Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notícias   

ATENÇÃO COM SUA SENHA
Caso você tenha dificuldade com sua senha, peça uma NOVA. Se não receber uma nova, nos avise.
Banda Help



Joao Duarte, uma Voz da Velha Guarda Azul
Joao Duarte, engenheiro escreve periodicamente no Cruzeiro.Org

15/02/2014 | Joao Duarte
Joãozinho faz 60 anos...Parabéns grande ídolo !!!

"Joãozinho, que hoje 15/02/14, faz 60 anos de idade foi sem dúvida o maior ponta-esquerda que eu vi jogar. E me deu grandes alegrias com a camisa azul

Mundo Azul,


Esta coluna é escrita em homenagem especial a Joãozinho - Se a gente fosse falar nos jogos mais importantes que ele participou teria que falar da irresponsabilidade genial dele ao decidir a Taça Libertadores das Américas de 1976, ao bater a falta sem esperar Landaburu ajeitar a barreira, dando troco à malandragem de Sabella no gol de empate do River Plate.
Poderia falar do jogo de 1980 em que ele fez um gol antológico em cima do Fluminense driblando a Edinho e ao grande treinador Givanildo de Oliveira prá lá e prá cá. Poderia falar de um jogo contra o América em que Marquinhos Uberaba foi expulso com 12' e ele só faltou fazer chover. Seria forçosa a lembrança do gol que ele fez em Lima recebendo a bola de Raul antes da linha do meio-campo e tendo saído costurando e driblando quem apareceu na frente dele até meter na rede do Alianza. Mas, como tem clássico nesta semana vou re-editar a Página Heroica e Imortal datada de 09/10/1977. "Joãozinho, que hoje 15/02/14, faz 60 anos de idade foi sem dúvida o maior ponta-esquerda que eu vi jogar. E me deu grandes alegrias com a camisa azul estrelada". Eu fiquei muito tempo sem falar com ele até que numa madrugada, ele se encontrou com amigos meus em Boston e falou que conhecia uma cara gente boa e que agora estava morando em Vitória e que era cruzeirense doente. Foi aí que o Antônio Eli Bosi pegou o telefone e me ligou dizendo assim "fala com este aqui que é o maior cruzeirense que eu conheço. E de cara o Joãozinho identificou quem era. Rimos bastante e ele prometeu que ainda viria a Vitória, promessa ainda não cumprida". Um grande abraço João Travolta, João o entortador, Joãozinho o bailarino da Toca, Joãozinho o mágico e para relembrar a musiquinha que a gente cantava para ele que era assim : "Hey cafuné, hey cafuné... o Joãozinho é uma mistura de Garrincha com Pelé". Deus o abençoe, onde você estiver.

☺ A Página Heroica Imortal da Semana – O Cruzeiro havia perdido o campeonato Mineiro de 76 tomando 2 pancadas dos cacarejantes, havia perdido a Libertadores nos pênaltis para o Boca Jrs., havia perdido o 1° jogo por 1 x 0, ouvira calado Toninho Cerezo provocar a torcida celeste, dizendo que enquanto ele, Paulo isidoro, Marcelo Pacote (nosso treinador atual) e Reinaldo jogassem do lado de lá, eles nunca perderiam para o Cruzeiro.
O Cruzeiro se uniu, liderado por Felício que catimbou no 2° jogo e viu seu time fazer o que parecia impossível, principalmente aos olhos da crônica mineira, totalmente pendente para o lado de lá, desde sempre.
Afinal de contas o time cacarejante começara ganhando o 2º jogo com um gol de Marinho da Betânia (ponta-direita que mais tarde iria ser ídolo do Bangú e hoje passa grandes dificuldades). Só que na 2ª partida estreou Herberth Carlos Revétria, que fez um gol de canhota e 2 de cabeça (centro de Eduardo e córner batido em curva por Nelinho), virou o jogo e levou o Cruzeiro para a 3ª partida. Bem verdade, que Reinaldo diminuiu o placar, mas, já era tarde.

Como de praxe os atleticanos ganharam a partida antes da bola rolar. Eu me lembro como se fosse hoje que fui cedo para o Mineirão junto com o meu amigo primo e conterrâneo Cláudio Alberto Carvalho Carneiro (Bodão) e carregava comigo uma grande esperança de título. O Cruzeiro vinha se dando bem direto e reto contra eles, só que realmente a garotada do outro lado era boa de bola.
A gente não tinha mais Piazza, Zé Carlos e Dirceu Lopes no meio-campo, porque Felício Brandi e Cármine Furletti caíram no canto da sereia de que nosso time estava envelhecido. O que a gente viu mais temia era que o time deles saísse na frente do placar novamente.
Os primeiros 30' foram bem jogados de parte a parte, mas, sem a abertura de contagem. O Cruzeiro mais compactado atrás e o time deles na empolgação, correndo demais e com a corda toda, mas, esbarrando na zaga e em Raul.

A coisa começou a esquentar após uma blitz atleticana com a bola saindo pela linha de fundo. E o que a gente temia aconteceu.
Córner pela esquerda, Marcelo Oliveira cobra colocando efeito na bola e na disputa entre Vantuir e Darci Menezes pelo alto, na entrada da área, a bola vai para trás e sobra limpa para Reinaldo, que coloca de pé esquerdo sob a corpo de Raul, aos 34’ de jogo e o placar agora mostrava : Cruzeiro 0 x 1 Atlético-MG.. O lado alvinegro ouriçado no Mineirão, cantava a plenos pulmões que era campeão do gelo e orgulho de Minas. O lado azul retruca de imediato, mas, dentro de campo, os cacarejantes jogaram muito até o final do 1° tempo. Poderiam ter aumentado o placar se não fosse a boa atuação de Raul e da zaga. Nosso time traçara um plano de jogo para jogar de contra-ataque e a coisa não ia funcionado bem até aquele momento.

No intervalo, Yustrich troca Valdo por Eli Carlos e o time ganha nova vida. Uma das maiores virtudes do HOMÃO como Yustrich era conhecido era a arte de dar uma injeção de ânimo em seus comandados. E o que vimos a partir da volta do time para a etapa final foi um espírito de luta destacado, desde quando a bola rolou. O Cruzeiro voltou com uma volúpia incrível e passa a dominar o lado alvinegro e vai perdendo chances uma atrás da outra, foram 2 bolas nas traves, além de pelo menos mais 3 chances claras nas quais a bola sobrou limpa para os jogadores celestes que concluíram para fora.

Até que Dionísio consegue evitar o rabo de vaca de Eduardo e põe a córner, talvez numa das poucas bolas que o lateral conseguira cortar a jogada.
Nelinho cobra o escanteio forte e a bola descai no 2° pau. Ortiz plantado de baixo das traves vê Joãozinho sem ângulo, inteligentemente, colocar por cima da defesa para o 1° pau. Surge como um bólido REIvétria e estufa sem dó as redes cacarejantes, aos 72’ para fazer Cruzeiro 1 x 1 Atlético-MG. O Mineirão inteiro ou em sua grande maioria ouvia a Rádio Itatiaia e a gargalhada do eterno Carlos César Franco Gomes, o Pinguim, ecoou por todo o Mineirão. Rá, rá, rá, rá, rá... Revétria, para o delírio da torcida cruzeirense.
Meu Deus do Céu que alegria indescritível. O time já dominava e agora partia ainda mais pra cima deles. A gente gritava Cruzeiro, Cruzeiro, Cruzeiro, alucinados nas arquibancadas, mas, o gol de desempate não saiu.

Conforme previa o regulamento, o jogo foi para a prorrogação. Um detalhe impressionante. O time cruzeirense era muito mais experiente e soube dosar o ritmo. Os ex-juvenis cacarejantes, haviam falado muito e estavam muito cansados, a maioria arriara as meias. Yustrich e Paulo Benigno (nosso inesquecível preparador físico) davam laranjas para os nossos jogadores, pouca água e o time voltou muito melhor para a prorrogação. O primeiro tempo do tempo suplementar não mostrara grandes chances de gol.
Aí Yustrich lançou mão do garoto Lívio (irmão gêmeo do lateral Luiz Cosme), um meia da base que vinha treinando muito bem e que tinha um retrospecto de vitórias na base em cima do outro lado.

O Cruzeiro após a troca de lado mostrava que tinha mais pernas que o lado emplumado e Lívio se movimentava mais que Revétria, era melhor de bola. E desta forma, o futebol dos nossos meias começou a aparecer. Eduardo voltara para a armação e Lívio Eli Carlos e Joãozinho ficavam mais á frente. A mudança da posição dos jogadores deu certo e o Cruzeiro começou a botar a garotada das cocotas na roda. Cerezo agora corria prá lá e prá cá, mas, era visível o cansaço dele. E se o filho do palhaço Moleza começara a arriar as meias, o que dizer do resto. A gente viu Yustrich mandando o Cruzeiro marcar pressão.
E o time deles começou a errar passes.

Eram 7' do 2º tempo da prorrogação, o Cruzeiro atacava para o gol da cidade, quando Nelinho recupera uma bola e avança pela direita. Da intermediária, cruza a bola para Joãozinho nas costas da defesa, João testa a bola para o meio da área, onde aparece Lívio que de sem pulo, estufou a rede cacarejante, com um petardo de direita. A rede fez literalmente um papo e a torcida cruzeirense enlouqueceu no Mineirão. Eu tinha ido de arquibancada e a gente comemorou demais, porque faltavam no máximo uns 8' para o fim do jogo. Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG
Na base do desespero os cacarejantes emplumados se lançaram ao ataque. O Cruzeiro bem plantado respondia sempre nas estocadas longas buscando sempre Joãozinho, Lívio ou Eduardo na inversão. Eli Carlos voltava até o meio para ajudar e Erivelto (pela esquerda) jogando sempre com 3 armadores que mostravam pulmão impressionante, sempre chegando para compor as ações ofensivas e defensivas. Flamarion mandava prender e mandava soltar como volante.
E veio o golpe de misericórdia.
Eram 13' do 2º tempo da prorrogação, quando Flamarion roubou a bola e lançou Nelinho que de muito longe meteu a bola alta em direção de Eli Carlos. Na disputa pelo alto com Vantuir, ambos erraram o alvo e a bola foi cair nos pés de Joãozinho, que passou de passagem por Márcio Paulada, penetrou na área e só esperou Ortiz sair estabanado do gol, para colocar a bola nas redes com um leve toque. Joãozinho saiu correndo com as 2 mãos levantadas em direção à torcida azul atrás do gol da cidade e viu seu nome ovacionado, afinal, mais uma vez levara o time celeste a escrever uma de suas páginas mais gloriosas. Estava decretada a nossa vitória Que felicidade no mundo azul. Meus amigos, eu estava extasiado, como é bom ganhar título em cima do time atleticano.

Aquele time deu na finalíssima uma lição de humildade, de maturidade, de comportamento unificado da cúpula até os jogadores.
O time que chegara às finais envolto em uma série de intrigas, provara que continuava organizado em todas as suas áreas, com o comando firme de Don Felício Brandi, o nosso inesquecível estrategista, um homem que não perdia nenhum detalhe, nem uma vantagem.
E do outro lado, o Atlético-MG, favorito disparado sairia do campo com cara de tacho, pois a imaturidade de seus ex-juvenis tomara conta da cabeça dos seus governantes (alguma diferença com o quadro dos últimos dias...tempos do Kalilgula ?). E no final de tudo bandeiras queimadas, faixas destruídas, camisas com o código de barras sendo pisoteadas, choro de revolta, pois se descobrira que o time cheio de ótimos jogadores não era imbatível.
Tomara 6 gols do Cruzeiro (3 de cabeça...todos de REIvétria) em 2 jogos, provando que entre rivais tradicionais favoritismo antecipado não vale nada.
Joãozinho, fez um grande jogo e participou dos lances dos 3 gols. De novo decidiu contra os cacarejantes, como o fizera com aquela testada certeira em 15/12/74 (Cruzeiro TRI 2 x 1 Atlético-MG) ou com o passe perfeito para Palhinha em 22/02/76 (Cruzeiro TETRA 1 x 0 Atlético-MG). E agora, a gente poderia festejar a conquista noite adentro.
O Cruzeiro havia obtido vitória insofismável, incontestável. Havia jogado mais, tinha tido um esquema de jogo mais eficaz. Anulara as principais forças do adversário, com muita raça, muita determinação.
E Cerezo que havia menosprezado o lado celeste, agora buscava encontrar justificativas para a sua fala infeliz, inconsolável, não conseguia entender como sua defesa tão forte havia levado 3 gols de cabeça do Revétria em 2 jogos.

☻ Detalhes do Jogo – Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG
Motivo : Finalíssima do Mineiro de 1977 (3º jogo)
Local : Mineirão (belo Horizonte)+++ Data : 09/10/1977
☻ Cruzeiro : Raul, Nelinho, Zezinho Figueiroa, Darci Menezes e Vanderlei; Flamarion, Erivelto e Valdo (Eli Carlos); Eduardo, Revétria (Lívio) e Joãozinho. Técnico : Dorival Knieppel (Yustrich)
☻ Atlético-MG : Ortiz, Alvez, Márcio Paulada, Vantuir e Dionísio; Toninho Cerezo, Danival ( Heleno) e Paulo Isidoro (Marcinho); Marinho, Reinaldo e Marcelo Pacote. Técnico :Barbatana
☻ Arbitragem : Márcio de Campos Sales (FPF) auxiliado por Raimundo Divino e Paulo Sanchez(FMF).
☻ Público Pagante : 122.534 pagantes (maior público do clássico
☻ Renda : Cr$ 4.195.650,00

☺ E as homenagens hoje vão para : Marco (Curitiba), Roni Peterson, Carlos Almeida, Dr. Magno, Estrelado campeão, RFP_Cruzeiro, Rodrigo Ferrari, Cajaíba, Jorge Schulman, Nelsão (Brasília), Lúcio Sangue Azul e MRR. Para técnico do time estamos elegendo o Kabrunco, que terá o Aloísio Mendess como auxiliar técnico.
☺ E de Conceição do Mato Dentro-MG : Claudinha Sousa Guimarães (a aniversariante desta semana), Prof. Geraldo Machado, Pedro Generoso Filho & Sônia Lazarinni, Andréia Carneiro Lazarinni, João Roberto Lazarinni, João Ávila Filho e os grandes artistas da terra Paulo Virgílio "Grilo" de Carvalho e João Jatista Lazarinni.
Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido

Joao Duarte
joaochiabi@globo.com

Leia também as colunas anteriores Joao Duarte, uma Voz da Velha Guarda Azul

As opiniões e declarações aqui expressas são de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org não responde por nenhuma opinião assinada.

Comentários:  Clique aqui e faça seu comentário sobre a coluna

 Aloisio Mendess | Santa Maria/ DF | 15-02-14 19h47min
João Duarte, grato pela homenagem. Esta história de auxiliar não me agrada. Gosto mesmo é de jogar. Joãozinho foi, realmente, um craque. Eu não entendo como nunca foi titular na seleção. Uma injustiça. Mas sua coluna está empolgantes.Parabéns.
 Aloisio Mendess | Santa Maria/ DF | 15-02-14 20h37min
Você falou do Lívio, irmão do Luís Cosme e fiquei com uma dúvida: Que fim tomou o Lívio. Ele não jogou muito tempo no Cruzeiro. Foi para qual time? Foi uma pena o Felício Brandi desmontar aquele time da década de 70 com a ideia de time velho. Raul foi campeão de tudo no Flamengo, Zé Carlos campeão Brasileiro no Guarani, Palhinha campeão Paulista pelo Coríntians, Nelinho foi para o time do outro lado da Lagoa e andou ganhando algo por lá. Era um timaço e nos daria muitas alegrias, com certeza.
 Força-Azul | Santos | 15-02-14 20h39min
Que homenagem ao nosso eterno Joãozinho! Parabéns pra você nesta data querida! Muitas felicidade e muitos anos de vida! Nossa que página heróica! Só tenho a dizer uma coisa: Eu estava lá e foi uma das maiores emoções que o mundo do futebol já me proporcionou! Jogo fantástico! Lembro-me que durante toda a semana foi falado que o time rosado não perderia duas seguidas, que era isso, aquilo e que o título praticamente já tinha dono. Nada como a bola rolar e escrever mais uma página heróica!
 Força-Azul | Santos | 15-02-14 20h46min
Lembro-me também que foi neste jogo que estreei uma bandeira quadriculada azul e branca que balançou muito no Mineirão. Foi sensacional. Depois do gol do Joãozinho a torcida ficou cantando por meia hora ou mais. O que se via do lado preto e branco foram fogos de queimar bandeiras e faixas. O João Duarte tem razão: todo mundo cantava: Ei cafuné, ei cafuné, o Joãozinho é uma mistura de Garrincha com Pelé!
 Celeste | Sorocaba-Itajub� | 15-02-14 21h12min
Caro Joao, repetindo o que escrevi no FB hoje, o Joaõ foi o maior jogador que vi jogar. Se eu pudesse trazer um jogador do passado para o presente, o nosso 11 seria o cara.Vários craques escreveram nossa história,mas, o que mais me deu alegrias foi ele. Esse jogo relatado por você me emociona até hoje.E, sobre a imprensa doméstica, eu não perdia os programas esportivos de BH e cansei de ouvir que aquele time era velho. Joãoazinho eterno. Essa coluna de hoje foi um presente. Obrigada.
 PHDF | Brasília | 15-02-14 21h28min
- Que época! Joãozinho aplicava alguns dribles que inspiravam a garotada nas peladas. Todos tentando imita-lo. O de carregar a bola batendo nos dois pés se perdeu no tempo. Não vejo mais ninguém o praticando. Esse era sua marca registrada.
- As primeiras vezes que fui ao Mineirao foi nesta época e íamos para assistir o baile do João Travolta. Um espetáculo a parte que já valia o ingresso.
 Celeste | Sorocaba-Itajub� | 15-02-14 22h02min
João, você sabe por onde anda o filho dele e por quê não deu certo no Cruzeiro.
 pyxis | BHZ | 15-02-14 23h24min
Dra. Celeste, o GRANDE JOÃO está na região de Boston (EUA). Seu filho... esá num time do interior da Bahia. São vários os fatores que o levaram a ter uma carreira muito complicada. Debito à sua contusão grave quando ainda era júnior a principal causa. A partir dali, ele mudou completamente o comportamento e não se adequou mais àquilo que exigem de um ATLETA PROFISSIONAL.
 ToninhoCaixeta-DF | Ceil�ndia | 15-02-14 23h25min
Tinha apenas 11 anos naquela data, mas me lembro do título, que coisa boa, só ouvia pelo rádio pois morava na fazenda, mas foi muito bom. Ganhar dos cacarejantes sempre foi e será bom.
 carlos_Almeida | Vitória | 15-02-14 23h37min
JD, não foi irresponsabilidade do Joãozinho, ele bateu na bola com responsabilidade e consciente, ele tava olhando pro goleiro, o goleiro estava olhando pro Nelinho que estava de costa pra bola, aquele tipo de chute, se Joãozinho tentar 100 vezes ele acertava as 100, chute colocado, se o goleiro tivesse esperando, pegava. Joãozinho merece a homenagem, jogava muito, sacudia a torcida quando pegava na bola. A decisão de 77 foi alegria geral para os Cruzeirenses, festa em todo Estado.
 João Duarte | Vit�ria | 16-02-14 10h41min
Em resposta ao POLE = Aloísio Mendess,
Vamos inaugurar a sessão por onde anda LIVIO DAMIÃO RODRIGUES VIEIRA, nascido em Matozinhos em 12/04/55, que era irmão gêmeo do lateral Luiz Cosme. Lívio estreou no Cruzeiro em 1976, jogava de ponta de lança. Depois foi sendo emprestado a Londrina, Noroeste, São Caetano, mas, sempre voltando ao Cruzeiro. No final de 1982 o Cruzeiro lhe deu o passe e ele foi para o Brasil de Pelotas onde teve grande fase no Brasileiro de 1985 (4º lugar).
 João Duarte | Vit�ria | 16-02-14 10h49min
Ficou no Brasil até 1986, quando então se transferiu ao CSA de Alagoas. De lá voltou para o Atlético-PR em 1987. parece que teve uma contusão grave e parou com o futebol aos 33 anos de idade. Pelo que pude depreender vive em Londrina no Paraná. A sua melhor fase foi sem dúvida no Brasil de Pelotas por quem fez 186 jogos e marcou 20 gols.
 João Duarte | Vit�ria | 16-02-14 10h56min
Em resposta à Drª Celeste,
João Soares de Almeida Neto é o Joãozinho, filho do Joãozinho. Nascido em Beagá em 31/01/80. Teve um início promissor no Cruzeiro, porém, ainda na categoria júnior, sofreu uma contusão grave numa entrada criminosa de Cláudio Caçapa que atrapalhou seu início de carreira. Após se profissionalizar foi emprestado pelo Cruzeiro ao Ipatinga em 2000 e Santa Cruz em 2001. Voltou ao Cruzeiro onde participou das campanhas da Sul-Minas e do Supercampeonato Mineiro de 2002
 João Duarte | Vit�ria | 16-02-14 11h01min
Com a chegada de Luxa ao Cruzeiro vinha tendo suas oportunidades e o treinador pegando no pé dele, até que teve o caso da barriga de concreto, com Luxa falando que ele estava gordo e o afastando do elenco. Não ficou para a campanha da Tríplice Coroa de 2003. Foi emprestado ao Recreativo Huelva na Espanha, onde o pai dele fez misérias num torneio nos anos 70 e de lá voltou para o Fluminense-RJ onde atuou em 2003. Depois virou mambembe. Paysandu (2004), Litex Lovech da Bulgária (2004-2005)...
 João Duarte | Vit�ria | 16-02-14 11h06min
Da Bulgária voltou ao Brasiliense (2005-2006) onde foi campeão. Do Brasiliense foi para o Vitória onde teve sua melhor fase no futebol sendo artilheiro e levando o Vitória à Elite do futebol brasileiro. Teve uma rápida passagem pelo Monarcas Morelia do México e de lá foi para o Atlético-PR (2008 e 2009).
2009 : Ipatinga e Bahia
2010 : América-MG e Villa Nova
2011 - 2012 : Ipatinga
2013 : Noroeste e Ypiranga-BA
2014 : Botafogo de Serrinha ma Bahia (2ª divisão).
 João Duarte | Vit�ria | 16-02-14 11h09min
O Joãozinho tinha talento, mas, jamais poderia chegar onde o pai dele chegou. Tinha um problema sério... ser do contra. E era torcedor do Atlético-MG... O mais incrível é que na base do Cruzeiro jogava demais e foi titular na sub-17 e na sub-20. Só que teve fratura dupla numa entrada do Cláudio Caçapa, se não me falha a memória, num jogo da base em 1999. Aquilo ali atrapalhou demais a carreira dele. Ele também era ambi-destro como o pai, mais forte e menos veloz.
 PHDF | Brasília | 16-02-14 13h06min
Espero que hoje seja dia do R. Goulart e Everton Ribeiro. Nilton faz muita falta para este tipo de jogo.
 redmosk | Uberl�ndia | 16-02-14 15h55min
Parabéns Joãozinho um dos grandes da nossa historia!!! sobre o jogo de hoje,não gostei da escalação do time,tinha que entrar Henrique no lugar do Lucas Silva com entrada do Rodrigo Souza é confirmando contratação volante Willians Farias do coritiba Henrique deve sair do cruzeiro,deslocar Ricardo Goulart para centroavante nunca deu certo,não entendo nesta insistência do Marcelo,temos opções bem melhores só resta torce que de tudo certo!!!!!
 marco | Curitiba | 16-02-14 18h05min
Caro João, grato pela homenagem. E o clássico de hoje? Embora as galinhas tenham sido ligeiramente superiores no balanço, as melhores chances foram nossas. Alguns jogadores ainda não chegaram no nível do anos passado (casos de ER, Willian, Ceará, Egídio e Fábio) na minha humilde opinião. O empate foi melhor para nós. Cadê o Samudio? Espero ansiosamente pela evolução do time e o retorno do Nilton e do Borges.
 Celeste | Sorocaba-Itajub� | 16-02-14 21h41min
Obrigada Evandro e Joao pelas informaçoes. Sempre lamentei o fato do Joao filho nao ter se dado bem no time do Cruzeiro.Nao sabia porém dessa grave contusao e isso realmente atrapalha. O fato de ser zebrado, também nao sabia, deve ter dado azar.
 helioazulceleste | São Paulo | 17-02-14 09h07min
João, que bela coluna! Falar do Joãzinho e ainda descrever com riqueza de detalhes esta página heróica imortal, esta sim, tem que ser guardada pra sempre. Parabens ao Joãzinho pelos seus 60 anos, que Deus lhe dê muita saude e muita paz. Sobre o jôgo de ontem, por várias circunstancias achei que foi um bom resultado pra nós e agora o importante é o time se preparar para mais uma batalha na Libertadores.
 Beth Makennel | Belo Horizonte | 17-02-14 13h07min
Ei João, que bacana você fazer esta homenagem ao meu ídolo maior do Cruzeiro. Este craque de marca maior merece muitas homenagens. Vou, com sua permissão, mostrar abaixo, em homenagem a ele, uma poesia que fiz em 1976, justamente, para exaltar o meu grande craque ídolo Cruzeirense Joãozinho que tantas alegrias já me deu jogando pelo Maior de Minas.
 Beth Makennel | Belo Horizonte | 17-02-14 13h23min
…. Lá vai Joãozinho cheio de terna magia... fazendo dos campos um palco de show de bola com jogadas raras que fascinam a visão de todos... ... Lá vai Joãozinho... é como se uma fada de condão nesses breves momentos desse-lhe força e poder Penetra... recebe a bola.... E lá vai Joãozinho com ar de mandar... Dribla.... Passa.... deita e rola... Entorta os manes... .... E lá vai Joãozinho alterando o placar ...................
 Beth Makennel | Belo Horizonte | 17-02-14 13h25min
............. As suas jogadas magistrais Que vemos nos campos surgir Enfeitam o coração da gente Que faz a ti aplaudir Hábil e craque nas vistosas jogadas A mais linda arte o Joãozinho desata Em fecundas jogadas De lindas passadas Tabelas a curta Gols de Placa Parabéns meu craque maior Joãozinho. Muita saúde, felicidades milllllllll.
 helioazulceleste | São Paulo | 17-02-14 13h27min
Só agora, relendo meu comentário vi um erro em dose dupla. Entendam "Joãozinho"
 GeraldoFaria/Div | Divinópolis | 17-02-14 14h05min
João coluna expetacular!!! Joãozinho pra mim foi e sempre será o maior ponta esquerda do mundo, eu tive o privilégio de velo jogar pois frenquento o Mineirão desde de 1969. Lembro muito bem da decisão de 1974 quando o João depois de um cruzamento de Dirceu Lopes da direita veio do outro lado, quase no bico da pequena área estufando as redes cacarejantes. Nessa decisão de 77 eu fui nos dois últimos jogos, foi bom demais calar as frangas e essa mídia mandita.
 GeraldoFaria/Div | Divinópolis | 17-02-14 14h08min
Correção: mídia maldita.
 GeraldoFaria/Div | Divinópolis | 17-02-14 14h09min
Sensacional Beth!!!
 Marcelo Brasileiro | Vespasiano | 18-02-14 12h54min
Meu grande amigo João. Excelente a coluna sobre aquele, que também considero o MAIOR PONTA ESQUERDA que eu vi jogar. Era um fantástico jogador. Homenagem mais que justa. Com relação ao jogo do campeonato Mineiro, estava lá no Mineirão e vi nosso Cruzeiro "detonar" as franguinhas, BOM DEMAIS. Forte abraço, Marcelo Brasileiro.
 Rodrigo Ferrari | Pindamonhangaba | 18-02-14 14h30min
J.D. obrigado pela homenagem , e falar do Joãozinho é chover no molhado , como falou a Dra. Celeste , o Joãozinho foi o maior jogador que já vi jogar.E falando do passado , o jogo Cruzeiro 1 x Gaylo 0 em 22/02/76 ( que você citou na coluna) eu estava lá, o João deixou Getúlio no chão e cruzou para o Palha entrar de carrinho e fazer o gol do Tetra. Quase explodi de alegria , Mineirão lotado e vitória contra os gaylos é como você falou é bom demais .....Abraço.
 estrelado campeao | Ubá  | 18-02-14 23h07min
Grande João Duarte. Ótima e oportuna coluna, homenageando aquele que fez o gol mais importante da história do Cruzeiro(minha opinião). E lamentável que seu filho não tenha conseguido trilhar o mesmo caminho. Aí questiono se um técnico forasteiro tem qual ou quais direitos de afastar um prata da casa e candidato a ídolo. Nesse aspecto, se acontecer de novo, a diretoria não pode abrir mão do atleta(empresta sem passe fixado e quando o treineiro for embora o jogador retorna.
 estrelado campeao | Ubá  | 18-02-14 23h15min
Espero que tenhamos novas colunas homenageando outros grandes ícones da nossa história, nossos heróis que ajudaram a escrever nossas páginas heróicas imortais : Palinha(Vanderlei),Raul, Dida, Gomes I, Gomes II, Darci Menezes, Ozires, Nelinho, Piazza, Natal, Dirceu Lopes, Tostão I, Tostão II, Boiadeiro, Roberto Gaúcho, Nonato, Cleisson, Marcelo Ramos, Roberto César(por onde anda??? ), etc, etc, etc.
 estrelado campeao | Ubá  | 18-02-14 23h22min
Sobre a decisão do Mineiro, realmente inesquecível. Estava na casa de minha avó, em Cataguases e acompanhei tudo pela TV(preto e branco ainda). Parece-me que passou em rede nacional. Foi fantástico quando o Joãozinho fez o terceiro gol. Vibramos muito.
 jairoccuritiba | CURITIBA | 18-02-14 23h50min
acho que o Joãozinho foi injustiçado de não jogar a copa de 78,e aquele gol no Fluzinho, craque de bola,o maior ponta esquerda que eu vi jogar!!!!!!
 Força-Azul | Santos | 21-02-14 19h15min
Fantástica e emocionante a poesia da Bete Makennel acima. Parabéns ao nosso maior ponta esquerda Joãozinho!
 Força-Azul | Santos | 22-02-14 21h18min
Cruzeiro 3 x 1 Boa - Muito bom jogo e demostra que o nosso Cruzeiro tem um excelente plantel. Pra mim os destaques do jogo foram Luham - melhor partida improvisado na esquerda; Henrique - desde que voltou esta foi sua melhor partida; Marlone - muita movimentação, muito boa visão de jogo e bastante inteligente nos passes, já vai deixar uma dúvida para MO quem escalar para a Libertadores e o garoto Elber: tem muita velocidade e dribla muito fácil. Nesta homenagem a Joãozinho imagino que ele ...
 Força-Azul | Santos | 22-02-14 21h21min
Imagino que o Elber possa ver um pouco dos vídeos do nosso genial João. Às vezes me parece que ele abaixa a cabeça demais. Precisa aprender a ser mais altivo a partir com mais decisão e apostar em seu potencial. Não vai ganhar todas é claro, mas quando entrar na área vai fazer gols e dar passes para outros. Força Elber! Finalmente Marcelo Moreno desencantou. Ainda está visivelmente fora de sua melhor condição física, mas aos poucos vai recuperar e dar boas alegrias. É questão de tempo.
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 Notícias   
19/11 - 11h46 [0 coment.]
Cruzeiro prossegue no Brasileiro em busca de melhor posicionamento 

18/11 - 17h37 [0 coment.]
Líder da Superliga, Sada Cruzeiro vence clássico citadino por 3 a 0 

17/11 - 19h32 [0 coment.]
Cruzeiro assegura três dos seus cinco patrocinadores para 2018 

17/11 - 08h26 [0 coment.]
Jogadores do Cruzeiro começam a se manifestar sobre salários 

17/11 - 07h19 [0 coment.]
Sub23 faz campanha pífia e é eliminado do Brasileiro de Aspirantes 

16/11 - 19h02 [0 coment.]
FMF demonstra toda a sua parcialidade na tabela do Mineiro´18 

16/11 - 18h51 [0 coment.]
Zagueiro Manoel passará por tratamento o restante da temporada 

16/11 - 17h30 [0 coment.]
Zagueiro Léo lançará livro ´A Quinta Estrela` sobre a CopaBr´17 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Org© 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster