Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notícias   

ATENÇÃO COM SUA SENHA
Caso você tenha dificuldade com sua senha, peça uma NOVA. Se não receber uma nova, nos avise.
Banda Help



Voz da Arquibancada
Voz da Arquibancada é o espaço de manifestação permanente do torcedor cruzeirense.

29/01/2015 | Voz da Arquibancada
A Grande Mentira da Mídia

Por Abílio Távora (CLIQUE AQUI e COMENTE)

Recebi o desafio de escrever sobre o nosso Cruzeiro aqui nas páginas do Cruzeiro.Org.

Leio muitos comentários no site Cruzeiro.Org, mas comento muito pouco. São várias as barreiras para que eu comente mais vezes e, a princípio, não tinha um tema na minha cabeça.

Mas, ao assistir uma entrevista do Sr. Murici Ramalho, falando que o São Paulo descobriu a Libertadores da América, um grande sofisma dos paulistas, e que me fez lembrar da historia do Cruzeiro com torneios internacionais e a da Libertadores, resolvi que tinha que me manifestar, além dos meus conhecidos com quem falo sobre futebol.

A internacionalização do Cruzeiro foi fator determinante para deixarmos de ser a terceira força de Minas nos tornarmos um dos maiores clubes do mundo. Foi através das excursões no final do anos 1960, após a primeira Libertadores e durante toda a década de 1970, que conseguimos recursos para montar e manter grandes times.

O Cruzeiro viajava pelo mundo e as grande cotas recebidas permitiam manter Dirceu Lopes, Piazza, Raul e tantos outros. Daí surgiu o Cruzeiro "Exportação". Devemos lembrar que os times viviam de renda de jogo, de cotas de amistosos e não tinham patrocínio na camisa e cota de TV, num modelo que era profissional só porque os jogadores recebiam.

O então presidente Felício Brandi, no inicio dos anos 70 tinha uma verdadeira obsessão para ganhar a Libertadores, fez grandes contratações como Perfumo, Jairzinho e Forlan. Fomos campeões em 76, ganhando do River, a base da seleção Argentina campeã mundial em 78 e perdemos o mundial para a base da seleção alemã campeã mundial de 1974, o Bayern de Munique. Foi o final do ciclo virtuoso iniciado em 65. Mergulhamos em uma década de trevas.

Na gestão dos irmãos Masci (Benito, Salvador e César), no final dos anos 80, surgiu a SuperCopa, promovida pela Conmebol e entre os times que haviam ganho a Libertadores. Foi através dela que ressurgirmos como time top do Brasil. Na primeira edição fomos vice campeões e tivemos grandes arrecadações ( a maior média de publico da historia da America do Sul e mundial em uma única competição e do Cruzeiro na SuperCopa dos Campeões da Libertadores) e exposição de nossos atletas, voltamos a ter fôlego na área financeira. Fomos bi campeões e grandes contratações com a do goleador Charles, do irreverente Renato Gaúcho, voltaram à nossa rotina.

Lembrem-se que até 1991, o São Paulo, cuja entrevista de seu técnico me motivou a escrever esta coluna, não tinha ganho nada, nenhum título fora do estado de São Paulo, mesmo sendo dono do maior estádio particular do Brasil. E nós, reiniciamos um ciclo virtuoso, com alguns sustos em 1997 ( que junto com 1998 pode ser alvo de outra coluna e até um grande capítulo à parte) e 2011, mas que nos proporcionou o recorde de maior número de temporadas com títulos consecutivos oficiais, superando, mais uma vez o Santos de Pelé.

Como esse sucinto relato tento mostrar para muitos cruzeirenses a importância da Libertadores para o Cruzeiro, a importância de disputá-la, a importância de conquistá-la, e refutar a grande mentira difundida pela mídia paulista e propagada pela mídia mineira tendenciosa.

Sejam mais cruzeirenses e apoiem e acreditem no Cruzeiro em todas as competições. Este negócio de perder de véspera ou de menosprezar títulos não pode ser coisa de cruzeirense nem de gente de bem.

Agradeço a oportunidade e espero que tenham gostado.

Com muito orgulho estou aberto aos comentários e críticas.

Abílio Saddi Távora.

Voz da Arquibancada é o espaço dedicado ao torcedor da arquibancada, geral e de toda imensa torcida espalhada pelo mundo. O Cruzeirense que se sentir motivado, inspirado e/ou indignado, escreva seu texto e envie para arquibancada@cruzeiro.org. A equipe Cruzeiro.Org terá o prazer de selecionar os textos recebidos e publicar os melhores e mais apropriados.

Leia também as colunas anteriores Voz da Arquibancada

As opiniões e declarações aqui expressas são de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org não responde por nenhuma opinião assinada.

Comentários:  Clique aqui e faça seu comentário sobre a coluna

 lano teixeira | Não definido | 29-01-15 15h00min
Caro Abilio. Aos poucos vamos descobrindo os verdadeiros cruzeirenses deste espaco. Voce, se me permite , nao deveria ter ficado muito tempo sem nos dar o "ar da graca". Sua coluna eh especial, seus comentarios, sobre fatos de outrora, sensassionais. Parabens viu, estarei esperando por mais uma obra-prima sua. Um grande abraco.
 GeraldoFaria/Div | Divinópolis | 29-01-15 17h16min
Abílio só uma palavra para o seu texto, espetacular! Com foi dito pelo colega acima espero que você nos brinde com mais textos brilhantes como este. Como frequento o Mineirão desde 69 posso falar de todas essas fases do Maior de Minas, como é bom relembrar mesmo que seja uma derrota para aquela seleção alemã na final de 1976. Depois do grande Santos de Pelé o Cruzeirão foi o primeiro a ganhar a Libertadores, espero que esse ano mesmo com as grandes mudanças possamos campeonar!!!
 Celeste | Sorocaba-Itajub� | 29-01-15 21h30min
Parabéns Abílio. Excelente coluna.Obriagada por nos detalhar um pouco da história do nosso time. O Brasil redescobriu a LA através do Cruzeiro. Nada de novo no pensamento dos paulistas, desta vez representados pelo Murici.Se o brasileiros nos menosprezam, os torcedores de outros países nos reverenciam. Os memoráveis títulos da Supercopa reforçam minha ideia de que o Cruzieor deveria disputar a Sulamericana.Para isso seria necessário a CBF reorganizar o calendário.
 abilio | Belo Horizonte | 30-01-15 20h53min
boa noite, gostaria de agradecer a lano Teixeira, Geraldo Faria e Céu pelo elogios, fico muito motivado a escrever novos texto sobre as coisas do Cruzeiro e do futebol. Pretendo escrever sobre assuntos atemporais. Minha próxima coluna terá o título Do Cruzeiro Exportação ao Cruzeiro Exportador. Gostaria de deixar claro que objetivo e discutir assuntos relavantes de nossa historia que refletiram no nosso presente e no futuro.
 mahp | belo horizonte | 30-01-15 21h16min
Abílio, desde 2 de janeiro de 1921, o Cruzeiro nunca foi a terceira força de Minas. A torcida do Cruzeiro sempre foi várias vezes maior que a do América. Para não ser repetitivo, sugiro que você dê uma pesquisada em posts antigos do próprio blog PHD e lá você vai encontrar todas as informações para se convencer e parar de repetir mentiras inventadas pela imprensa atleticana, que têm como objetivo tentar diminuir o Cruzeiro em sua história. Infelizmente, até cruzeirenses têm caído nessa mentira.
 pyxis | BHZ | 30-01-15 22h09min
maph, com efeito, esta de ser "terceira força" é uma das maiores falácias da mídia... e pegou o Abílio. Existem muitas outras...
e reforço que o espaço aqui no Cruzeiro estará SEMPRE aberto para torcedores escrevem esclarecendo aos mais novos sobre estas mentiras da mídia, notadamente contra o Cruzeiro...
 abilio | Belo Horizonte | 30-01-15 22h50min
boa noite, muito obrigado pela correção, mais quando usei esse chavão,por ignorância, foi para destacar a revolução feita pelo Cruzeiro a partir de 1965. Poderia ter usado de um time municipal para um potencia internacional. Eu nasci em 63 e não vivi essa época, quando comecei a entender por gente, o Cruzeiro já era o maior de minas, sofri nas arquibancadas do mineirão a divisão esdruxula em clássico, quando ficávamos exprimido atras do gol da cidade devido a lenda massa.
 pyxis | BHZ | 31-01-15 01h10min
Abílio, por falar nisto (um time da cidade bla bla bla), esta é outra coisa que muito cruzeirense fica incomodado. ZZP tirou a menção no estatuto d escudo oficial com "Belo Horizonte". COnheço muito torcedor que não gosta da frase "nos gramados de Minas Gerais" do Hino do Maestro Jadir Ambrósio... Eu fico triste pois muitos cruzeirenses são mais preocupados com O QUE DIZ A MÍDIA, do que em enaltecer nossas conquistas... e ninguém da mídia fala de gelo em hino...
 abilio | Belo Horizonte | 31-01-15 10h54min
Evandro, acho isso uma bobagem. Qual diferença se tenhamos sido 3 ou 4 força, todo mundo nasce pequeno é cresce. Vergonha é ter sido grande e hoje é pequeno. Todo time antigo foi municipal um dia! Essa questão é irrelevante, e para te dizer a verdade é muito mais legal termos atropelado todos os concorrentes, e somos hoje o maior, melhor e mais vitorioso.
 pyxis | BHZ | 31-01-15 12h50min
Abílio, você não deve ter acompanhado a história do Cruzeiro.org.
Cruzeiro.Org tem como origem um site da época que ter um domínio era LUXO (www.horizontes.com.br/~cruzeiro), e da lista-cruzeiro (atualmente hospedada no YAhoo!).
Se você acompanhasse saberia que TUDO que é originado na mídia, e que serve para "fazer a cabeça" de torcedores, inclusive cruzeirenses (que chamo de simpatizantes), eu ABOMINO. Muito mais do que você imagina ou chama de "bobagem".
 abilio | Belo Horizonte | 31-01-15 15h46min
Realmente não conheço a historia, mais respeito e concordo com essa luta.Já tinha entendido a origem do assunto, somente achou que neste assunto especifico, em vez de diminuir a historia do Cruzeiro, o que era o objetivo da mídia mineira (formada por pateticamos, os melequinhas e os cruzeirenses submissos em sua grande maioria).Tenho a opinião que o tiro sai pela culatra e veio engrandece nosso presente.
 estrelado campeao | Ubá  | 02-02-15 14h35min
Gostei da coluna Abílio. Você muito feliz quando abordou o surgimento da Supercopa no final da década de 80, o que permitiu que o Cruzeiro se reprojetasse no cenário internacional novamente. Não sou historiador, mas sem dúvida não é exagero dizer que a história do Cruzeiro pode ser dividida em períodos diversos : de Palestra a Cruzeiro, antes e pós Mineirão, e antes a depois da Supercopa. Ninguém conseguirá bater o recorde de média de público na Supercopa 92. Grande lembrança.
 estrelado campeao | Ubá  | 02-02-15 14h39min
Sobre os paulistas, a velha e costumeira arrogância. Também ótima comparação. O primeiro título deles foi na década de 90. Outro dia estava trocando idéias com um corintiano mal informado, que estava se achando. Expliquei pra ele que a nossa primeira Libertadores foi em 1976, um ano antes deles saírem da fila do Paulistão(19977) naquela final contra a Ponte, onde expulsaram Rui Rei ainda no primeiro tempo. O grande nome da conquista foi Palinha, como campeão e artilheiro da Libertas.Parabéns.
 estrelado campeao | Ubá  | 02-02-15 14h44min
Explicando melhor : o Gambá estava 23 anos sem ganhar nada. Palinha saiu do Cruzeiro como artilheiro com maior média de gols da Libertadores e como um dos pilares da nossa conquista. Saiu do Cruzeiro para tirar o Gambá da fila. Se, mas o se não joga, o Palinha tivesse ficado para a Libertadores 77 teríamos conseguido o Bi. Veja que chegamos a final contra o Boca e perdemos nas penalidades, após o juiz mandar voltar uma cobrança que bateu na trave alegando que Raul se mexera.
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 Notícias   
17/11 - 08h26 [0 coment.]
Jogadores do Cruzeiro começam a se manifestar sobre salários 

17/11 - 07h19 [0 coment.]
Sub23 faz campanha pífia e é eliminado do Brasileiro de Aspirantes 

16/11 - 19h02 [0 coment.]
FMF demonstra toda a sua parcialidade na tabela do Mineiro´18 

16/11 - 18h51 [0 coment.]
Zagueiro Manoel passará por tratamento o restante da temporada 

16/11 - 17h30 [0 coment.]
Zagueiro Léo lançara livro ´A Quinta Estrela` sobre a CopaBr´17 

15/11 - 22h22 [6 coment.]
Retorno de Judivan é único motivo de comemoração contra o Avaí 

15/11 - 12h51 [2 coment.]
Cruzeiro pode decretar o rebaixamento do Avaí na 36a rodada do Br´17 

15/11 - 07h46 [13 coment.]
Diogo Barbosa pode atuar pelo Palestra Paulista em 2018 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Org© 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster