Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home | Noticias | Blog PHD | Charges | Colunistas | Competicoes | Especiais | 

Cruzeirenses pelo Mundo | Torcedor do Futuro | Servicos | Quem Somos 

*** AVISO - Se sua SENHA não estiver funcionando, peça uma nova que será enviada para seu e-mail - Se seu e-mail atual não estiver cadastrado, CADASTRE ***

 Acesso mais recente em 13-07-20 14h37min  |  Fonte: Hoje em Dia (MG) |  Qtd Leituras: 352
Centenário: Há 23 anos, Cruzeiro e Villa recebiam 132.834 na Toca 3


´Nunca pensei nisso, mas se pudesse escolher um grande jogo que não fui, para ver de novo, seria este Cruzeiro e Villa Nova, por tudo o que ele representa para mim e também para o clube`. Esta afirmação é do advogado, jornalista e escritor Anderson Olivieri, um brasiliense de 36 anos, nascido e criado na Capital Federal, mas que não permitiu que a distância fosse barreira ao seu amor pelo Cruzeiro, sendo ele o maior autor de livros sobre o clube: são cinco no total.

O Cruzeiro e Villa a que Olivieri se refere é a partida de volta pela final do Campeonato Mineiro de 1997, disputada há exatos 23 anos, que ficou marcada pelo maior público presente da história do Mineirão. E que ele teve de acompanhar pelo rádio, pois não teve transmissão para Brasília.

Foram 132.834 torcedores no Gigante da Pampulha, num dia em que mulheres e crianças entraram de graça e eles somaram 52.950 pessoas.

Num momento em que tudo o que não se pode ter é aglomeração, por causa da pandemia pelo novo coronavírus, é dia de o cruzeirense recordar quando seu time jogou com um público que seria suficiente nos dias de hoje para encher o Mineirão duas vezes, pois a capacidade do estádio após a reforma é de 62 mil pessoas.


Registro

Apesar de valer apenas mais um título mineiro, a final de 1997 entrou para a história cruzeirense pela façanha da China Azul. E virou uma marca tão forte, que em 2013, quando Anderson Olivieri foi escrever o livro 20 jogos eternos do Cruzeiro, escolha feita numa eleição que contou com a participação de torcedores ilustres, o Cruzeiro e Villa entrou. E para a alegria do autor.

´Este jogo tem uma história pessoal bem bacana, porque eu tinha uma bandeira do Cruzeiro. Ela ficava pendurada em minha janela. Eu morava na Asa Sul, no sexto andar. Um dia ela caiu, fui tentar resgatar, mas não consegui. Após o Cruzeiro ser campeão, rasguei uma camisa da minha mãe, que era azul celeste, e escrevi Cruzeiro nela. Era dia de finais em outros estados, e desci enrolado nela. Em Brasília tem gente de todos os estados e a turma estava fazendo festa na quadra. Tinha 13 anos na época`, recorda o autor.


Presente

Se para quem estava a mais de 700 quilômetros de distância, como é o caso de Anderson Olivieri, aquele Cruzeiro e Villa é lembrado até hoje, imagina para quem estava não só no Mineirão, mas dentro de campo e ainda marcou o gol do título.

Em conversa com o Hoje em Dia, o centroavante Marcelo Ramos, que balançou a rede logo aos dez minutos, revela: ´Maior público da história do Mineirão e o gol do título meu. Me marcou muito. Sou grato a Deus por isso. Me sinto muito honrado de, além de estar na história do Cruzeiro, estar também na do Mineirão`.

Suas lembranças daquele dia estão sempre relacionadas à multidão.

´Me deixa muito feliz o fato de ter marcado aquele gol que proporcionou alegria a tanta gente. Sei que todo mundo teve dificuldade para chegar ao estádio, pois até nós, no ônibus do clube tivemos. Era uma imagem impressionante do gramado. Um mar de gente`, recorda Marcelo Ramos.

/elo


Cruzeiro.Org - 25 anos

Comentrios:  Clique aqui e deixe o seu comentrio

 Fábio Velame | No definido | 22-06-20 11h43min
Lembro do dia, eu morava em Cariacica/ES. Estava jogando bola na rua e voltei pra casa na hora do jogo. No caminho, passei em frente à um bar que tinha antena parabólica que estava passando o jogo, e consegui ver o gol do Marcelo Ramos. Corri ainda mais para casa e acompanhei o resto da partida pelo rádio, acho que era a Inconfidência que pegava sempre depois das 17h onde morava.
 pyxis | BHZ | 22-06-20 16h26min
Eu estava na arquibancada, apreensivo...
Levei meus dois filhos pois achei que seria tranquilo. era a primeira decisão que eles iam (até então só levava em jogo pequeno por causa da idade).
Daí levei e eles entraram em campo com os jogadores.
Imagina a situação... só fui encontrar com eles no intervalo quando a CARLA dos mascotes os entregou a mim, sãos e salvos...
 pyxis | BHZ | 22-06-20 16h27min
Velame, ainda bem que você não estava lá... e admite que estava longe... conheço muitos que dizem que estiveram lá... por baixo, se todo mundo que fala que esteve lá tivesse passado na catraca, o público presente seria maior que 500 mil ... rsrsrs
 Romarol | N�o definido | 23-06-20 09h41min
Eu estava entre os 132.834.
 Twitter 

 Notcias   rss
10/07 - 11h07 [0 coment.]
COLAPSO: ´Má Gestão x Má Fé` por Sérgio Santos Rodrigues 

10/07 - 07h07 [0 coment.]
CENTENÁRIO: CBF marca jogo contra o Cuiabá (MT) dia 2 de janeiro 

10/07 - 06h49 [0 coment.]
COLAPSO: Aumento das despesas de salários em 50% com Wagner Pires 

09/07 - 19h34 [0 coment.]
CENTENÁRIO: Vinte anos do TRI na Copa do Brasil na Toca 3 

09/07 - 19h17 [0 coment.]
COVID-19: CBF define calendário. Série B encerrará em 30 de janeiro 

08/07 - 12h42 [0 coment.]
COVID-19: Cruzeiro prioriza Toca 3 mas avalia sede no interior 

07/07 - 19h29 [0 coment.]
COVID-19: FMF define retorno do Mineiro 2020 para 26 de julho 

07/07 - 09h59 [0 coment.]
CENTENÁRIO: Cruzeiro detêm a melhor média de pontos da Libertadores 

>> Mais noticias
 Publicidade 


Cruzeiro.Org Desde 1999 - Site Oficial da Torcida - ANO 21 - Contatos para Webmaster