Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notícias   

PROMOÇÃO CRUZEIRO.ORG 25 anos - COPA DO BRASIL - FINAL NO MINEIRÃO
Comente no site, Compartilhe no Facebook ou Retuíte as notícias no Cruzeiro.Org e concorra a ingresso na final da Copa do Brasil
De Jure - Coworking



Torcedor Cibernetico
A Dialetica Virtual x Real

06/03/2006 | Evandro Oliveira
Prá qual time você torce?

Na década de 60, um cruzeirense tornou-se muito famoso. Ele tem hoje o respeito da maioria dos cruzeirenses que estão em faixa etária acima dos 35

* Coluna revista e atualizada em 07/mar

Nos últimos dias, alguns poucos assuntos tem ocupado os espaços virtuais dedicados ao Torcedor-Cibernético. Este torcedor tem aumentado a sua participação na discussão dos mais diversos temas alusivos ao Cruzeiro e a integração entre a opinião das arquibancadas e os espaços virtuais tem aumentado. Uma falta de sintonia ainda é observada entre o que diz a “voz do povo” e como se comporta a direçao do Cruzeiro e até mesmo a própria mídia.

Fica, sempre, a impressão que as arquibancadas não entendem o que acontece e por isso não sabem do que falam, e a mídia, por sua vez, não quer saber de ninguém lhe tirando o ganha-pão (falar bobagem e não cumprir regras básicas de profissionais de jornalismo só pode ser prerrogativa de quem tem um microfone ou um minifúndio de papel).

Ainda bem que a Internet vai rompendo estas barreiras e, mesmo que seja numa velocidade aquém da que desejamos, coloca para todos a possibilidade de se manifestarem (o que não quer dizer que todos os torcedores estejam certos o tempo todo).

Estava em dúvida sobre dois assuntos que estão em quase todas as rodas e espaços virtuais. A performance do técnico PC Gusmão e uma discussão até mais antiga sobre “para qual time torce fulano ou beltrano que é jornalista ou repórter? ”.
Para não polemizar e não cair na “pilha” que estão colocando sobre o trabalho do PC Gusmão, resolvi aderir ao segundo tema que pode ser tão ou mais polêmico do que falar do treinador sem conhecimento do que acontece nos intra-muros da direção cruzeirense.

Começo a abordagem com uma pergunta: Qual a importância, para verdadeiros profissionais de imprensa, se na infância dele ele torcia para o time A ou o time B ou nem gostava de futebol e preferia o basquete ou volei?

Digo isso pois o que está faltando na imprensa, especialmente a imprensa mineira, não é cada jornalista, repórter ou assemelhado, definir se torce, deixa de torcer ou tem simpatia, pela equipe A ou B. Falta para alguns torcedores cruzeirenses, saber distinguir se este ou aquele profissional da mídia faz um bom ou mau trabalho profissional. Definitivamente, não é o time da preferência dele, mas a confusão que este pretenso profissional faz, ao as coisas e misturar paixão e profissão. Quando eles escrevem ou falam à frente de um microfone não conseguem deixar de lado a passionalidade e aí colocam tudo a perder. Ao torcedor é permitido ser apaixonado. Ao profissional de imprensa é permitido ser apaixonado desde que não haja influência no seu trabalho. E isso, não tem sido conseguido pelos representantes da mídia rural.

Nos últimos dias correram pela Internet e Comunidades (Orkut etc.), listas sobre o time preferido ou da paixão deste e daquele profissional da imprensa. A cada avaliação equivocada aparecia um “amigo” do profissional dizendo: “...conheço o fulano há duzentos anos e posso afirmar que ele torce para A e não para B como insinuou a mensagem do beltrano...”. Frases, como esta, são suficientes para estourar a crise entre torcedores do próprio time e colocar estes torcedores em palcos completamente opostos e o nível de xingamento e ofensas, em alguns casos, se tornam verdadeiros estopins para brigas virtuais homéricas.

Numa das lista que vi, depois de não chegarem a nenhum acordo (que somente chegará caso o jornalista/repórter declare publicamente seu time), concluíram que determinado profissional da mídia não é cruzeirenses e nem torcedor do nosso rival local, ele é botafoguense e por isso gosta mais do adversário do que do Cruzeiro.

Na década de 60, um cruzeirense tornou-se muito famoso. Ele tem hoje o respeito da maioria dos cruzeirenses que estão em faixa etária acima dos 35 anos. O nome dele? Aldair Woyames Pinto. O que poucos sabem é que a história de Aldair Pinto, radialista e profissional da imprensa por várias décadas, não se inicia no setor esportivo e muito menos quando ele nutria paixão pelo Botafogo-RJ. Aldair Pinto começou como simpatizante do Cruzeiro e em pouco tempo tornou-se um legítimo cruzeirense. O fato de ter torcido para o Botafogo-RJ na sua infância, adolescência e parte da vida adulta não o coloca um milímetro sequer como menos ou mais cruzeirense do que muitas pessoas que vemos hoje. Aldair Pinto é considerado por muitos, e provou isso com ações despreendidas, um dos maiores cruzeirenses da história recente do time.

Mas o que tem essa história a ver com isso?

Tem a ver a partir do momento que os integrantes da mídia que são adeptos do nosso rival local e até mesmo os cruzeirenses que são minoria absurda na imprensa mineira, não estão dignificando a profissão pela qual fizeram juramento e além de colocarem interesses comerciais particulares acima do comentário e a noticia dos fatos acima das versões, se prestam a mostrar para qual time torcem sem se preocupar com questões mínimas de ética e bom senso.

O que interessa se o “seu nome, seu bairro” é torcedor do time A? Bastaria ao torcedor entrevistado prestar atenção nas perguntas e emitir sua opinião.

O que interessa se “o cara” achou que foi penalti quando não foi? Bastaria ao torcedor procurar outros comentaristas que fossem mais imparciais e corretos.

O que interessa se o “fulaninho azul” só fala bobagem e revela completo desconhecimento do seu próprio time? Bastaria o torcedor, se deseja ajudar o fulaninho a ser mesmo ignorante, advertí-lo dos erros e, se ele nào se interessar pela ajuda, abandoná-lo à sua própria sorte.

Estou vendo o massacre de alguns cruzeirenses que atuam na mídia, somente porque parte de torcedores entendem que a opinião dele não deveria sair da boca de um torcedor cruzeirense. Ora, se ele está exercendo a profissão ele não faz nada de mais do que emitir a opinião, agrade ou não aos cruzeirenses como ele. Da mesma forma que é forçar a barra, um colunista e torcedor do rival local dizer que “...o goleiro atual é nome certo na Copa de 2010...” - Futurologia para agradar a terceiros? Quem saberá?

Outro dia um repórter de rádio, meio que movido pela paixão, disse em alto e bom som (está gravado): “... a torcida do Cruzeiro está empurrando a cachorrada para a linha de fundo do campo...”. Isso é correto? Se a adjetivação fosse numa referência contra a torcida do Cruzeiro iríamos dizer o quê? E, todos os cruzeirenses que vi falando sobre a preferência clubística deste repórter indicavam que ele é torcedor do rival local. Agora durma-se com um barulho destes. É cabível que um repórter do rival falasse tal frase ao vivo numa rádio?

Isso tudo para dizer que se o profissional de imprensa torce para A ou B não importa. Importa se o trabalho que ele faz é isento. Muito difícil isto no futebol, então devemos nos preocupar em extrair fatos e notícias de posições parciais, sem nos preocuparmos com as preferências, e depois avaliar o que queremos fazer.

Nem sempre a avaliação positiva e sem critério beneficia, basta ver os malefícios da crítica non-sense sobre nosso rival local. Não interessa qual time torce o profissional da mídia, interessa o que pensam, como opinam e o que fazem para o futebol, especialmente o mineiro. Se o objetivo de profissionais de imprensa é somente ganhar dinheiro e detonar este ou aquele clube que não lhe é agradável pode ficar longe é porque o futebol mineiro está precisando de uma limpeza de verdade.

Tivemos a ilusão de que alguma coisa estaria mudando e o que vemos é uma Federação Mineira de Futebol de maneira parcial; é o presidente da mesma declarando abertamente que tem preferência por um time; são dirigentes dos clubes fazendo seus mandos e desmandos; são jogadores falando o que querem a hora que querem e; aqueles que fazem coberturas nos times/clubes valorizando a fofoca e especulação em detrimento do jornalismo de verdade e com qualidade.

Finalmente, não se deve responsabilizar a mídia pelos erros do técnico, diretoria e jogadores. Esses deveriam passar a assumir os péssimos desempenhos e a critica, por parte da torcida, ser direcionada a quem realmente de direito.

Nota de destaque: (atrasada)
Queria parabenizar neste 7 de março alguns cruzeirenses que aniversariam nesta data. Cota, Fernandinha e meu irmão Carlos Henrique, e para não dizer que sou injusto, um abraço e minhas condolências ao sofredor Márcio "China" Benedito, que não soube escolher time para torcer mas que também aniversária nesta data. Um parabéns e abraço mais forte ainda para as valorosas mulheres cruzeirenses neste 8 de março.

Evandro Oliveira e cruzeirense desde a decada de 1960 e costuma ficar zangado quando ve tolices na boca de cruzeirense, mas talha o sangue quando ve a midia manipulando cruzeirenses alienados e desavisados.
pyxis@cruzeiro.org

Leia também as colunas anteriores Torcedor Cibernetico

As opiniões e declarações aqui expressas são de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org não responde por nenhuma opinião assinada.

Comentários:  Clique aqui e faça seu comentário sobre a coluna

 Carlos Campos | Resende | 06-03-06 23h14min
FICO FELIZ EM LER UMA CRÔNICA ATACANDO DE FRENTE OS "CARNICEIROS DE PLANTÃO"....seria um excelente título para a sua coluna!!!!
 banu | Montes Claros / Berilo | 07-03-06 08h53min
A imprensa mineira é conservadora, conserva o sucesso do Patético do passado e faz loas ao clube. Os dirigentes sessentões dão estágios aos acadêmicos de comunicação e cobram posição galista; empregam da mesma forma. Geralmente, profissionais imparciais não são valorizados, ou vão pra veículos de menor circulação e de audiência. Rural ela não é, ela nega, mas é saudosista do passado roçaliano, com o Galo cantando no amanhecer de cada dia. Não percebeu que a Raposa Matreira comeu o galinho.
 Benny the dog | BH | 07-03-06 08h58min
Os jornalistas são como qualquer profissional que tenta sobreviver em seu próprio meio, isto é com a obrigação de produzir e vender. Se não vender, está fatalmente na rua. Mas como sobreviver num universo restrito a apenas dois times e que disputam um campeonato de discutível nível técnico (ruralito)? Criando factóides, pois eles vendem mais do que uma símples cobertura de um treino. Desta forma, se fecha um ciclo que infelizmente tem um consumidor. S.C.
 banu | Montes Claros / Berilo | 07-03-06 08h58min
Há 40 anos, o furacão azul assustou a tradicional família galista, derrubou tabus, revolucionou o futebol brasileiro e sul-americano. A torcida cresceu, virou massa de torcedores. De tanto crescer foi chamada de China Azul, numa referência ao crescimento populacional dos chineses. E quem reconheceu isto foi um galista de quatro costados: o grande escritor Roberto Drumond. Um dos poucos torcedores adversários a escrever belas crônicas sobre o Cruzeiro. Inteligente,talvez fosse um dos imparciais.
 wilsonflavio | China Azul | 07-03-06 09h03min
Em seu livro "É Campeão", Luxemburgo fala sobre dois adversários difíceis em 2003: a imprensa de Rio-São Paulo e a imprensa Mineira.
 banu | Montes Claros / Berilo | 07-03-06 09h05min
Roberto Drumond era imparcial e sensível no exercício da profissão de cronista, apaixonado pelo belo futebol. O Tostão é um cruzeirense, com um coração paterno americano. Tem escrito divinamente sobre o Cruzeiro, o Mequinha, o Patético e todos os outros clubes. Crítico como poucos, sin perder la poesia jamás. O nosso Armando Nogueira, muito mais melhorado, com conhecimentos psicanalítico da alma humana, científico da medicina ortopédica, artístico do esporte e profundo estudioso do futebol.
 banu | Montes Claros / Berilo | 07-03-06 09h12min
Benny tem razão. O mercado de trabalho dos jornalistas determina produção de textos que façam vender. De fininho, leva a chancela do patrão e sua paixão ou tendência clubística. O Cruzeiro tem um defeito e virtude de ser independente da mídia. Defeito por não construir uma relação mais estreita com a mídia. Virtude por manter um certo afastamento e preconceito com a mesma mídia. É uma questão para o Departamento de Marketing estudar e propor ações mais efetivas. Adversidades a enfrentar...
 banu | Montes Claros / Berilo | 07-03-06 09h20min
Se o campo não é favorável, deve propor estratégias de entrada no campo inimigo. Chorar ou reclamar de jornalistas contrários ao nosso clube não deve ser a melhor atitude. A questão da imprensa em Minas passa pela formação política nossa. Eu devo ser contra ou a favor. Não posso reconhecer valores nos outros, só defeitos. Se não tiver, eu boto. Ao admirar jogadores que atuaram no nosso maior advesário somos execrados. Só vale gostar do Neuber,Pinguim, Aldair, Alb.Rodrigues,Serginho...São poucos.
 Jorge Schulman | Belo Horizonte | 07-03-06 10h26min
Evandro, muito bela sua coluna. Preocupa mais a imparcialidade inexistente do que o torcedor que há em cada um dos reporteres. Eu particularmente gosto de acompanhar, quando não há outra possibilidade, os jogos e comentários pela Itatiaia, e é constante o vocabulário beirando entre o vulgar e o popular, tipo: "ESSE CAMARADA AÍ", ou "ELE É UM BANANA", e muitas outras coisas que por respeito nem me animo a escrever aqui.
 Jeronimo | Rio de Janeiro | 07-03-06 10h34min
Há muito tempo não via tanta sensatez junta, coluna e comentários, nem vou falar nada para não estragar. Parabéns a todos.
 Jorge Schulman | Belo Horizonte | 07-03-06 10h34min
Há 2 fatos mais ainda: 1) escolher o que?? Todos estão aí, e não é tão fácil peneirar tudo, separar o jóio do trigo, manter uma postura crítica; e 2) achar uma notícia diferenciada, sem ser factóide, como você fala. Ainda por cima, se escolhem os que falam, e a maioria tem o discurso afinado, então dá o que dá, todo fica ma mesmise, nivelado por baixo.
 Marcinho-Gv | Manhuaçu | 07-03-06 11h14min
Parabéns Banu. Me lembro bem de que quando o Cruzeiro está bem, bom plantel, bom treinador, bem montado, jogando, ganhando e convencendo, niguém comenta que a cronica é parcial ou contra. É só as coisas piorarem um pouco que logo achamos os culpados. Qualquer noticia é coisa plantada para nos desestabilizar mais, é para tumultuar o ambiente, é coisa do outro lado, da cronica tipicamente gaylista. Eu não vejo assim. Tem muita gente por aí que só fala bem do Cruzeiro mesmo que seja falso.
 Carlos Campos | Resende | 07-03-06 13h08min
A IMPRENSA NOS ATACA SEMPRE!!!!!ninguém usa a imprensa como desculpa pros nossos fracassos! QUEM DISSE ISSO ? nossa vigilância é pra ajudar o Cruzeiro sempre nas suas trajetórias! Como já disseram aqui, o próprio LUXA DECLAROU no seu livro que a IMPRENSA MINEIRA foi o seu mais cruel adversário! QUEM NÃO LEU, DEVERIA LER! e foi nosso ano de maior glória! NÃO ERA DESCULPA PARA O FRACASSO! ESTAREI ETERNAMENTE VIGILANTE. MEU FOCO PRINCIPAL. O PODER DO INIMIGO. O QUARTO PODER. Couto de Andrade sabe !
 sangue azul | Belo Horizonte | 07-03-06 14h32min
É agora mais uma nova dupla:chico maia e lelio gustavo!
 webmaster | Belo Horizonte | 07-03-06 16h07min
Atenção BANU
Erro ao enviar o email para banu@******.com.br
A caixa postal do destinatario esta cheia.
O email foi recusado
The mailbox is full. The email was rejected.
Entre em contato, URGÊNCIA com o e-mail webmaster@cruzeiro.org com
 afxu | Belo Horizonte | 15-03-06 20h47min
O Evandro sempre faz bons comentários! O que precisamos é separar o joio do trigo. Que bom se todos fossem como o Alberto Rodrigues, um cruzeirense de quatro costados, que já narrou mais de 2000 gols do Cruzeiro, mas que antes de tudo, não fica só puxando o saco do clube e da diretoria, conhece de futebol e sabe fazer críticas na hora certa! Ainda por cima, ele é um cronista que respeita os adversários e sabe gritar o "gol", mesmo quando lhe dói uma derrota. Parabéns pra ele! Antonio Fr
 Rogerio DF | Brasília e Entorno | 17-03-06 15h26min
EVANDRO, parabéns pela coluna e permita-me aproveitar êste espaço para que mesmo longe de Belo Horizonte, incentive uma campanha pedindo consideração e reconhecimento pelos dirigentes do Cruzeiro, solicitando encarecidamente uma colocação no quadro de funcionários da instituição, para o nosso ÍDOLO 10 DIRCEU LOPES. Pois tristemente, chegou-me ao conhecimento e de outros torcedores celestes, notícias da real situação financeira, que ora encontra-se o mesmo...*Saudações Celestes***
 teceart | Governador Valadares | 25-03-06 09h40min
QUER IMPRENSA MAIS PARCIAL (OBVIAMENTE QUE POR PURO INTERESSE FINANCEIRO) , DO QUE OS POBRES COITADOS DA REDE ESGOTO (QUERO DIZER, REDE GLOBO FALIDA) ?
 teceart | Governador Valadares | 27-03-06 23h33min
VALEU EVANDRO, PELO COMENTÁRIO. BEM LEMBRADO VOCÊ FALAR SOBRE A IMPRENSA MINEIRA, A RÁDIO ITATIGALO, A REDE ESGOTO (QUERO DIZER, REDE GLOBO). PRECISAM PARAR COM ESSA BOBAGEM DE FALAR QUE O GALO É O TIME DE MASSA, QUE EMPURRA O TIME ATÉ O FINAL. MENTIRAAAAAAAAAAAA.... QUANDO O GALO ESTÁ INDO MAL NA PARTIDA, PODE TER 10 MINUTOS DE JOGO,QUE ELES VAIAM O GALO, IGUALZINHO A TORCIDA CELESTE VAIA O CRUZEIRO, NESTA MESMA SITUAÇÃO.EVANDRO,UM ABRAÇO,E QUE DEUS TE ABENÇOE ABUNDANTIMENTE, EM NOME DE JESUS.
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 Notícias   
19/09 - 14h20 [13 coment.]
Baixo aproveitamento nos pênaltis em toda a temporada liga alerta 

19/09 - 09h13 [4 coment.]
Cruzeiro alcança terceira melhor campanha do returno do Brasileiro 

19/09 - 08h08 [3 coment.]
Mano revela por que ainda não utiliza Arrascaeta como titular 

19/09 - 07h55 [1 coment.]
Sub17 conquista a J-League Challenge Cup, em Osaka (JPN) 

19/09 - 06h48 [1 coment.]
Atletismo conquista todas as provas disputadas no fim de semana 

18/09 - 08h56 [8 coment.]
Cruzeiro vence o Bahia e consegue se manter entre os 6 melhores 

18/09 - 07h39 [4 coment.]
Eleições: Lideranças do Cruzeiro intensificam atuação na campanha 

18/09 - 07h33 [2 coment.]
Cruzeiro lutará contra o Flamengo por sua 40a conquista no Mineirão 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Org© 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster