Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home | Noticias | Blog PHD | Charges | Colunistas | Competicoes | Especiais | 

Cruzeirenses pelo Mundo | Torcedor do Futuro | Servicos | Quem Somos 

*** AVISO - PODCASTs, NOTÍCIAS E COLUNAS DE OPINIÃO ESTARÃO, a partir de 26 de JULHO de 2020 no Blog PHD ***

 Acesso mais recente em 12-08-20 02h44min  |  Fonte: GloboEsporte.Com |  Qtd Leituras: 287
COLAPSO: Cruzeiro e Minas Arena retomam negociações sobre dívida


O Cruzeiro retomou as negociações com a administração do Mineirão para tentar resolver o débito milionário que o clube possui com o estádio e iniciar uma nova fase da parceria. As partes já começaram uma negociação, após o presidente Sérgio Santos Rodrigues assumir o clube, com a continuidade de uma tentativa de acordo extrajudicial, que havia avançado quando o Cruzeiro estava sendo gerido pelo conselho gestor.

Há uma expectativa para que a situação tome contornos finais nas próximas semanas, segundo apurou a reportagem. A avaliação é que há uma nova relação, iniciada pelo conselho gestor e continuada por Sérgio Rodrigues. Por isso, o otimismo. As conversas haviam sido congeladas com o clube mineiro por causa da pandemia do novo coronavírus.

As negociações foram retomadas com base no ponto em que pararam. O Cruzeiro já tinha alinhado o valor e a forma de pagamento do débito. O total discutido na Justiça ultrapassa os R$ 45 milhões. Mas, com o acordo iniciado pelo conselho gestor, o débito caiu e muito: R$ 19,5 milhões.

A quantia seria quitada de duas formas. O Cruzeiro iria utilizar R$ 10 milhões, depositados judicialmente, para pagar uma parte. O restante, R$ 9,5 milhões, seria pago em parcelas. Parte deste valor seria obtido ainda por um outro acordo: o de naming rights do Mineirão.

É que o Cruzeiro estava buscando parceiros que quisessem ter o nome exposto no estádio. A ideia era realizar um contrato de cinco anos com o pagamento de R$ 10 milhões anuais. Metade ficaria para o clube, e a outra metade para a Minas Arena. Dos R$ 5 milhões anuais referentes à Raposa, R$ 1,25 milhão (25%) seria depositado para a administradora do estádio.

Assim, em cinco anos, o clube mineiro repassaria R$ 6,25 milhões ao Mineirão, valor que seria abatido nos R$ 9,5 milhões. O modelo diminuiria para R$ 3,25 milhões a dívida do Cruzeiro, que teria de arranjar uma outra maneira, ou até mesmo utilizando a outra parte do pagamento de naming rights, para findar o débito.

/elo


Cruzeiro.Org - 25 anos

Comentrios:  Clique aqui e deixe o seu comentrio

 pyxis | BHZ | 28-06-20 13h22min
A Minas Arena NÃO TERÁ SOBREVIDA sem o Cruzeiro.
É DEFINITIVO !
O Cruzeiro, se sobreviver ao COLAPSO, pode ser sem a Minas Arena e o Mineirão. É DEFINITIVO !
 Twitter 

 Notcias   rss
26/07 - 07h00 [1 coment.]
Cruzeiro.Org muda o foco de seu conteúdo e serviços 

10/07 - 11h07 [0 coment.]
COLAPSO: ´Má Gestão x Má Fé` por Sérgio Santos Rodrigues 

10/07 - 07h07 [0 coment.]
CENTENÁRIO: CBF marca jogo contra o Cuiabá (MT) dia 2 de janeiro 

10/07 - 06h49 [0 coment.]
COLAPSO: Aumento das despesas de salários em 50% com Wagner Pires 

09/07 - 19h34 [0 coment.]
CENTENÁRIO: Vinte anos do TRI na Copa do Brasil na Toca 3 

09/07 - 19h17 [0 coment.]
COVID-19: CBF define calendário. Série B encerrará em 30 de janeiro 

08/07 - 12h42 [0 coment.]
COVID-19: Cruzeiro prioriza Toca 3 mas avalia sede no interior 

07/07 - 19h29 [0 coment.]
COVID-19: FMF define retorno do Mineiro 2020 para 26 de julho 

>> Mais noticias
 Publicidade 


Cruzeiro.Org Desde 1999 - Site Oficial da Torcida - ANO 21 - Contatos para Webmaster