Gilberto: “Foi o maior erro da minha vida”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 30 de janeiro de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros sobre o Real Potosi 1×1 Cruzeiro, em 27jan10, no Estádio Victor Ugarte, em Potosi, Bolívia, pela fase classsificatória da Libertadores da América 2010.

  1. Fábio, goleiro do Cruzeiro: Mesmo com o empate no final, o resultado foi bom pelo gol fora de casa, que na Libertadores conta muito. Temos que ter mais concentração, mais determinação pra fazer um bom jogo em e conseguir a classificação em Beagá. Não vi o lance do Gilberto. Estava prestando atenção na jogada. Somente quando chegar no hotel vou ver o lance. A gente apóia totalmente o Gilberto em todos os momentos. O grupo correu por ele, como ele já correu várias vezes pelo grupo.
  2. Henrique, volante do Cruzeiro: A equipe conseguiu suportar bem todas as dificuldades aqui. Agora, decidir em casa é nosso dever.
  3. Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: Foi bacana pelas circunstâncias do jogo. Se o Gilberto não fosse expulso a gente saía com o resultado amplo, mas graças a Deus conseguimos marcar bem. Infelizmente sofremos um gol no finalzinho, mas está bom pra gente levar pra Minas. Gilberto não comentou nada comigo, ele deve estar muito triste. Até porque quando acontece uma expulsão dessas a gente procura nem conversar muito com a pessoa, porque fica muito triste. A gente deixa ele refletir o que aconteceu. A equipe mantém dentro de campo. A gente procura nem comentar. Eu consegui fazer um bom trabalho e estou torcendo muito pra continuar assim. Espero continuar fazendo gols pra ajudar o Cruzeiro. O Adílson já tinha falado que íamos jogar eu e Kleber, por causa da característica de prender a bola na frente e conseguimos fazer isso no 1º tempo. Todo mundo já sabia. A gente sabe como o Adílson trabalha e como a comissão trabalha. Agora é trabalhar forte durante a semana pra estar sempre jogando e ajudando os companheiros.
  4. Marquinhos Paraná, volante do Cruzeiro: Conquistamos um bom resultado. Poderíamos ter saído com a vitória, mas valeu pela determinação do grupo, que desde o começo do 1º tempo jogou com um a menos. E aqui não é fácil.
  5. Gilberto, armador do Cruzeiro: Tenho que pedir desculpa à minha mãe, que me ensina a ser uma pessoa correta, que sirva de exemplo, e às minhas filhas, porque eu sirvo de exemplo pra elas também. Realmente, tomei uma atitude que não é minha e acabei prejudicando a equipe. Jogar em uma altitude de 4.000m com um homem a menos não é fácil. Vai ser difícil pra me recompor agora, depois de 15 anos como profissional é a primeira expulsão que eu tenho por esse tipo de agressão física ao adversário. Infelizmente aconteceu. A gente é passível de erro e talvez eu tenha cometido o maior erro da minha vida ontem de ter agredido o atleta do Real Potosí. Eu estava tão transtornado ontem que não tive tempo nem de pedir desculpas aos jogadores. Eu estava muito chateado. Foi uma atitude insana, impensada, de uma pessoa desequilibrada, coisa que eu não sou. Não tem justificativa. Eu peço desculpa por ter deixado a equipe em uma situação tão complicada. Era um jogo decisivo pra nós e acabei tomando esse tipo de atitude. Não há justificativa pro meu ato. Qualquer punição que venha a existir, tenho plena consciência da minha responsabilidade e assumo qualquer multa. Aceitarei qualquer punição que a direção venha a tomar. Até porque isso não pode se repetir com nenhum outro jogador do clube.
  6. Adilson Batista, treinador do Cruzeiro: Enquanto estava 11 contra 11, o Cruzeiro tinha o controle do jogo, criou mais situações, foi inteligente e poderíamos ter feito o 2º gol. Depois, com a expulsão, evidentemente tivemos algumas dificuldades, mais com a bola alçada. Fizemos várias linhas de impedimento, o Fábio fez algumas defesas, mas nada cara a cara. O objetivo era vencer, mas vamos levar a decisão pro Mineirão. Temos tudo pra conseguir o objetivo. Acho que teríamos condições de vencer. O Kleber segurou muito a bola, o Wellington foi importante, o Henrique roubou bolas, correu e ‘salvou’ todo mundo. Todo mundo tem a sua importância, mas é evidente que acaba sobrecarregando. Se estivéssemos com o Gilberto, poderíamos ter saído com a vitória. Aconselho a todos os brasileiros que venham jogar aqui que se preparem um pouquinho antes. É importante. Podemos falar em função da nossa vinda em 2008, da dificuldade que tivemos. É parabenizar o Cruzeiro, enaltecer principalmente a direção, pela organização e planejamento. Esse é o Cruzeiro. Nós precisamos conversar com o Gilberto, mas com calma. Ele é um jogador experiente, atleta muito profissional, um cara correto. O grupo gosta dele e a gente tem um carinho e um respeito. Vamos conversar para que a gente não cometa mais.
  7. Eduardo Maluf, diretor do Cruzeiro: Tenho certeza que todos vocês sabem qual a decisão que a diretoria vai tomar. Não preciso falar aqui. O resultado foi bom e a expulsão do Gilberto foi com um cartão só. Então, não precisa perguntar. Tem anos que o Cruzeiro toma a mesma postura nesse tipo de situação.
  8. El Deber, jornal boliviano: O Real Potosí apenas empatou com o Cruzeiro na primeira partida da chave 4 da primeira fase da Copa Libertadores da América. Com este resultado, o ‘Lilás’ minimizou suas chances de avançar para a fase de grupos do torneio, pois para isso precisará vencer o jogo de volta, no Mineirão, na próxima semana.
  9. El Potosí, jornal boliviano: Em uma noite fria, com um futebol pouco técnico e desprovido de emoção, o Real Potosí cedeu um valioso ponto ao Cruzeiro no início de sua participação na Copa Libertadores da América, ao colher um pálido empate em 1×1.
  10. Leandro Mattos, em seu blog: Não foi fácil. Jogo na altitude de 4 mil metros, com um homem a menos desde a metade do primeiro tempo. A expulsão infantil de Gilberto complicou a tarefa estrelada na Bolívia, numa noite que começou sob medida, com um gol logo aos sete minutos de partida. O empate por 1 a 1 garantiu ao Cruzeiro a vantagem de jogar por um empate sem gols dentro de casa, na próxima quarta-feira, contra o ingênuo e limitado Real Potosí, para fincar o pé na fase de grupo da Libertadores da América. Depois de marcar seu tento e perder o camisa 10, a Raposa soube dosar o jogo no restante da primeira etapa, mas correu muito perigo no segundo tempo e poderia ter saído de campo derrotada, não fosse mais uma das grandes noites de Fábio. Num jogo atípico como esse, as avaliações não devem ser severas. O resultado foi importante, embora tenha deixado um certo tom de amargo, após o esforço para fazer prevalecer a igualdade até os 43 minutos da etapa complementar. No próximo dia 03, os celestes têm tudo para carimbar a chance de buscar o tri da competição continental, com casa cheia.
  11. Lédio Carmona, em seu blog: Não há análise técnica ou tática a ser feita sobre a partida que terminou empatada entre Real Potosi e Cruzeiro (1 a 1), a 3.967 metros acima do nível do mar. É difícil jogar nessas condições. Se em Quito, a 2.800m, já complicado, imagine nas montanhas bolivianas. Assim mesmo, a Raposa teve a partida sob controle quase o tempo inteiro. Principalmente nos 20 minutos iniciais, quando marcou adiantado, expôs a incompetência do adversário e fez 1 a 0, logo aos 7min, com Wellington Paulista – agora, na corrida particular com Kleber, WP tem 27 gols com a camisa azul, mesmo número do Gladiador. O jogo se complicou um pouco a partir dos 21 minutos. Nesse momento, Gilberto, mesmo com 33 anos e uma Copa do Mundo nas costas, perdeu a cabeça, entrou na pilha de um boliviano e devolveu com um soco. Foi expulso. E tirou a sobra de fôlego que a Raposa ainda tinha. Assim mesmo, o primeiro tempo terminou sem nenhum susto. No segundo, o time  recuou. Não havia mais gás para marcar na frente. E ficou ainda mais exposto quando Wellington Paulista saiu machucado e o time perdeu o contra-ataque. E mais pressionado ficou quando Kleber saiu. Aí Fábio apareceu bem. No fim, Thiago Ribeiro entrou, passou a correr e contou com a ajuda de Marquinhos Paraná, experiente e gastando a bola. Mas Correa, aos 43 min, explorando mais uma falha da defesa – Leonardo Silva e Diego Renan sentiram demais os efeitos da altitude -, empatou. E assim terminou: 1 a 1. Nada demais. Bom resultado. Em casa, no Mineirão, o Cruzeiro só não goleará o Real Potosí, fraquíssimo e sem malandragem (11 impedimentos na partida) se não quiser. Na prática, a distância entre a técnica cruzeirense e boliviana é de, digamos, 3.967 metros. E, nesse aspecto, observado bem ao nível do mar, não haverá salvação para a turma da altitude. Com todo respeito, o que tivemos hoje não foi jogo. Foi algo parecido, mas muito longe de ser agradável de ser visto e, principalmente, sentido.
  12. Mauro Beting, em seu blog: Poderia ter sido muito melhor e mais fácil. Bastaria um ótimo e experiente jogador como Gilberto não perder mais uma vez a cabeça por nada, e com apenas 20 minutos. Ser atuar na altitude é jogar “com dois a menos”, como definiu de véspera Adilson, imagine com “oito”. Ainda assim, 1 a 1, lá no inferno do céu, está ótimo. O Real Potosí não tem como aprontar no Mineirão. Falta tudo na altitude. Falta oxigênio. O que até justifica a bobagem de Gilberto. É possível perdoar. Mas quase perde muito mais o Cruzeiro, que teve atuação melhor que o esperado onde pouco se pode aguardar. E com a ousadia de pressionar o rival, numa bem bolada e feliz blitz inicial. Insisto. Na altitude, relevo tudo por conta do relevo imponente. Com qualquer time. Mas o Cruzeiro tem tomado gol demais no fim. Para não ir longe, no BR-09, levou do gremista Herrera, aos 46min. Cristian, do Avaí, no mesmo minuto, havia feito o mesmo estrago. Ramón, aos 40, Roger, aos 43, pelo Vitória, em agosto. Carlinhos Bala, do Náutico, aos 53… Uma explicação? Desatenção é a mais fácil. Mas pode estar na origem de tudo, e desde 2008: o Cruzeiro é um dos times que menos desarmam no país, Números do Footstats. É preciso sanar isso. Algo que, historicamente, Adilson reconhece a deficiência celeste. E ainda não conseguiu sanar, apesar do ótimo desempenho em dois anos. Elicarlos fez uma boa partida. É uma opção interessante em algumas circunstâncias. Como Jonathan atuando mais à frente.
  13. Mário Marra, em seu blog: O resultado de empate é para ser comemorado pelo Cruzeiro? Claro que sim! É preciso analisar o contexto em que o jogo estava envolvido. Início de temporada, altitude muito elevada, jogo decisivo, frio excessivo e um certo trauma pelo que já aconteceu, lá mesmo, em 2008. Agora é decisão no Mineirão. Será que os jogadores do Real Potosí metem medo? É possível imaginar um resultado diferente de uma vitória no Mineirão? O Cruzeiro deve vencer e tem tudo para conquistar uma boa vitória em casa. Alguns outros pontos merecem uma atenção especial: a expulsão do Gilberto foi infantil e passível de punição. Gilberto poderia ter usado a experiência adquirida nos gramados do mundo. O adversário tomaria cartão amarelo e estaria tudo em paz. Entretanto, Gilberto tomou uma decisão altamente reprovável e agrediu um adversário. Se fosse o Diego Renan, pela juventude e inexperiência, eu até entenderia, no entanto, foi o mais experiente da equipe. Outro ponto que merece reflexão é o fato de o Cruzeiro ter deixado de atacar no segundo tempo. Adilson sabe o elenco que tem. A aposta foi na puxada rápida de contra-ataque e em neutralizar o setor de criação dos bolivianos.
  14. Vitor Birner, em seu blog: A altitude de Potosí é a arma do Real. Isso foi visto aos 2 minutos, em chute de muito longe, que foi para a lua. Arriscar de fora da área seria a estratégia mais utilizada pelo ataque boliviano. O Cruzeiro, porém, abriu o placar aos 6, e se tranquilizou na partida. Kléber começou jogada pela esquerda, e Wellington Paulista foi frio na conclusão. Elicarlos, atuando na lateral direita, foi discreto e não subiu. Pedro Ken, como volante pela direita, protegeu bem o setor. Marquinhos Paraná fez o mesmo pela esquerda, onde Diego Renan foi opção presente no ataque. Aos 20 minutos, Gilberto revidou com um soco uma falta forte que sofreu de Yecerotte. Expulsão correta, atitude injustificável do único meia da equipe na partida, e o mais experiente do Cruzeiro. Ainda assim, e mesmo com a substituição no Potosí, que colocou o avançado e aberto Corrêa em campo, a Raposa jogou melhor. Valorizou a posse de bola, não deu espaços, e ousou no campo de ataque. Sempre que o passe saiu certo, o time da casa passou sufoco. Um susto aos 32, quando a bola bateu na trave de Fábio, foi o que de melhor o real fez no 1° tempo. O resto foi chutão e uma tentativa frustrada de explorar algum temor do rival. Na etapa final, Jonathan entrou no lugar de Wellington, e ajudou o lado direito a se proteger, liberando Pedro Ken um pouco mais. Pouco tempo depois, Thiago Ribeiro entrou no lugar de Kléber, cansado. Os 45 finais, no entanto, foram sem sabor para o Cruzeiro. Fábio teve atuação muito madura e foi bem sempre que exigido. Aos poucos o controle defensivo foi se perdendo, e a pressão boliviana aumentando. Quando o atacante Florentín veio a campo para os 15 finais, a pressão aumentou até atingir o limite do suportável. Fábio teve que repetir mais duas boas defesas, e o Cruzeiro apontou claramente a estafa. A 3 minutos do fim, a defesa falhou, 3 jogadores foram pra cima de Eguino, e este serviu Corrêa, que igualou o placar. A pressão não parou e foi possível imaginar a virada. Acabou razoável para o time brasileiro. Pelo 2° tempo desgastante e pela expulsão de Gilberto, o 1×1 é administrável no Mineirão. A circunstância do jogo, e a altitude também, minimizaram a maior característica do time de Adílson, que é a movimentação. O dono da casa não mostrou, entretanto, credenciais para conseguir um feito nos 90 minutos que faltam.
  15. Gustavo Sobrinho, no PHD: O Cruzeiro aplicou o a famosa “duas linhas de quatro”, com o Gilberto fazendo o corredor esquerdo e o Pedro Ken o direito. Com a expulsão do Gilberto, o Wellington Paulista imediatamente foi cumprir a mesma função do volante.  Jonathan, quando entrou em campo, passou a fazer o corredor direito e o Paraná o esquerdo.
  16. Rosan Amaral, no PHD: Não dá pra entender é torcedor criticando atuações individuais como as do Leonardo Silva e do Marquinhos Paraná num jogo a 4 mil metros em que o time teve um atleta expulso aos 20 do 1º tempo. Com o devido respeito, não é opinião, é palpite infeliz.
  17. Leo Vidigal, no PHD: O Cruzeiro jogou com inteligencia e está trazendo um bom resultado, que poderia ser melhor, mas, dadas as circunstâncias, foi bem demais. O time está de parabéns, juntamente com a comissão técnica, que fez um ótimo planejamento. Agora é empurrar o time na quarta para mais uma partida difícil, porque vai ser o jogo da vida dos caras, mas que com certeza será mais uma página heróica imortal, como foi hoje.
  18. Douglas Sorocaba, no PHD: Quantas bolas o time do último andar alçou na ãrea do Cruzeiro? Já pensaram se a mira dos caras fosse um pouquinho melhor? Será que todos vocês estariam aqui elogiando a preparação, os jogadores e comissão técnica pelo resultado? Creio que não… Então, pra mim, ficou uma lição: não jogamos tão bem assim, pois quando temos que contar com a incompetência do adversário pra obter resultados, é porque a coisa não tá tão tranquila assim. Temos sim que ficar aliviados, porque jogar lá é desumano, e teremos grande vantagem em Beagá. Alguns vão dizer que “se” não entra em campo, que “se” não ganha jogo, etc. Sei disso, só estou fazendo uma análise mais fria do jogo.
  19. Palmeira, no PHD: Dificuldades com altitude à parte, o joguinho foi de dar “calo nos óio”, fraquim, fraquim. O que valeu foi a vontade e o espírito de luta. O resultado não preocupa porque o Potosi tem caixa para levar meia dúzia e certamente será goleado. Não poderia deixar de esculhambar o Gilberto: apesar dos 33 anos, ele foi imaturo, irresponsável, insano, inconsequente, insensível, indolente, indecente, incompetente e mais um monte de “in”. No final do Brasileirão do ano passado foi expulso por desrespeitar o juíz e agora apronta mais este absurdo que, por pouco, não comprometeu todo o esforço do time no ano passado. Ele deve ser severamente punido com multa significativa. Estádio não é ringue e ele não é lutador de telekete.
  20. Dylan, no PHD: O empate foi bom resultado. O time estava muito determinado e tranquilo. O lado esquerdo da defesa continua a sr um flanco e os gols, a exemplo do ano passado, continuam saindo por ali. Pela consistenca durante o jogo e pela cabeçada que defendeu no apagar das luzes, Fabio foi o melhor em campo. Gilberto foi irresponsável, mas a diretoria tem que ser inteligente e tratar o caso sem grandes alardes ou sem querer fazer dele um exemplo. Aplica uma multa, impõe uma advertência e bola pra frente.

83 comentários para “Gilberto: “Foi o maior erro da minha vida””

  1. Celso Libertadores disse:

    21. Celso Libertadores, no PHD: Todos de acordo: foi um ótimo resultado. O time mostrou-se unido e organizado. Não permitimos o adversário se impor e isso foi muito importante. Eles também se prepararam bastante para esse jogo. Se a gente tiver a mesma seriedade no jogo de volta, as chances de sucesso são altíssimas. A manutenção do elenco e do treinador merecem ser enaltecidas. Esse ano promete bons resultados. Que assim seja.

    • Celso Libertadores disse:

      ot: Tiago Fernandes é campeão juvenil do Australian Open e faz história no Brasil. É primeiro tenista do país a conquistar um Grand Slam desse categoria.

      • Jorge Santana disse:

        Celso, taí um presentinho procê. Este deputado é chavista e politicamente correto. Como vc. – Deputado mexicano faz piada com ajuda enviada ao Haiti (AE-AP / Agencia Estado) MÉXICO – Um deputado federal do México, membro do principal partido nacional de esquerda, criticou os haitianos e afirmou que eles têm abusado da ajuda recebida. Segundo reportagem de hoje do jornal “Reforma”, o deputado Ariel Gómez, do Partido da Revolução Democrática (PRD) disse, em um programa de rádio, que “como todos (os haitianos) são negros e se parecem, deveriam ser marcados com uma tinta indelével para que não seja repetida a ajuda”. Ele acrescentou que os haitianos não mostram “caras de necessidade”, mas de “insaciável abuso” nas imagens apresentadas pelos meios de comunicação. A imprensa mexicana informou que o comentário foi feito porque ele ficou inconformado com o fato de que um dia do seu expediente foi descontado para ajuda humanitária aos haitianos. Mais tarde, o deputado afirmou que tudo não passou de uma brincadeira e pediu desculpas ao embaixador haitiano no México. O embaixador Robert Manuel, da representação diplomática do Haiti no México, havia viajado para o Haiti, mas o deputado entrou em contato com ele. Os representantes do PRD na Câmara dos Deputados reprovaram, em comunicado, os comentários de seu deputado e assinalaram que “será exigido que ofereça uma desculpa pública por seus comentários evidentemente discriminatórios”. Após a divulgação de seus comentários, o legislador falou à rede “Televisa” e assegurou que não é racista e que os comentários foram uma brincadeira feita sem má-fé. “Estou sendo muito penalizado por esse acidente. Na cabine da rádio, não desliguei o microfone e o que foi ouvido foi uma brincadeira. Nós, mexicanos, sempre rimos e fazemos brincadeiras com a vida, e estávamos fazendo uma brincadeira que foi ao ar”, disse ele. “Não sou racista, porque primeiro meu pai é moreno. Não posso ser racista, porque em minha casa tenho um homem que amo e que é moreno”, afirmou.

      • Celso Libertadores disse:

        Legal, obrigado. Vamos somar mais um politicamente correto nessa história: Jorge Santana.

      • Jorge Santana disse:

        Se tiver que ouvir berimbau, tô fora…

      • Celso Libertadores disse:

        Hehe. No máximo um violino austríaco.

      • Jorge Santana disse:

        Se for um violino executado pelo mala do Andre Rieu, tô fora tb.

      • Celso Libertadores disse:

        O objetivo é te agradar. Não se preocupe.

      • Jorge Santana disse:

        Então, vamos de Ella & Louis.

      • Naldo disse:

        Maravilha! Vida longa ao Tiago Fernandes com um grande futuro no tênis.

    • Eduardo Arreguy Campos disse:

      Todos quem, estrangeiro? Pra mim não foi ótimo resultado. Pelas circunstâncias, um resultado razoável. Aquele time do potosí não ganha do meu time de pelada.

  2. Radicchi disse:

    Jorge, queria ir no jogo contra o Ipatinga – são 11 anos longe do Mineirão, mas acho que não vai dar…. meu vôo para Curitiba está marcado para 21:00! Será que o Raposão nåo me daria uma carona de helicóptero do estádio até Confins?

  3. Radicchi disse:

    hum… sera que da tempo de voltar no bairro cidade nova e depois ir para confins? acho que nao posso fazer checkin pela web pois precisarei despachar bagagem…

  4. Pode sim.. fazer o check-in pela Web com bagagens vai ser mais rápido, sugiro arrumar uma carona e deixaras bagagens dentro do carro e partir para Confins… “mineiro nunca perde o trem..”, se estive-se aí te dava carona… mais estou em Uberlândia… Quem se habilita a ajudar o nosso amigo?

  5. reinaldo disse:

    Segundo o Maluf o contrato do Roger termina só no fim de abril.!!! Ele vai tentar a liberação antes(parece piada). Com a saída o Kleber, e a incógnita do Farias, até lá a vaca da Libertadores já pode ter ido para o brejo.

    • RAUL MIRANDA PENNA disse:

      É realmente inacreditável. Alegaram que, para anunciar uma contratação, depende da permanência na Libertadores. Anunciam a contratação de um jogador que só pode vir em fins de abril, sendo que a última partida da fase de grupos é em 15/04 lá em Santiago.

      • vidotti disse:

        As Oitavas-de-final da Libertadores serão em: 28 de abril a 5 de maio
        As Quartas-de-final serão em: 12 a 20 de maio
        Se esse Roger vai chegar SOMENTE NO FINAL DE ABRIL para que ele foi contratado?! Se é assim essa merda de diretoria podia ter esperado a janela do meio do ano e contratar melhor. Essa contratação NÃO IRÁ RESOLVER O NOSSO PROBLEMA do substituto do Gilberto, já que o Roger não vai poder jogar tão cedo. Olha que nem estou contando o tempo para a adaptação…

  6. Radicchi disse:

    Mauricio. Carona para ir e voltar do estadio eu tenho. Posso ir com a minha irma. A questao mesmo é as bagagens… tem 3 notebooks e outros trecos. Rola deixar no carro nao… xa queto, vou em outra oportunidade.

  7. RAUL MIRANDA PENNA disse:

    OT.: Não estou ouvindo (ou lendo) nada a respeito do Fabrício. Cadê ele? Agora, mais do que nunca, temos que ficar de olho por que a janela só fecha amanhã e para ele estar vendido pouco custa.

    • Mauro França disse:

      Fabricio está em recuperação, acho que foi estiramento. Se estivesse em condições, teria jogado em Potosi, como o Kleber jogou.

  8. Elias disse:

    Eita ferro…K30 é marrento mesmo.

    Perguntar não ofende II: Não era ele que queria sair, devido o acerto com o Porto? Peppe não tá mandando nada? Será que a pressão caseira prá ficar em Belzonte tá influindo? Negociação nebulosa….

    • RAUL MIRANDA PENNA disse:

      Recentemente, não vi (ou ouvi) nenhuma declaração do Kleber que ele queria sair. Pelo contrário, há cerca de uma semana atrás, ele deu uma declaração dizendo que queria ficar no Cruzeiro, para ganhar a Libertadores e ainda tentar, numa hipótese remota, uma vaga na copa da África.

    • reinaldo disse:

      Negociação nebulosa envolvendo os Perrella? Não sei porquê, mas não estou surpreso.

      • Mauro França disse:

        Vc já viu alguma negociação de jogador de futebol onde as partes declaram tudo à imprensa, todos os contatos, tod a negociação, etc etc? Onde tudo é feito ás claras? Hoje por exemplo é moda falar em grupo de investidores. O que é isso? E o que está nebuloso? Às vezes tá tudo explicado, mas a má vontade em entender é maior do que a razão.

      • reinaldo disse:

        Mauro França,
        Como acompanhamos os esportes americanos,sabemos os valores de contratos, negociações COMISSÕES, etc.
        Continuo achando que uma negociação nebulosa permite ganhos alternativos.
        E viva o Cruzeiro!

      • Mauro França disse:

        Pode ser, mas não posso falar do que não posso provar. Mas o fato é que vc coloca que as negociações do Cruzeiro são nebulosas, como se fossem só aqui, “culpa” exclsuiva do ZZP. Eu só chamo a atenção para o todo, ok?

    • Elias,
      O K30 é marrento. O Dioguardi é um %$#^&^%@#$%
      E você é teleguiado.
      Não pode ver um boato que corre pra ver o que tá acontecendo.
      Olha só… K30 desceu no voo em SP e NÃO VEIO para BH com o resto da delegação, aliás nem foi para o mesmo hotel que os jogadores foram. Marcou passagem para Portugal e se foi… capite?

  9. Ernesto Araujo disse:

    Pessoal, sabem porque o Evandro não postou nada até agora por aqui ???

    • Ernesto Araujo disse:

      O Perrella está negociando ele com uma grande organizada da Europa… O trabalho feito por ele junto ao Cruzeiro.Org impressionou um grande clube da Inglaterra que quer contar com ele para motivar sua torcida.

      • Ernesto Araujo disse:

        Segundo alguns Twitters, Evandro não quer ir de jeito nenhum mas as negociações estão bem adiantadas… Serão 9 milhões de Euros e mais uma meia dúzia de hooligans !!!

      • Eduardo Arreguy Campos disse:

        Diz que o negócio tá emperrando porque ele não abre mão de levar também a comissão técnica. Pôxa, se o Arcanjo for embora nós estamos fú. Perrella é fod4, viu!

      • Ernesto Araujo disse:

        Essa história da comissão técnica, ventilada também por outros Twitters, é só pra dificultar a negociação Arreguy. Nosso E-2 não quer ir de jeito nenhum, apesar da insistência do Perrella. Blogs e comunidades do Orkut dizem que a segunda opção seria o Jorge Santanta mas esse o Perrella falou que não tem interesse em vender pois ainda é muito jovem.

      • Celeste disse:

        O Evandro não deve ter se surpreendido nem um pouco com a saída do ex K 30. E eu também. E creio que também não fazia questão da permanência dele. E eu também. Nosso torcedor símbolo deve saber de coisas dos bastidores da Toca que nem fazemos idéia. A unica coisa ruim nessa história é a maneira como nossa diretoria faz as coisas. Andam muito atrapalhados.

      • Ernesto Araujo disse:

        Dra. Celeste, o Evandro, neste momento, tá na casa do Kléber, tentando convencê-lo a ficar. Pode ser a última participação do Evandro como torcedor do Cruzeiro nesta temporada !!!

      • Ernesto,
        Tem uma turma de cruzeirenses fazendo manifestação na porta do condomínio que o Kleber mora. Passei lá, fica pertinho aqui de casa, na Av. Tancredo Neves perto do Clube do Churrasqueiro. o único condominio-fazenda dentro de BH.
        Eu, como não acredito numa palavra do Kleber e seu empresário e como o descrédito com a diretoria do Cruzeiro (agora tão usando twitter para anunciar contratação que vai chegar em MAIO e tem torcedor me pedindo para arrumar autógrafo da esposa do jogador!) prefiro ouvir o que muitos insiders falam e tirar minhas próprias conclusões.
        Não falo mal de nenhum jogador que chegar agora e JOGAR. Jogador para vir em abril/maio é PALHAÇADA. Quanto ao Kleber, dizem que alguns dias atrás ele pediu para sair, diretamente ao ZZP.

      • Se dependesse de mim o Kleber não teria nem iniciado a temporada no Cruzeiro. Se depender de manifestação minha na porta da casa dele para ele ficar, ele já deve até ter ido embora (o Kleber ficou em SP e alguns torcedores foram pra porta da casa dele! tôsco demais).
        Além de atrapalhados, eu posso afirmar que as coisas não estão a “maravilha” que é passada por alguns órgãos e pela diretoria de comunicação.
        Um pequeno exemplo: O que o WPaulista fala para a mídia não tem absolutamente nada a ver do que ele fala para amigos, procurador e outros boleiros.

      • Jorge Santana disse:

        O direitos federativos do Evandrão pertencem ao PHD e estão sendo negociados com o PHE -Páginas Hilárias Emplumados-, blog que o Velho Damas está criando. Tá quase tudo acertado, faltando apenas o comprador colocar um Legacy na parada. O que não pode acontecer é nosso webmaster dar uma de Gladiador e entrar em parafuso na hora de se transferir para New Farm.

      • Ernesto Araujo disse:

        Não adianta querer bancar o Maluf e desconversar, Jorge !

      • É como escreveu o Wilson Flávio num comentário da sua excelente coluna “Nelsão e o Capitão Tagarela
        Meus direitos econômicos e federativos estão vinculados ao Cruzeiro.Org até 2021. Se depois disso alguém ainda se interessar….
        Aliás, não sei porque os cruzeirenses preferem ficar remoendo um monte de baboseiras ao invés de ler a BELÍSSIMA coluna do Wilson FLávio. Até quem não gosta de futebol a qualificaria como excepcional.
        Os caras preferem xingar, ofender, vociferar…

    • Ernesto,
      Postar sobre o quê?
      Affair Kleber?
      Affair Roger?
      Affair Gilberto?
      EMpate na altitude?
      Prefiro guardar minha bôca para comer minha farinha.

      E, ademais, a barra tá pesada porque a gente ainda tem que trabalhar para garantir o leite das crianças e ficar moderando e segurando marmanjos em blogs, comentários de Notícias, fóruns, listas de discussões.
      É impressionante como tem torcedor completamente desequilibrado por coisa pouca.

    • Naldo disse:

      Opção.

    • cruzorg disse:

      Ernesto,

      Outro motivo para não postar muito nestes dias é que estamos (a Equipe Cruzeiro.Org) nos dedicando a um espaço de debates mais perene e consistente. Um espaço onde as opiniões apresentadas não se percam em dias ou até mesmo horas. Onde as pessoas possam ler sobre algum tema com mais de dois parágrafos, refletir e escrever no mesmo nível.
      Visite http://www.portaldocruzeirense.com.br
      e se você se interessar por moderar/provocar algum tema, estamos abertos e aceitando moderadores/provocadores para debates, discussões e encaminhamentos.

  10. Celeste disse:

    Voltando à normalidade, finalmente. A vida continua. Torço para que a punição do Gilberto não seja muito longa. O ponto fraco do time foi realmente a zaga. Mas será que foi por que apanharam da altitude? A velocidade da bola lá é outra. Vamos esperar para ver o que o Leonardo Silva vai falar a respeito.

    • Mauro França disse:

      Estou totalmente com o seu comentario acima, Dra. Não me ssurpreendi nem um pouco com a venda do Kleber, a saida de pelo menos um jogador já estava anunciada há tempos e pelo historico o nome mais cereto era o Kleber. Também não vou chorar a sua saída, reconhecendo o seu comporttamento profissional dentro de campo e a sua importante colaboração nos torneios. Na minha opinião, o escarcéu feito pelos torcedores insatisfeitos é fora de proposito. Repetição do mesmo filme que já assisitmos em todas as negociações feitas nos últimos tempos. O que importa são as reposições, isso é o que tem que ser cobrado. E, num sentido mais amplo, a questao da viabilidade do clube, das formas de financiamento, assunto que o Jorge explorou no post passado.

      • reinaldo disse:

        Mauro,
        O que achou do fato do contrato do Roger nas arábias só terminar no final de abril? considera uma reposição adequada?

      • Mauro França disse:

        A negociação do Roger já vinha sendo feita bem antes da possível saída do Kleber (até agora, ele não acertou com o Porto). Não se trata portanto de reposição. O Cruzeiro sabe que ele tem contrato até abril e vai tentar antecipar a sua chegada. Qual é o problema? E se o Kleber for atacante, a reposição deve ser feita com outro atacante, e nesse caso seria o Farias.

      • Ernesto Araujo disse:

        Mauro, num post anterior, fiz um comentário a respeito do lado psicológico que o Kléber representa para o torcedor e para os adversários, ainda que ele não seja nenhum supergênio do futebol (tecnicamente falando) e disse que nenhum jogador, nesse momento tem carisma suficiente para ocupar essa posição. Qual sua idéia a esse respeito ?

      • Mauro França disse:

        O lado psicologico do Kleber pode tambem jogar contra. Basta uma provocação e a reação pode ser contrária, como aconteceu algumas vezes. Os adversario também sabem disso. Quanto ao torcedor, há poucos meses atrás a maioria pedia a cabeça do Kleber. Os humores mudam muito rapido. É um jogador que chama a atenção sim, que tem carisma. Mas ultimamente prefiro investir em jogadores de grupo, eficientes, sem preocupações pessoais acima do coletivo. Aposto na força do grupo mais do que em um jogador carismatico.

      • Mauro França disse:

        Ou em outros termos, prefiro um jogador carismatico do ponto de vista técnico do que psicologico.

      • Mauro França disse:

        Mas concordo que hoje não temos nenhuma das alternativas.

      • Eduardo Arreguy Campos disse:

        Mauro, a maioria pedindo a cabeça do Kléber é exagero. Pode até ser a maioria dos que frequentam o blog, mas acho que nem isso. Agora o torcedor comum e a criançada não estão nem aí se o Kléber pediu pra sair ou não. Nestas férias, o que vi de camisas do Kléber em outros estados nào está no gibi (será que alguém ainda fala não está no gibi?).

      • Eduardo Arreguy Campos disse:

        Não temos nenhum jogador com o carisma do Kléber. E ao meu ver, isto faz muita falta.

      • Mauro França disse:

        Falo da situação criada quando do jogo com o Palmeiras. Muita gente pediu a cabeça do Kleber. Ou não?

      • Mauro França disse:

        Arreguy, vem aí uma mudança pedida por vc…

      • Eduardo Arreguy Campos disse:

        Se for o que eu estou pensando, espero que tenha substituto. Ruim com ele, pior sem ele.

      • Mauro França disse:

        Não é isso…

  11. Branchio - LA2010: EU VOU! disse:

    Rui Branchio, no PHD: cheguei atrasado da aula de Krav Magá e acabei perdendo o gol e a polêmica expulsão. Apesar do baixo nível técnico, o resultado foi satisfatório. Cabe ressaltar o brilhante trabalho da comissão técnica que soube preparar o time para este jogo. O destaque negativo, novamente, ficou por conta do narrador e comentaristas globais. Todos péssimos, sem exceção. Eu, mesmo sendo frequentador assíduo do sofazão, ainda não me conformo com estas transmissões insossas. A única escapatória é botar um Radiohead para tocar enquanto a bola está rolando. A homenagem do comentário hoje vai para: Celso Libertadores, Othon TFC, Hugo Serelo, Walfrido, Binho, Tio Pezão e Tio Bananeira.

  12. matheus t penido disse:

    Mauro, até concordo com vc com relação aos efeitos da venda do Kleber. Mas o que me preocupa mais do que a perda do jogador é o modelo arrecadador recorrente do clube. Insisito que o modelo exportador já era e a tendência é só piorar. Ou vc acha que os europeus em crise vão topar pagar milhões por Robinhos da vida?
    E ai o que eu vejo é que o Cruzeiro parece naum desenvolver saídas pra isso, a naum ser vender mais ainda pra conseguir se manter. Qto tempo essa política vai aguentar? A tendência é que seja por pouco tempo……..

    • Mauro França disse:

      Matheus, veja o final do meu comentario: E, num sentido mais amplo, a questao da viabilidade do clube, das formas de financiamento, assunto que o Jorge explorou no post passado, falando do que é mais importante no momento. Por isso concordo inteiramente com vc, a necessidade de se encontrar fontes alternativas de arrecadação, já que o modelo exportador já era, é A questão mais importante.

      • Mauro França disse:

        E realmente o ZZP não tem feito ações nesse sentido, preferindo explorar até o fim esse filão exportador. Essa é a critica que tem que ser feita a ele. Mas por outro lado, acho que muito torcedor está mais disposto a reclamar do que em contribuir.

      • RAUL MIRANDA PENNA disse:

        Mauro, entendo que cabe unica e exclusivamente à Direção buscar os meios de viabilizarem o clube. É óbvio que toda contribuição, seja de que ordem for, será bem vinda.

  13. matheus t penido disse:

    Mauro, eu tinha falado do seu comentário sobre a parte técnica do Kléber. Mas o fato é que em ambos nós dois pensamos parecido, ao que parece.
    Infelizmente boa parte da torcida celeste axa que o Cruzeiro é um clube milionário e a cada venda de jogador ou não contratação de um cara desejado ficam estarrecidos, assustados . A tendência automática é atribuir a falta de poder econômico do time à desonestidade dos administradores, daí tantos comentários do tipo ” tá no bolso do Perrela” ou “a reposição será feita em bois no centro-oeste mineiro”.

  14. matheus t penido disse:

    Eu particularmente naum acompanho nada da admisnistração finaceira do clube nem tenho mta noção de como as finanças são geridas, mas dá pra perceber sem mto esforço que a cada dia as vendas estão menos lucrativas e consequentemente o clube perde poder econômico rapidamente. Daí o desepero pra vender qualquer jogador e o lenga-lenga que se torna qualquer contratação minimamente expressiva. Isso é preocupante e nesse ponto vejo uma gde culpa da direção do clube que além de não preparar saídas para a crise do modelo exportador(pelo menos aparentemente) tb não parece se importar em criar uma comunhão time/torcida.

    • Celso Libertadores disse:

      Acho o seguinte. Ser presidente do Cruzeiro é um cargo não remunerado. Da mesma forma a vice-presidência. Eu louvo o Zezé Perrela por estar à frente do clube por tanto tempo, abrindo mão de seu tempo de lazer e trabalho para doação ao Cruzeiro. Isso é um exemplo para todos nós. É muito fácil critica-lo. Quero ver quem irá dedicar 15 anos de sua vida gratuitamente, longas horas diárias, muitas viagens, ausências familiares e deixar de trabalhar por pura devoção e amor ao seu clube de coração.

      • Branchio - LA2010: EU VOU! disse:

        Realmente, Celso. E eu vou além: é muito comovente ver que toda a família tem este desprendimento. Pai, filho, irmão: todos unidos e com o coração aberto em prol do clube. Vale elogiar também o cunhado, o sobrinho, enfim, toda o restante da família que, apesar de serem remunerados, também empregam todos seus conhecimentos e energia para o engrandecimento do Cruzeiro Esporte Clube.

      • matheus t penido disse:

        Celso ser tão bonzinho………..

      • Celso,
        Você está errado. Ele dividiu parte desta filantropia com o Alvimar e agora está dividindo com o filho, que é funcionário (assessor) da Assembléia Legislativa de MG de onde tira seus proventos. Então, não coloque todos os méritos para o ZZP, divida com os outros bememéritos.

      • Celso Libertadores disse:

        Ok! De acordo, cruzorg. Generalizei! Você tem razão!

  15. Raf Lima disse:

    Pensei que esse rapaz tinha ‘dado linha’ da mídia esportiva, depois de ser demitido ao vivo em meados de 2004, pois o ‘Aecinho’ não gostou das críticas proferidas a ele na época. Mais uma opinião sobre esse imbróglio: http://esporte.uol.com.br/ultimas/multi/?hashId=kleber-vai-para-o-porto-04021A376CE4912326&mediaId=1229674

  16. Gleyton disse:

    Interessante a observação do Mauro Beting. O Cruzeiro foi um dos times que menos desarmou ano passado. Preocupante sabendo-se que os campeões normalmente são os times que mais desarmam e possuem as melhores defesas.

  17. Naldo disse:

    Tirante a expulsão do Gilberto, inesperada pra mim, o jogo transcorreu tudo nos conformes tudo dentro do que eu desejava. O fato pode até ter motivado o time a segurar o resultado que foi ótimo. O empate fará com que o time entre ligado no Mineirão buscando a vitória o que fatalmente ocorrerá.

  18. Naldo disse:

    Se o Evandro esta em BH, significa que no jogo da UPIS x CRUZEIRO hoje, ele não estará.

    • Acertou. Infelizmente, não posso comparecer ao vôlei, mas irei ao Mineirão. Esperava mais atençao do marketing do Sada-Cruzeiro e nào obtivemos atenção NENHUMA. Mas conversei com vários cruzeirenses, de vários espaços virtuais e devemos ter uma boa torcida no Ginásio do Cruzeiro.
      Faltará, certamente, uma faixa da EMbaixada Azul para ser exibida pela SporTV… vai ficar para uma próxima vez
      :-(

  19. Elias disse:

    Ao meu nobre amigo Evandro: “Elias,
    O K30 é marrento. O Dioguardi é um %$#^&^%@#$%
    E você é teleguiado.”
    Posso até ser. Afinal, minha paixão é abastecida pelo que a grande mídia noticia. E até o que o seu site informa.
    NÃO TENHO INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS QUE, POR EXEMPLO, VC TEM. Vamo lá…abra o jogo… faça com que fiquemos um pouco menos teleguiados …