Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notícias   

ATENÇÃO COM SUA SENHA
Caso você tenha dificuldade com sua senha, peça uma NOVA. Se não receber uma nova, nos avise.
Blog Páginas Heróicas Digitais



Torcedor Cibernetico
A Dialetica Virtual x Real

16/02/2013 | Evandro Oliveira
A Banda

“... repórter e jornalista de qualidade tem que ver a banda passar, reportar e relatar o que vê a partir de seu ponto de observação...“

Tem um repórter, já aposentado, destes que não se fabrica mais no Brasil, que dizia mais ou menos assim... “... repórter e jornalista de qualidade tem que ver a banda passar, reportar e relatar o que vê a partir de seu ponto de observação, outro repórter, noutro ponto de observação, faz o mesmo... as pessoas que leem, ouvem ou veem aquilo que foi reportado, tiram suas conclusões, um bom repórter ou jornalista, não deve fazer parte da banda, se fizer, é mau jornalismo...”.

Dito e entendido esta analogia (não são muitas as pessoas que entendem de analogias e as usam com propriedade, fica, cada vez mais, assustador ver o que lemos e presenciamos. A mídia esportiva mineira não foge à regra ou analogia do repórter, talvez seja pior do que imaginamos.

Tomemos alguns episódios e manifestações publicadas e disseminadas a partir da reinauguração do Mineirão. O trabalho jornalístico, o trabalho de repórteres que prezam a análise do “andamento da Banda” parece que foi esquecido. Todos, sem exceção, queriam ser parte da notícia, queriam tocar na banda, nem que fosse para ser um batedor de pratos (com todo respeito aos músicos batedores de pratos).

O que temos visto de interpretações de borderôs, sem que os repórteres se mostrem minimamente qualificados para tal, o que temos lido de textos completamente passionais e parciais, travestidos de reportagem ou material jornalístico, assusta. Se ainda fossem neófitos e estudantes, ávidos por aparecer e fazer sucesso antes de trabalharem e mostrarem conteúdo, seria (será que seria mesmo?) compreensível. Mas temos visto alguns arroubos de gente supostamente instruída, de gente profissional há muitos anos. Coisa esquisita.

Um destes profissionais, na “guerra” entre notícias do Mineirão e notícias do Estádio do Horto, na “guerra” entre uns disputa de “... quem fez o melhor contrato ...” sem que quase todos sequer conheçam 80% das cláusulas contratuais sobre as quais estão “reportando”, afirmou que “... se o Independência tivesse 70 mil lugares, todos os ingressos seriam vendidos ...” logo após anúncio de que a partida válida pela Libertadores teve seus ingressos esgotados.

Ora... Ora... Ora... diria o falecido jornalista esportivo de Minas Gerais, ao ver nas matérias seguintes que, dos ingressos colocados à venda, uma boa quantidade não foi vendida e o público presente/pagante ficou muito aquem da capacidade do estádio do Horto. Mas então, como se fazem reportagens baseadas em dados ficcionais? Como se fazem reportagens onde tem mais gente querendo ser repórter atuante na banda do que repórter de verdade?

A cobertura da mídia sobre episódios do Mineirão versus Independência, com elevação de personagens ridículos à categoria de pop-stars foi das coisas mais deprimentes do período (quinzena). Ingresso com escudo de time trocado, filas por incompetência de quem não sabe gerenciar futebol, enganação de produtos anunciados e não-entregues, desrespeito ao consumidor, baixaria usando a mídia, afronta ao Estatuto do Torcedor e muitos outros foram tratados de maneira amadora e pueril.

Vamos de mal a pior, recentemente falamos sobre a existência, OU NÃO, de limites para esta situação. Parece que não existem limites para quem quer participar da banda em detrimento do compromisso jornalístico de reportar. Por isso, gosto imensamente da fotografia, vale mais do que mil palavras tendenciosas. Vou lá e fotografo, cabe a cada um tirar assuas conclusões, sem influenciar ninguém e sem querer participar da banda. Meus parabéns ao belíssimo trabalho dos repórteres fotográficos que nunca se confundem entreser reporter e ser colunista de opinião.


Evandro Oliveira e cruzeirense desde a decada de 1960 e costuma ficar zangado quando ve tolices na boca de cruzeirense, mas talha o sangue quando ve a midia manipulando cruzeirenses alienados e desavisados.
pyxis@cruzeiro.org

Leia também as colunas anteriores Torcedor Cibernetico

As opiniões e declarações aqui expressas são de inteira responsabilidade do autor. O Site Cruzeiro.Org não responde por nenhuma opinião assinada.

Comentários:  Clique aqui e faça seu comentário sobre a coluna

 Celeste | Sorocaba-Itajub� | 17-02-13 14h24min
A mídia mineira é mal intencionada, indutiva e veste uniforme zebrado.
 Orion | Não definido | 17-02-13 22h25min
Ceu, hoje li o jornal E.M. e digo "Jaeci é ridiculo". Sexta e Sábado o Hoje. Os caras são pateticanos duentes e alguns seguem a marala.
 Orion | Não definido | 17-02-13 22h26min
Digo marola.
 leonardohenke | Uberlandia | 18-02-13 18h08min
Evandro muito bem explicado. É por isso que me informo sobre nosso grande Cruzeiro, por este Blog, que foi criado por pessoas como vc e JD que nos deixam bem por dentro do time, sem falsas notícias. saudações celestes.
 Beth Makennel | Belo Horizonte | 20-02-13 11h32min
Pois é Evandro a coisa tá feia mesmo. Inacreditável o que vem fazendo a midiazinha rosinha aqui em BH para exaltar o clube que em nada orgulha MG e o falastrão Kanil que a mídia aliada transformou em rei. Já para o Cruzeiro, é só perseguição ás nossas coisas, ao Mineirão, ao nosso presidente, aos nossos jogadores e vai por ai. Insuportável midiazinha rosa. Não podemos nos calar. O que fazer então???
 pyxis | BHZ | 20-02-13 12h15min
Dra Celeste, algumas figuras da imprensa mineira são tão patéticas que até referenciá-las é uma forma de diminuir a nossa capacidade de raciocínio.
Ontem, O citado Jaeci Carvalho, produziu uma coluna tecendo loas ao filho do alcaide que ocupa, de maneira imoral, a SEcretaria da Copa. Um vexame. Vergonhosa a coluna e a defesa do futebol de Minas Gerais.
 pyxis | BHZ | 20-02-13 12h16min
Henke, obrigado.
 pyxis | BHZ | 20-02-13 12h17min
Oseias, muitas coisas envergonham. Não me apego a detalhes como alguém comemorando gol de seu time durante sua atividade profissional. COmemorar junto com jogadores já é um excesso pouco louvável. Mas que comemorem... desde que exerçam suas atividades com profissionalismo.
 pyxis | BHZ | 20-02-13 12h19min
Beth, "o que fazer"... ler os caras, ouvir os caras, mudar o canal de informação, giraro dial do rádio, ouvir outros, selecionar, informar-se, não repercutir coisas que entendemos serem falaciosas ou enganadoras, alertar os demais para as armadilhas que muitos caem... é isto. Se NÓS MESMOS não evoluirmos e sairmos deste chororô, estaremos sempre submetidos a este "poder" obscuros e pernicioso. Infelizmente, as iniciativas que vivi de termos alguma coisa independente, fracassaram... cont
 pyxis | BHZ | 20-02-13 12h22min
... pois o torcedor cruzeirense, em sua grande e esmagadora maioria, prefere dar audiência e comprar jornais deste pessoal do que apoiar os cruzeirenses nas iniciativas imparciais com o próprio Cruzeiro. É a dura realidade... muito cruzeirense é mais preocupado com estas briguinhas e picuinhas do que em evoluir e passar a fazer ESCOLHAS inteligentes.
Temos alguns cruzeirenses que escrevem em twitters e similares, que são piores do que aqueles que escrevem para o nosso adversário rural.
 estrelado campeão | Ubá  | 21-02-13 08h52min
Olá Evandro. Reconsiderei a questão de não mais comentar na sua coluna e aqui estou novamente. Afinal é uma incoerência ser católico, comungar Cristo e guadrar rancores. Mas na verdade não cheguei a guardar rancores, foi mais um ato de repúdio. E estamos na Quaresma, preparação para a Páscoa, época propícia à reconciliações. Peço desculpas pelas mágoas. Sobre a questão abordada na coluna, não existe ciência social neutra num país cuja sociedade é dividida entre classes. O jornalismo segue....
 estrelado campeão | Ubá  | 21-02-13 08h56min
O jornalismo segue esse mesmo diapasão. E o jornalismo esportivo ainda tem a questão da paixão clubística. Então, em Minas, temos dois movimentos esportivos : O atleticanismo e o cruzeiranismo. Um o bairrismo à atleticana, outro bairrismo à cruzeirense. Aqui é comum narrador cruzeirense narrar só jogos do Cruzeiro e alteticanos só do Atlético. Em outros estados, os principais narradores narram o jogo principal. Temos que crescer nesse aspecto, do contrário não ganharemos força fora do estado.
 estrelado campeão | Ubá  | 21-02-13 09h01min
Dou prioridade a esse espaço, quando quero saber notícias do Cruzeiro, e assito a outros órgãos com espírito crítico aguçado, coisa que muita gente tem dificuldade de fazer. Tem que haver um movimento entre a imprensa esportiva mineira, até no sentido de ganharmos mais forças fora do estado. Todos as TVs de Minas, com circulação estadual, são filiais de Rio e São Paulo. Minas já era pra ter um emissora própria. Veja o quanto pecamos na renovação do contrato com a TV.
 estrelado campeão | Ubá  | 21-02-13 09h06min
Em 2009 jogavam Cruzeiro x Atlético pelo Brasileiro, e a Globo(imagem gerada em Juiz de Fora) passou Sport x Fluminense( respectivamente 12 º e 14º da tabela. Minas tem que equacionar essa divisão de forças na mídia nacional. E necessariamente passa por um "reconcepção" de como trabalhar internamente. Aí realmente impera o atleticanismo. Nunca vi um jornalista mineiro classificar o Cruzeiro como a principal força do estado, embora tenhamos o triplo reconhecimento da imprensa argentina, chilena..
 estrelado campeão | Ubá  | 21-02-13 09h12min
Sobre o episódio do Mineirão X Independência, a mídia, ou melhor o atleticanismo, foi super precipitado. Vejam o quanto estão arrpendidos agora. Fizeram um bom time para a Libertas e estarão limitados a 20 mil pagantes por jogo. Foi ridículo a posição de parte da imprensa e creio que essa atitude poderá custar a releição do Kalil, o que já é problema deles. Viva o Dr. Gilvan, que vislumbrou um outro futuro, tal qual fizera Felício na década de 60.
 estrelado campeão | Ubá  | 21-02-13 09h15min
A única coisa que não engoli , mas que nã tem nada a ver com a matéria , foi a redução drástica da capacidade do Mineirão. Um absurdo. E se o Cruzeiro chegar a 80 mil sócios(1% dos 8 milhões de torcedores)? Como ficará a questão da utilização em uma grande decisão? Ainda não encontrei resposta para esse questionamento. Abraços de confraternização.
 pyxis | BHZ | 27-02-13 09h42min
Estrelado Campeão,
Interessante saber da sua consideração e da sua Reconsideração.
SObre seus outros comentários, em especial sobre a capacidade do Mineirão, acredito que nem todos SF são para ir ao estádio sempre. POr isso o Inter e Gremio tem muitos mais SF do que capacidade nos seus próprios estádios. Espero o Cruzeiro com 40mil SF até o final do ano, em dia e FIDELIZADOS. Estamos no caminho certo.
 Lista/Chat Cruzeiro 

Assinar Lista-Cruzeiro

 Publicidade 

 Notícias   
19/11 - 12h33 [1 coment.]
Sada Cruzeiro FA vira nos minutos finais e garante-se no Brasil Bowl 

19/11 - 11h46 [1 coment.]
Cruzeiro prossegue no Brasileiro em busca de melhor posicionamento 

18/11 - 17h37 [1 coment.]
Líder da Superliga, Sada Cruzeiro vence clássico citadino por 3 a 0 

17/11 - 19h32 [1 coment.]
Cruzeiro assegura três dos seus cinco patrocinadores para 2018 

17/11 - 08h26 [1 coment.]
Jogadores do Cruzeiro começam a se manifestar sobre salários 

17/11 - 07h19 [1 coment.]
Sub23 faz campanha pífia e é eliminado do Brasileiro de Aspirantes 

16/11 - 19h02 [1 coment.]
FMF demonstra toda a sua parcialidade na tabela do Mineiro´18 

16/11 - 18h51 [1 coment.]
Zagueiro Manoel passará por tratamento o restante da temporada 

>> Mais noticias

Cruzeiro.Org© 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster