Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notícias   

ATENÇÃO - Solicitamos que todos os usuários alterem suas senhas - Cliquem em ESQUECI minha senha e aguardem o recebimento de uma nova senha - #ForçaCHAPE
Blog Páginas Heróicas Digitais



Voz da Arquibancada
Voz da Arquibancada é o espaço de manifestação permanente do torcedor cruzeirense.

18/01/2016 | Voz da Arquibancada
Benecy Queiróz x Zé do Rádio

O Duelo dos Chatos - CLIQUE AQUI para ler e comentar

Em oito anos que trabalhei no Cruzeiro nunca vi alguém tão antipático como o supervisor Benecy Queiroz. Ele era o fino da grosseria. Pra trabalhar no seu setor é necessário ter feito um curso de sobrevivência na selva. É faca na caveira, meu irmão. Garanto que até o capitão Nascimento do Bope pedia pra sair!

Funcionários já pediram demissão por causa do Bené. Já teve quem pedisse a sua demissão. E o Bené adora comemorar a demissão de alguém. O Bené é daqueles que não dão o braço a torcer nunca, principalmente, quando está errado.

Benecy veio do Villa Nova em 1973, como preparador físico. Sua grande frustração foi não ter sido treinador. Não perdia a oportunidade quando um técnico adoecia ou saía do clube para assumir interinamente o cargo. Mas para ser técnico é necessário ser diplomático e isto o Bené não é. Por isso também não deu certo como preparador físico. Como gostava de ficar regulando Deus e o mundo, acharam para ele a função ideal: supervisor.

A Revista Placar, certa vez, quis saber quem era o dirigente mais chato do futebol brasileiro. Foram consultados vários jogadores. Bené só foi menos votado que Eurico Miranda, o ex-presidente do Vasco. Há quem desconfie que o resultado fora manipulado, pois falar mal do Eurico, naquela época, vendia revista.

Mas a grosseria do Bené chega a ser divertida. E ele foi protagonista de um dos duelos mais impressionantes da história do futebol brasileiro, quando esteve frente a frente com o Zé do Rádio, o torcedor mais chato do mundo, reconhecido pelo Guiness.

Este clássico encontro aconteceu no estádio da Ilha do Retiro, que é a casa do Zé do Rádio, torcedor do Sport Recife, quando o Cruzeiro foi jogar lá no Campeonato Brasileiro de 2001.

Zé do Rádio tem esse apelido, porque costuma ir aos jogos do Sport, na Ilha do Retiro, acompanhado de um enorme rádio. Ele fica próximo ao alambrado, atrás do banco de reservas do time adversário, com o rádio no volume máximo. Seu objetivo é esquentar a orelha dos jogadores reservas e do treinador adversário com a sua barulhada.

Sua chatura ficou conhecida nacionalmente em 1999, após um jogo do Sport com a Portuguesa. O treinador Zagallo, estava comandando a Lusa, e numa entrevista a um programa de TV referiu-se a ele como "o torcedor mais chato do Brasil".

Assim que o time do Cruzeiro pisou o gramado da Ilha, Zé do Rádio já estava junto ao alambrado, atrás do banco de reservas do Cruzeiro com o rádio num volume ensurdecedor. O Bené que não estava lá pra ser amigo de ninguém não demorou muito pra apelar com o cara. Pediu ao massagista Bolinha que enchesse um balde com água. No momento em que o time do Sport atacava, Bené aproveitou-se da distração do Zé, se aproximou dele e derramou toda a água do balde no seu rádio. O aparelho pifou na hora! O banco de reservas e até os torcedores do Sport se divertiram com a cena.

O Zé do Radio nesse dia não incomodou ninguém. O Cruzeiro venceu o jogo por 1 a 0. E o Bené teve o seu dia de cara legal!"


Publicado no Almanaque do Cruzeiro e reproduzido no Blog Guerrilha Celeste em 2012.



Voz da Arquibancada é o espaço dedicado ao torcedor da arquibancada, geral e de toda imensa torcida espalhada pelo mundo. O Cruzeirense que se sentir motivado, inspirado e/ou indignado, escreva seu texto e envie para arquibancada@cruzeiro.org. A equipe Cruzeiro.Org terá o prazer de selecionar os textos recebidos e publicar os melhores e mais apropriados.

Leia também as colunas anteriores Voz da Arquibancada

As opiniões e declarações aqui expressas são de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org não responde por nenhuma opinião assinada.

Comentários:  Clique aqui e faça seu comentário sobre a coluna

 pyxis | BHZ | 18-01-16 00h23min
Embora envolva o nome de Benecy Queiróz, esta crônica é verdadeira. Não tem o ranço do corporativismo e proteção dos jornalistas para com o supervisor falante do Cruzeiro.
Talvez seja o relato da única vez que Benecy foi legal.
Quem defende o Benecy é porque, um dia, já teve um favor pessoal atendido por ele. FUNCIONA ASSIM !
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 Notícias   
26/04 - 13h28 [1 coment.]
Cruzeiro repudia, oficialmente, declarações de presidente da FMF 

26/04 - 13h23 [1 coment.]
Zezé Perrella aproveita oportunidade e critica atual diretoria 

26/04 - 12h13 [1 coment.]
Cruzeiro fará apelo à PM e dispara contra parcialidade da FMF 

26/04 - 11h03 [1 coment.]
Diretoria garante que defenderá os direitos do torcedor na final 

25/04 - 19h11 [1 coment.]
Cruzeiro emprestará volante Willians ao Goiás até o fim do ano 

25/04 - 19h03 [1 coment.]
Vinte e três jogadores lutam pelo primeiro título estadual em Minas 

25/04 - 18h47 [1 coment.]
Os números em decisões do Mineiro nas duas últimas décadas 

25/04 - 18h34 [1 coment.]
Atletismo celeste comemora muitas vitórias no feriado de Tiradentes 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Org© 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster