Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notícias   

PROMOÇÃO CRUZEIRO.ORG 25 anos - COPA DO BRASIL - FINAL NO MINEIRÃO
Comente no site, Compartilhe no Facebook ou Retuíte as notícias no Cruzeiro.Org e concorra a ingresso na final da Copa do Brasil
Agência Minas Esportes



Cruzeirense de Arquibancada
Fernandão escreve preferencialmente após as apresentações do celeste cinco estrelas

27/07/2017 | Fernandão
Noite de excessos e porco copado

Como é bom achar beleza até numa água gelada com epocler. Só depois de um jogo desse.

Acordei hoje com a cabeça apitando. Bebi demais. Não tentei evitar, se tentasse, não conseguiria. Não gosto de chavões para analisar os jogos, todavia eles são indispensáveis para relatar sentimentos. Feita a ressalva... Alma lavada. Era isso. Tenham um bom dia. Fim.

Tá bom... vou tentar analisar o jogo. De antemão peço desculpas por qualquer imprecisão, minha grande contribuição tática no jogo de ontem foi responder pro Zuim.

- De quem foi o gol?

- Do Barbosa, porra!

- Cê tá de sacanagem...

- Tô não, vai aparecer no placar.

Ganhar um jogo de mata-mata, com um gol aos 40 do segundo tempo é um negócio maravilhoso. Caso você, torcedor, não consiga curtir isso, lamento, acho que você morreu...

O Jogo

Mano armou um time seguro. Registrei um comentário no pré-jogo ali do lado assim:

O Élber tem que jogar, se o Mano quiser por o Arrasca de cara, que seja no lugar do Sóbis... É mais importante bloquear as laterais, assim como foi no jogo contra o Flamengo com Alisson e Élber bem abertos.

Pra mim isso era bem óbvio, mesmo antes do jogo. Parece que para o Mano também, ainda bem. A estratégia funcionou. O time do Palmeiras tem problemas de criação no meio, por isso abrem sempre a bola para cruzar. Essa tendência se acirraria com o Borja no ataque. Permitir ao rival pingar a bola na área a cada posse de bola seria flertar com o desastre.

O jogo transcorreu no primeiro tempo da maneira que interessava ao Cruzeiro. Muita disposição e pegada de lado a lado, muita concentração de jogo no terço central do campo, poucas finalizações. O árbitro, nervoso, contribuiu com o time celeste, apesar de nos deixar bastante irritados. Qualquer esbarrão era falta. O jogo amarrado nos interessava.

Veio o segundo tempo, com a mesma cara do primeiro. Dado momento o Cruzeiro parecia até precisar mais do gol do que o Palmeiras. E aqui vai um elogio ao grupo e ao treinador. O time não se sentou na vantagem. Tentou administrá-la da maneira correta – jogando futebol.

Um contragolpe em potencial, um drible desnecessário do Barbosa em uma faixa perigosa do campo. Um escanteio, rebatido para a cabeça da área. Um chute despretensioso do Keno, mais pra devolver a bola pra confusão do que pra marcar, um desvio de rota e pronto. Uma noite bacana tinha tudo para estar arruinada.

Pausa pra sacanear – Sacanear você, zé-ruela, que pra chegar mais cedo em casa foi embora antes dos 40 do 2º tempo. Se lascou...

Na verdade, estava desenhada uma grande injustiça. E eu, que atualmente defendo o trabalho do treinador e os avanços recentes do time, ia ter que escrever hoje pra me justificar com os Cornetas. Ia tirar a cerveja, o Jack Daniels do Madu e o Campari do Espanta Crise da história e tentar achar explicações para uma derrota injusta. Seria a repetição do pós-jogo na Ressacada. Resultado não é tudo... Precisa de um pouco de sorte... O caminho é esse e etc.

Falei em injustiça porque o jogo foi igual. Fosse uma luta de boxe, venceríamos por Split Decision, mas conhecemos futebol. Conta mesmo aquele pedacinho mágico da rede.

E chegamos lá. No lance em questão, valentia do Capita, paciência do Alisson, oportunismo e técnica perfeita de finalização do Barbosa. Sim! Diogo Barbosa, de cabeça, sem força, mas achando um cantinho impossível para qualquer goleiro atingir.

Após o gol, aconteceu como TEM QUE ACONTECER. O jogo acabou. Coloquei isso em destaque porque em dois jogos em especial não fomos capazes de segurar resultados pós 40 minutos. Refiro-me, no caso, aos finais de primeiro tempo contra Cocota e Fluminense. Abrimos o placar como visitante e não acabou o primeiro tempo aos 40´. Times argentinos são mestres nisso. Seguramos a pelota ou a mantivemos fora do campo até o apito final.

Atuações

Fábio – Rebateu o fatídico escanteio para a cabeça da área. Em escanteios, com tanta gente na área, a técnica certa é rebater a bola sempre. O mais longe possível, de preferência para um lugar onde o lance não leve mais perigo. Segurar firme, só se for um balãozinho – como não era o caso. Não considero falha o gol sofrido, apesar de achar que talvez fosse possível mandar aquela bola na direção da lateral oposta. No restante do jogo não foi exigido.

Romero – Ponto positivo: No mano a mano, ninguém passa do Romero. Ponto negativo, sozinho para construir ataques pela pontadestra, Élber é ainda pior. O ponto positivo é mérito total do argentino. O ponto negativo não o desqualifica em nada, o cara tá ali por uma (série de) falha(s) na montagem do elenco do Cruzeiro. Mas temos de ter, futuramente, um ataque menos unilateral. Mano que quebre a cabeça pra resolver essa difícil equação.

Bequeira – Perfeitos.

Barbosa – Às vezes tenta jogadas plásticas desnecessárias, como no lance que originou o escanteio do gol. Se por um lado isso ferra o time, por outro é sinal de confiança. Tente esses dribles somente no campo de ataque, valeu? Fora isso, foi o herói improvável da maioria celeste da cidade, dos donos de boteco que se mantiveram abertos, dos ambulantes do entorno, dos catadores de latinha e etc.

Volância – Perfeitos, síncronos, raçudos. Esse esquema de jogo sobrecarrega os volantes, já que não há uma segunda linha entre eles o ataque. Sem uma linha de armadores, os volantes devem correr mais o campo em sua distância de gol a gol, defender, mas também chegar à frente para ocupar os espaços. Por outro lado, com os wingers retornando, se deslocam menos para os lados do campo, recuando e entrando na área em caso de cruzamentos.

Élber – O garoto foi peça chave para retirar o volume do Palmeiras. Perfeito taticamente na recomposição, aliviou muito a barra do Romero e dos volantes. Com a bola no pé, precisa de confiança para fazer o que sabe. Élber só sabe driblar em velocidade, acho que o Mano – e todos os treinadores que ele tiver na vida – devem desistir de tentar ensiná-lo a passar a bola e se deslocar ofensivamente de maneira inteligente. É pregar no deserto. Devem sim, incentivá-lo a driblar em velocidade e bater pra dentro ou no gol. Se ele tiver 50% de aproveitamento nessa jogada, será o novo Robben.

Alisson – Não foi tão dedicado quanto o Élber, mas compensou com mais qualidade na frente e a assistência.

Arrasca – Entrou bem. Liso e perigoso. Foi fominha na tentativa de fazer um golaço. Bastava ter rolado pro meio. Mais isso foi quando o time já não precisava do gol. Tá perdoado.

Sóbis – Dedicação visceral à marcação na saída de bola palmeirense. Ofensivamente só contribui fazendo o facão e levando a marcação. Seus deslocamentos quase nunca terminam com a bola em seu pé.

Neves – O mesmo de sempre. Qualidade ofensiva e queda no rendimento após os 20 do segundo tempo. Enquanto está bem, frequentemente é o nosso melhor jogador.

Raniel e Lucas – Entraram bem, cada um em sua função. Raniel, que entrou após o time sofrer o gol, deu mais presença ofensiva que o substituído Sóbis. Lucas entrou após o tento celeste e ajudou o time a confirmar o resultado.

Mano – Teve o seu dia caçador. Time postado no 4-4-2 à inglesa classicão. Linhas bem definidas. Henrique e Ariel menos volantes e mais meio-campistas, como fossem Lampard e Gerard. Élber e Alisson não pontas, mas wingers, como Bale ou Giggs. Os britânicos foram colocados aqui como referência da posição que jogam, não de qualidade. A magia do time, rigidamente postado, era pra ser feita pelo Thiago Neves, recompondo como atacante e recuando como meia para armar o time. Defensivamente deu certo. O time cedeu apenas 16 cruzamentos ao Palmeiras, muitos deles forçados. Praticamente nenhum certeiro. Seu time finalizou mais que o rival e praticamente não desarmou. O desarme é a estatística mais besta do futebol. Pode atestar tanto que o time não viu a cor da bola, como pode atestar posicionamento perfeito. Um time bem posicionado intercepta, força o erro, não desarma.

Um posicionamento defensivo tão rígido gera erros de passe e muitos lançamentos, em contrapartida. Como ninguém ``abandona´´ a posição, na recuperação de bola os colegas estão longe. A melhoria nesse quesito não passa pelo trabalho do treinador, mas sim pelo famoso entrosamento. Jogadores acostumam-se a jogar juntos e memorizam a movimentação provável do colega.

Mano tem uma decisão a tomar. Tem de retornar com o Arrascaeta ao time, o acréscimo de qualidade é inegável. Se a questão for qualidade a saída óbvia é tirar o Élber do time. Não o faria. O uruguaio não tem a mesma capacidade de recomposição.

O gauchão vai ter de bulir com o putavéia do Sóbis e sacá-lo do time. Pode soar estranha a escalação sem nenhum atacante, apenas com Neves e Arrasca na frente, mas é para onde as coisas estão caminhando. Isso na Copa do Brasil. No Brasileiro, com Sassá na frente, a decisão é mais difícil ainda. Ele é muito bem pago para se virar e achar o time.

Fechando

Depois da longa jornada etílica, sair esse textão ainda... Bom demais. Hora dos abraços. O suspeito Pirata Doidão, em seu retorno ao Grupo 5 estrelas. Mamadeira que sofreu com o jogo começando às 3 da manhã na Holanda. A turma do churrasco pré-jogo pé quente. Brunenrique e Tigum e seus 25 amigos, alguns eu não sei o nome, decorei o do Felipão pelo tamanho do sujeito. Tio Cabeção e Mateus, com menos espaço dessa vez no Vermelho Superior. Zuim que inventou uma desculpa pra patroa para abandonar a viagem de férias e ir ao campo. Amebinha, que ficou aguentando tonto, com a cara limpa. Vilela, um jovem cheio de vida, encarando o desafio de uma profissão nova. A todos os bebuns e mendigos conselheiros do Espanta Crise, que provavelmente é o melhor bar do mundo.

Ser Cruzeiro é bom demais!

Saudações Celestes


Gestor público, que faz suas observações após cada partida do Cruzeiro, de forma pouco espalhafatosa e totalmente despretensiosa.
fernandao@cruzeiro.org

Leia também as colunas anteriores Cruzeirense de Arquibancada

As opiniões e declarações aqui expressas são de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org não responde por nenhuma opinião assinada.

Comentários:  Clique aqui e faça seu comentário sobre a coluna

 brenovp | Não definido | 27-07-17 13h19min
É isso aí. Bom demais. Estou em êxtase, com o resultado e com o fato de enfim estar em êxtase tb com o resultado, e não lamentando o placar apesar da boa atuação. Precisávamos disso: de um lateral esquerdo marcando de cabeça de um cruzamento vindo da esquerda. No peito e na entrega, como o momento pedia. Que aliás coroa o baita do lateral que arrumamos.
 brenovp | Não definido | 27-07-17 13h21min
O time realmente soube como administrar a vantagem. Mas sentia que precisava de um gol. Depois do intervalo, seria uma bomba-relógio com a tendência deles atacarem cada vez mais e a gente se fechar mais e mais até tomar um gol de bola rebatida. Por sorte, o gol, que acabou acontecendo, foi num momento em que dava tempo de correr atrás e finalmente deu.
 Fernandao_Br | Belo Horizonte | 27-07-17 13h27min
Zuim, meu companheiro de arquibancada falou a mesma coisa. Temos de fazer um gol, porque é certo que pelo menos um vamos levar. Apesar desse sentimento, o resultado de 0x0 refletiria melhor o que foi o jogo. Muita briga, uma guerra tática e ninguém querendo sofrer gols acima de tudo. O Cruzeiro porque dava a vaga, o Porco porque o Cuca achou que sua melhor chance era alguma coisa cair do céu, ele achava que uma hora o Cruzeiro entregava.
 Thiago Campos | N�o definido | 27-07-17 13h57min
Que noite, entrega total de todos os jogadores e muita disciplina e paciência. Gostei da postura do time ao buscar o gol sem se desorganizar, Henrique e Cabral deram aula ontem. Alguns falam que o jogo foi ruim, que faltou futebol, mas entendo que cada jogo tem sua história e ontem o Cruzeiro soube jogar o jogo da maneira que ele pedia.
 Andrelamor | Não definido | 28-07-17 12h39min
o que dizer após essa épica batalha, meu dileto? que embora 'Cinco Estrelas' não seja constelação guia no hemisfério norte, estou me contendo pra parar de rir dos áudios do 'Estrelado Campeão'; que, embora esteja há 'milhares de quilômetros impossibilitantes', quem sabe minha nau não vai parar no maraca dia 12/10? Eu disse que isto estava escrito no meu mapa do tesouro
 Andrelamor | Não definido | 28-07-17 12h44min
como disse o Piquitito, quem sabe isso quer dizer (...) estrada de fazer o sonho acontecer; eita cartão pé-quente esse do Pirata Doidão, e foda-se essa tática doida, e viva o epocler após o espanta crise
 Fernandao_Br | Belo Horizonte | 28-07-17 13h38min
Pois bem meu jovem. Não faça nenhuma loucura por enquanto, mesmo que o Cruzeiro derrote o Grêmio, nada de encarar 20 horas de voo por isso, porque a CBF não é séria. Ninguém está prestando atenção nisso aí... Quando os programas esportivos começarem a debater nas `mesas redondas´ que o primeiro jogo da final está marcado com uma distância de 5 semanas pro segundo, o povo dá um jeitinho. Puxa uma rodada do Brasileiro, conta com uma eliminação na LA...infelizmente. Mas sei que tens outros motivos.
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 Notícias   
18/09 - 08h56 [7 coment.]
Cruzeiro vence o Bahia e consegue se manter entre os 6 melhores 

18/09 - 07h39 [4 coment.]
Eleições: Lideranças do Cruzeiro intensificam atuação na campanha 

18/09 - 07h33 [2 coment.]
Cruzeiro lutará contra o Flamengo por sua 40a conquista no Mineirão 

18/09 - 07h31 [2 coment.]
Carga de ingressos adicional para Sócios do Futebol esgotada 

17/09 - 09h13 [9 coment.]
Cruzeiro busca evolução na classificação diante do perigoso Bahia 

17/09 - 08h16 [2 coment.]
Sub20 vence América-MG e se posiciona na vice-liderança do estadual 

16/09 - 09h02 [1 coment.]
Sada Cruzeiro bate Minas no Riachão e lidera estadual de vôlei 

15/09 - 19h54 [1 coment.]
Torcedores esgotam carga de bilhetes da Minas Arena para final 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Org© 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster