Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   NotŪcias   

*** ATENÇÃO - Atualize seus dados e concorra a ingressos para jogos na Toca III ***
Cruzeiro.Org - 25 anos



Joao Duarte, uma Voz da Velha Guarda Azul
Joao Duarte, engenheiro escreve periodicamente no Cruzeiro.Org

17/02/2018 | Joao Duarte
Jo√£ozinho e a arte do drible

Vi v√°rios craques que tinham o drible como recurso jogarem, mas, nenhum deles me fez t√£o alegre quanto Jo√£ozinho, o 11 do Cruzeiro.

Mundo Azul,


‚ėĽ A import√Ęncia do drible no futebol ‚Äď Uma das minhas grandes frustra√ß√Ķes na vida foi n√£o ter sido um grande driblador.
Desde cedo entendi que não era aquela a minha praia e, portanto, teria que participar do jogo de outras formas, sendo raçudo, conservando um bom posicionamento em campo, procurando sempre passar a bola para quem estava melhor posicionado, fazendo boa leitura do jogo ou, principalmente desestabilizando emocionalmente aos meus adversários, coisa que eu sempre soube fazer e tirar vantagem. Afinal de contas, no futebol a imposição psicológica conta e muito.
Mas, desde sempre admirava a arte do drible que era simples para Pico, ou Ren√≠lson, o ca√ßula dos Lima Guimar√£es, que era ambidestro, driblava ou saia para qualquer lado, inovava e era imprevis√≠vel quando conduzia a bola. Tamb√©m tenho que me lembrar do Zezinho da Mundinha do Ven√Ęncio que era conhecido por Tripa e que aperfei√ßoou o drible Rabo de Vaca introduzido no futebol por Eduardo Amorim, um craca√ßo de bola do Cruzeiro dos anos 70. Tripa escondia a bola como poucos. Gostava da finta desclassificante, da bola debaixo das pernas do oponente do chap√©u e da famosa ga√ļcha, no futebol de campo.
Só que havia uma diferença entre ambos. Os dribles de Pico eram normalmente na direção do gol adversário, sempre objetivos e raramente ele era visado nas faltas, porque todos entendiam que era o recurso que ele se utilizava para colocar seu time em vantagem ante ao adversário. Pico era um baita organizador de jogo, um DEZ clássico, um ponta-de-lança que sabia entrar na área e fazer gols. E me fartei de vê-lo levar seus times às vitórias nas quadras ou nos campos de futebol.
Já Tripa apanhava o jogo inteiro, os defensores adversários se sentiam humilhados com a sua destreza e tentavam lhe intimidar na base da pancada. Sem sucesso. Este era o estilo de jogo dele, partia pra cima, não arregrava de jeito nenhum e quando sentia que o objetivo do outro era lhe amedrontar aí que virava um azougue mesmo...Era um ponta clássico, tinha prazer em deixar seus companheiros na cara do gol, não se importava muito com artilharia. Gostava do jogo pela beleza. Era um craque.
Ambos poderiam ter sido jogadores de futebol profissional, em minha opini√£o. Mas, Pico, preferiu fazer engenharia e jogar bola nas possibilidades que tinha, como lazer. Tripa, teve um acidente s√©rio (foi atropelado por um √īnibus no Pra√ßa 12 em Belo Horizonte) e depois disto, seus movimentos ficaram limitados, os joelhos passaram a inchar e ele perdeu velocidade porque ficou muito tempo parado, o que lhe impediu de fazer um teste no Cruzeiro, ali√°s, time do cora√ß√£o de ambos.
Em termos de futebol profissional vi vários e grandes dribladores. Vi pouco do Mané Garrincha nos campos, mas, paro para assistir qualquer filme antigo com imagens dele. Todos sabiam que ele iria cortar para a direita, mas, não tinha como pegar. A cena mais marcante do Mané que ouvi contar foi num amistoso na Itália em que ele driblou o time inteiro e ficou cara a cara com o gol e não quis fazer. Pegou a bola e voltou para a entrada da grande área, sempre driblando e voltou de novo à frente do goleiro que deu um passo e levou a bola entre as pernas. O treinador do Botafogo, insano com o fato, lhe perguntou porque que ele não havia feito o gol na primeira oportunidade, ao que ele respondeu de modo simplório... Ora, o cara não quis abrir as pernas, seu Zezé...
Eu tive a sorte de ver tamb√©m Pel√© jogar e v√™-lo arrancar de tr√°s do meio-campo e s√≥ parar nas redes do advers√°rio. Eu vi Rivelino dar o el√°stico no Alcir, deixa-lo paralisado, entrar na √°rea e colocar a bola nas redes do Vasco. Eu vi Cafuringa no Fluminense driblar at√© o juiz e n√£o fazer o gol. Eu vi Ronaldo o fen√īmeno fazer Kanapkis comer grama em frente ao t√ļnel do Cruzeiro e marcar 3 gols no cl√°ssico no dia da estreia de Cerezo com a camisa azul estrelada. Eu vi Diego Maradona fazer fila num jogo contra a Inglaterra e driblar mais de meio time advers√°rio antes de meter a bola nas redes. Eu vi Zico, entrar na defesa da Iugosl√°via, para fazer um gola√ßo que deixou Luciano do Valle muito emocionado, vi Messi encantar Barcelona, vi Neymar fazer a festa em tudo quanto foi lugar, vi Djalminha mostrar a sua arte em v√°rios gramados deste mundo, vi Dirceu Lopes abrir espa√ßo nas defesas advers√°rias, especialmente do Atl√©tico-MG e fazer a festa, mas, nenhum deles fez meu cora√ß√£o mais alegre que Jo√£ozinho, o dono da camisa 11, o maior ponta-esquerda do futebol mineiro em toda a sua hist√≥ria e sendo meu xar√°, ser tamb√©m um dos meus maiores √≠dolos no futebol.
Jo√£ozinho carregava consigo sempre a nossa esperan√ßa, quando a bola caia nos p√©s dele do meio de campo para frente a torcida do Cruzeiro se levantava, podia esperar que vinha coisa boa. E como nasceram lances capitais das pernas do Jo√£ozinho, que ficou conhecido como Bailarino da Toca porque colocava os advers√°rios para dan√ßar, literalmente. Eu j√° vi Jo√£ozinho receber de Raul, driblar oito advers√°rios diferentes antes de fazer o gol. Eu vi Jo√£ozinho arrebentar com o Fluminense de Edinho e Givanildo Oliveira para marcar um gol antol√≥gico no Mineir√£o. Jo√£ozinho tinha mais facilidade nos dribles em progress√£o, em velocidade, pois, mudava de dire√ß√£o e de controle de bola entre direita e esquerda, o que dificultava muito as a√ß√Ķes de marca√ß√£o. Mas, quando parava a bola, no p√© direito e sem olhar para ela, observava o movimento dos p√©s do advers√°rio, fazendo o corte no contrap√© do dito cujo, era fatal. Muitas vezes a surpresa era t√£o grande que os laterais chegavam a cair. V√°rias s√£o as minhas lembran√ßas de Jo√£o Soares de Almeida Filho, que completou 62 anos de idade anteontem e √© o meu homenageado especial nesta coluna.
Joãozinho teve, em sua própria avaliação, no dia 07/03/1976 a maior atuação de sua vida no famoso jogo de abertura da Copa Libertadores da América daquele ano : Cruzeiro 5 x 4 Internacional. Ele só faltou fazer chover naquele dia, marcou 2 gols, sofreu o pênalti que Nelinho converteu para nos dar a vitória no fim do jogo e endoidou o time do Inter inteiro. Cláudio Duarte, Caçapava que fazia a sobra e finalmente Valdir (que entrou no lugar de Cláudio) saíram tontos de campo. Joãozinho estava impossível.
Porém, para mim, a atuação dele no clássico que definiu o Campeonato Mineiro de 77, foi muito marcante, pois, ele além de ter feito o 3* gol, ainda participou dos outros 2 lances de gol e alimentou o nosso ataque o tempo inteiro, fazendo Cerezo engolir as suas palavras.
√Č Jo√£o, naquele dia eu agradeci aos c√©us por t√™-lo colocado ao nosso lado. Afinal de contas n√£o fossem sua magia e irresponsabilidade naquela falta cobrada com maestria contra o gol do River Plate de Landaburu em Santiago do Chile, n√£o ter√≠amos a primeira conquista internacional do Cruzeiro, a Libertadores de 1976. Obrigado Jo√£ozinho por suas atua√ß√Ķes marcantes com a camisa do Cruzeiro.

A arte do drible combina com ousadia, mas, precisa ser desenvolvida desde a mais tenra idade. Entretanto, n√£o √© algo que se aprende. √Č preciso ter o dom. E mais que ter o dom √© preciso que o mesmo seja aperfei√ßoado. Mas, este tem sido um grande problema nas tais escolinhas de futebol. O menino aparece com qualidade e logo os professores come√ßam o trabalho de lhe tolherem esta virtude e a arte muitas vezes fica reprimida em nome da reten√ß√£o da posse de bola. √Č preciso que rapidamente o futebol brasileiro resgate as suas ra√≠zes. No Cruzeiro recentemente apareceu um garotinho de 10 anos de idade, chamado William Estev√£o, que realmente tem o dom. A coisa √° t√£o clara que a Nike j√° assinou contrato com ele. Espero que o Cruzeiro sabe valorizar e desenvolver este dom inato que o garotinho tem para que no futuro ele possa nos dar muitas alegrias.

O drible √© o mais diferenciado recurso do futebol. Nos dias de hoje, mais ainda. Este neg√≥cio de posse de bola virou obsess√£o dos treinadores, embora seja l√≥gico. Se voc√™ est√° com a bola o advers√°rio n√£o te amea√ßa, mas, aquele que fica pouco com ela e a usa bem, faz gols e ganha os jogos. A posse de bola infrut√≠fera, dos toques laterais ou passes trocados na defesa n√£o me convence. Assim, continuo a valorizar o time que faz o uso correto do drible como arma para desmontar o sistema defensivo do advers√°rio, mesmo quando se joga contra 2 linhas de 4 jogadores bem compactadas, como a maioria dos times adota nos dias de hoje. Mas, o drible sozinho n√£o faz a diferen√ßa. √Č preciso tamb√©m se contar com a movimenta√ß√£o correta dos companheiros de time, para criar os espa√ßos e a condi√ß√£o de passe.

Este tem sido o grande problema do Paris Saint Germain de Neymar, Cavani e Mbappe. Neymar faz o drible e toca em Cavani para que este fa√ßa o piv√ī e lhe devolva a bola √† frente, mas, o uruguaio invariavelmente busca a conclus√£o a gol. Mbappe √© mais novo e r√°pido, mas, embora seja um grande jogador ainda enfrenta problemas com a decis√£o a tomar, coisa que vai melhorar com o tempo. Neymar tamb√©m tem sido muito visado em campo por suas atitudes. O seu estilo √© provocador. E assim, como o meu amigo Tripa, ele n√£o afina de jeito nenhum, mas, apanha muito e tem que ter cabe√ßa fria para n√£o cair na armadilha dos revides. O placar de 3 x 1 de Madri √© uma vantagem consider√°vel, mas, n√£o √© definitivo. O jogo da volta ser√° fant√°stico.

E finalmente, se tem uma coisa que me irrita no futebol é defensor que fica nervoso com os dribles que leva e vai tirar satisfação com os dribladores. E os juízes parecem que sempre ficam ao lado deste POLITICAMENTE CORRETOS do futebol. Chega. Por mais festa e menos MIMIMI nos campos de futebol.

‚ėĽ Festa - Completo hoje 12 anos escrevendo neste espa√ßo. Jamais poderei me esquecer que me d√° prazer escrever sobre o Cruzeiro Esporte Clube e suas gl√≥rias e que o Cruzeiro.Org foi quem primeiro me abriu as portas.
Só pararei de escrever aqui o dia que o Evandro Oliveira, que é o dono do pedaço, disser que não posso mais. Gosto da liberdade que tenho para me expressar aqui e isto é irrevogável.

‚ėĽ Homenagens Especiais desta coluna: Jo√£ozinho, Pico e Tripa, em nome dos grandes dribladores do Brasil.

‚ėĽ Aqui do Cruzeiro.Org as homenagens hoje v√£o para: PHDF, Toninho Caixeta, Fernand√£o_Br, Aloisio Mendes, Marco de Curitiba, Azul10, Dra. Maria Celeste Gon√ßalves, Estrelado Campe√£o, MRR, Ronito e Thiago Campos. E para treinador deste time convoco o grande H√©lio Sangue Azul, que sempre nos prestigiou com suas opini√Ķes neste espa√ßo.

‚ėĽ E de Concei√ß√£o do Mato Dentro-MG: Hoje a homenagem √© para a turma da Avenida : Ant√īnio Cl√°udio de Rezende, Ramon Ferreira, Eliezer de Souza Mattos, Otac√≠lio Costa Neto e Miltinho Seabra do Jo√£o Bi√°; Luiz Mauro de Rezende, Heloisa Rezende Ferreira & Ant√īnio L√ļcio Carvalho Ferreira e Ant√īnio Augusto de Barros ; Ol√≠mpio Jos√© Ferreira (Ti√ļ), Lora Costa e Ricardo Silva ou Dr. Pindoba.
E para treinar este timaço o convocado da semana é Cláudio Alberto Carvalho Carneiro (Bodão), um companheiro de várias batalhas do Cruzeiro.
Cruzeiro, Cruzeiro Querido...T√£o Combatido, Jamais Vencido


Joao Duarte
joaochiabi@globo.com

Leia tambťm as colunas anteriores Joao Duarte, uma Voz da Velha Guarda Azul

As opiniűes e declaraÁűes aqui expressas s„o de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org n„o responde por nenhuma opini„o assinada.

ComentŠrios:  Clique aqui e faÁa seu comentŠrio sobre a coluna

 Celeste | Sorocaba-ItajubÔŅĹ | 17-02-18 15h31min
João deixou o futebol é levou junto a receita de como driblar. Sorte a nossa tê-lo do nosso lado.
 Celeste | Sorocaba-ItajubÔŅĹ | 17-02-18 15h40min
Obrigada pela homenagem.
 Celeste | Sorocaba-ItajubÔŅĹ | 17-02-18 15h40min
Obrigada pela homenagem.
 Marco | Curitiba | 17-02-18 20h11min
Obrigado pela homenagem João. Ainda bem que você não desiste de escrever aqui, é uma das poucas colunas que leio. Este ano estou confiante, mas cauteloso com nosso time.
 PHMG | Bras√≠lia - BH | 18-02-18 16h30min
- Joãozinho Travolta, foi muito bom ir ao Mineirao vê-lo jogar. Jogar não, dar show. Dribles que valiam o ingresso, mesmo quando não terminavam em gol.
- Valeu João pela lembrança.
 heliosangueazul | S„o Paulo | 18-02-18 22h57min
Olá João, quanto prazer poder voltar a ler suas colunas, fez muita falta durante esse tempo que você não escreveu aqui. João, estou muito feliz e honrado com a homenagem, ainda mais me escalando como treinador desse timaço, nem sei se mereço. Muito obrigado mesmo, de coração. Quanto ao tema da coluna, achei ótimo, pois falar de Joãozinho só nos dá orgulho, cracasso que nos deu muitas alegrias, me sinto privilegiado de tê-lo visto jogar, lembro-me de um grande amigo cruzeirense que que dizia...
 heliosangueazul | S„o Paulo | 18-02-18 23h05min
...√Č muita bola para um jogador s√≥. Aproveitando, j√° que estamos falando de craque, que bela mat√©ria mostraram hoje na Globo sobre o PR√ćNCIPE Dirceu Lopes, como √© bom relembrar que esse juntamente com o Tost√£o e cia me fizeram ser esse cruzeirense apaixonado que sou. Um grande abra√ßo pra voc√™ Jo√£o e para todos os amigos que comentam aqui nesse espa√ßo. Uma boa noite a todos.
 Pyxis | BHZ | 28-02-18 04h39min
JD, obrigado por retratar meu grande ídolo, Joãozinho.
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 NotŪcias   
17/09 - 21h03 [2 coment.]
Cruzeiro embarca para enfrentar Boca Juniors sem Arrascaeta 

17/09 - 18h14 [1 coment.]
Cruzeiro apresenta a lista dos jogadores na sequ√™ncia da Lib¬ī18 

17/09 - 09h22 [0 coment.]
Atletismo consegue bons resultados na Europa e em provas no Brasil 

17/09 - 08h26 [4 coment.]
Atl√©tico Mineiro emite nota de rep√ļdio a c√Ęntico de sua torcida 

17/09 - 07h45 [2 coment.]
Cruzeiro empata com rival, atuando com seus jogadores reservas 

16/09 - 18h30 [0 coment.]
Sada Cruzeiro √© superado pelo Fiat Minas no tie-break 

16/09 - 09h39 [0 coment.]
Sub 17 e Sub 15 goleiam o Funorte, j√° classificados para a semifinal 

16/09 - 08h07 [0 coment.]
Sub-20 vence o Uberl√Ęndia e segue firme em busca do t√≠tulo Mineiro 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Orgģ 1999-2018 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster