

José Eustáquio

Saudações estreladas a todos os torcedores mirins do Cruzeiro Esporte Clube ( o Maior do Mundo, segundo meu pai! ). Tenho só dois aninhos e já sou Bicampeão da Copa Sul-Minas, Supercampeão Mineiro/2002 e Campeão Mineiro/2003, também já sei gritar: "gooool do Cruzero!!! Dale zerooo, dale zeroo!" Abraços a todos, Eustaquinho, de Sampa.
>> Mais Torcedores
 Você Sabia? 

Jogadores - Um Raul Invencível

1.011 minutos sem levar gol no Campeonato.
Não foram apenas os atacantes que estabeleceram recordes para o Cruzeiro no Campeonato. O goleiro Raul conseguiu a fantástica marca de 1.011 minutos sem levar um único gol no Mineiro de 1969. O período de invencibilidade começou no dia 16 de março na partida contra o Uberaba, válida pela 6a rodada do Turno, quando levou um gol contra do zagueiro, Fontana, aos 21 minutos do 2o tempo.
Após esta partida, Raul permaneceu 10 partidas seguidas sem levar gol. A invencibilidade só foi interrompida na 2a rodada do Returno, no dia 18 de Maio, contra o Democrata-SL. Um gol do atacante Evanir, aos 42 minutos do 2o tempo pôs fim a maior invencibilidade de um goleiro na história do futebol brasileiro. No intervalo entre estas partidas, o Cruzeiro ainda fez um amistoso com a Francana, em Franca-SP, onde venceu por 4 a 0. Se somarmos os 90 minutos destes amistoso, a marca vai para 1.101 minutos
Um recorde mundial.




(Cruzeiro Esporte Clube)


Cruzeiro.Org® Desde 1999 - Site Oficial da Torcida - ANO 21 - Contatos para Webmaster