Arquivo da Categoria ‘Números’

Os times (dos) capixabas

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Jorge:

Temos um grupo no Facebook, aqui no Espírito Santo, muito conceituado, chamado UTILIDADE CAPIXABA.

Ele promoveu uma pesquisa informal perguntando para qual time seus membros torcem.

Mais de mil pessoas votaram. Veja o resultado:

  • “Galera, pesquisa encerrada às 21h. Só coloquei times que tiveram mais de 15 votos. E só fiz a pesquisa para motivar empresários que podem investir no futebol capixaba. No momento, temos que torcer para times de fora, pois não há um time do nosso estado brilhando no futebol brasileiro, apesar da Desportiva e do Rio Branco, as maiores forças do futebol capixaba, terem ficado à frente de vários clubes grandes. Nosso estado é lindo, mas pouco divulgado e o futebol é uma porta de entrada para isto.” (O Pesquisador)
  1. Flamengo – 485
  2. Vasco – 201
  3. Cruzeiro – 89
  4. Fluminense – 87
  5. Botafogo – 68
  6. São Paulo – 51
  7. Desportiva – 35
  8. Palmeiras – 33
  9. Corinthians e AtléticoMG - 28
  10. Rio Branco – 18

Santos, VitóriaES, Serra, Internacional, Ponte Preta, Portuguesa, Tupi, Chapecoense, Grêmio e AméricaMG também foram votados.

Gil Campos

Os times dos governadores

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A nova safra de governadores e seus times de coração:

  1. Botafogo (RJ, DF, MA)
  2. Cruzeiro (MG, PI), Flamengo (RO, TO), Santos (SC, SP), Sem Time (ES, AP)
  3. Bahia (BA), Corinthians (MS), Fluminense (AC), Juventude (RS), Goiás (GO), Confiança (SE), Baré (RR), Remo (PA), Nacional (AM), Murici (AL), Botafogo (PB), ABC (RN), Santa Cruz (PE), Icasa (CE), Londrina (PR).

Nenhuma franga. Botafogo tem tudo pra tirar o pé da lama. Santos tem o maior PIB. Flamengo é time do mato.

Torcida do Sofá

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Deu no MÁQUINA DO ESPORTE, nesta segunda, 01set14:

Dez clubes mais citados na pesquisa do PPV feita pelo Ibope:

  1. Flamengo – 13,84%
  2. Corinthians – 9,77%
  3. São Paulo – 9,21%
  4. Palmeiras – 8,23%
  5. Grêmio – 8,17%
  6. Internacional – 6,87%
  7. Cruzeiro – 6,56%
  8. Vasco – 6,46%
  9. AtléticoMG – 5,94%
  10. Fluminense – 5,55%

A mesma pesquisa, em 2013: 1. Flamengo 14,64 /// 2. Corinthians, 12,65 /// 3. AtléticoMG, 8,51 /// 4. Vasco, 8,25 /// 5. São Paulo, 7,54 /// 6. Cruzeiro, 7,25 /// 7. Grêmio, 6,82 /// 8. Fluminense, 5,99 /// 9. Palmeiras, 5,56 /// 10. Internacional, 5,45 /// 11. Botafogo 3,88 /// 12. Santos 3,75 /// 13. Bahia, 3,02 /// 14. Vitória, 2,55 /// 15. Coritiba, 1,43 /// 16. Sport, 1,16 /// 17. AtléticoPR, 1,13 /// 18. Goiás 0,53.

Com 95% de certeza, a maioria é cruzeirense

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

MARCOS PINHEIRO

Muito barulho está sendo feito por conta da última pesquisa Ibope sobre torcidas publicada neste mês. Não havendo fraudes ou outras picaretagens do estilo, não podemos dizer que esta ou aquela pesquisa está errada porque as pesquisas informam probabilidades. O fato é que essa do Ibope não diz que a torcida do AtléticoMG é maior que a do Cruzeiro. Vamos as análises.

A margem de erro geralmente publicada nas pesquisas é a máxima esperada, que ocorre quando a estimativa é igual a 50%. A medida que a estimativa se afasta de 50%, a margem de erro diminui. Isto é lógico. Ilógico seria pensar que uma estimativa de 2% tem margem de erro de 3%, podendo variar de -1% a 5%!

Para calcularmos a margem de erro, utilizando uma aproximação pela distribuição binomial (podemos sempre fazer para populações grandes, maiores que 100 mil), considerando um intervalo de confiança de 95%, usamos a fórmula: ME = 1,96 x raiz quadrada [ p (1-p) / n ], onde p é o valor da estimativa e n é o tamanho da amostra.

Assim, no caso da pesquisa do Ibope (7.005 entrevistas), as MEs para as estimativas de Cruzeiro e AtléticoMG é de 0,4%, o que significa dizer que num nível de confiança de 95% não é possível dizer que a torcida do AtléticoMG é maior do que a do Cruzeiro nem o contrário. Configura-se, portanto, o empate técnico. Para o Ibope, há 95% do percentual real do tamanho da torcida do Cruzeiro estar no intervalo de 2,7 a 3,5% e, do AtléticoMG, de 3,1 a 3,9%. E há 5% de chance, para cada time, do percentual real estar fora dessas faixas.

Tudo é uma questão de probabilidades. Assim, 95% significa que, em média, em cada 20 pesquisas o valor real da estimativa estará dentro do intervalo de confiança e em 5%, não. É, portanto, oportuno analisarmos outras três pesquisas de torcidas publicadas recentemente, todas com menos de um ano.

Em dezembro do ano passado foram publicadas duas pesquisas: uma do Datafolha (2.588 entrevistas) e uma do Instituto Paraná Pesquisas (7.302 entrevistas).

Para o Datafolha, a estimativa do Cruzeiro foi 3,24% ou, considerando a ME com 95% de confiança, entre 2,56 e 3,92%. Já a estimativa do atlético-MG foi 1,88%, variando entre 1,36 e 2,40% com 95% de confiança. Ou seja, por essa pesquisa do Datafolha, como não há interseção entre os intervalos de Cruzeiro e AtléticoMG, podemos afirmar, com 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é maior que a do AtléticoMG.

Para o Paraná Pesquisa, sempre com os mesmos 95% de confiança, os resultados foram: Cruzeiro 4,16% [de 3,70 a 4,62%] e AtléticoMG 2,24% [de 1,90 a 2,58%]. Novamente, não há interseção entre os intervalos, portanto, também podemos afirmar, com 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é maior que a do AtléticoMG.

A última pesquisa do Datafolha, de junho de 2014 (4.337 entrevistados), apresenta um problema: é que o Datafolha publicou os resultados arrendondados, sem as casas decimais. Assim, deveremos acrescentar à ME o erro do arrendondamento. Os percentuais estimados de Cruzeiro e AtléticoMG foram de 3 e 2%, respectivamente. Como esses resultados foram arrendondados, o valor referente ao Cruzeiro poderia ser tanto 2,5 quanto 3,4. Assim, ao somarmos o erro de arredondamento (0,5% para baixo e 0,4% para cima) à ME, a estimativa do Cruzeiro é de 2% a 3,9% e a do AtléticoMG, de 1,1% a 2,8%. Verificamos que o erro de arrendondamento não nos permite concluir, por esta pesquisa do Datafolha de junho de 2014, se a torcida do Cruzeiro é maior que a do rival.

Mas um ponto de grande importância é que as duas pesquisas do Datafolha e a pesquisa do Paraná Pesquisas são compatíveis entre si. Há interseção entre os intervalos estimados para Cruzeiro e AtléticoMG. Mas a pesquisa do Ibope, em relação ao percentual estimado para o AtléticoMG, é incompatível com todas as outras três, mesmo considerando aquele intervalo alargado do Datafolha pelo erro de arrendondamento. Já em relação ao intervalo estimado para o Cruzeiro, a pesquisa do Ibope é incompatível apenas com a do Paraná Pesquisas.

Como já disse antes, não podemos dizer que a pesquisa do Ibope está errada por conta de sua incompatibilidade com as demais, pois a própria pesquisa afirma que há 5% de probabilidade de o valor real da estimativa está fora do intervalo de confiança.

Por outro lado, creio que nem preciso fazer muitos cálculos para percebermos que o intervalo estimado pelo Ibope para o tamanho da torcida do AtléticoMG está acima do valor real. Percebam que essa pesquisa do Ibope entrevistou pessoas a partir de 10 anos, enquanto as demais, a partir de 16 anos. Mas essa torcida do Ibope afirma que a torcida do Cruzeiro é a 4ª maior do País entre as pessoas de 10 a 15 anos, à frente do AtléticoMG. Ou seja, o centro do intervalo estimado para o AtléticoMG está acima do centro do intervalo estimado para o Cruzeiro por conta dos maiores de 16. Nesse caso do Ibope, é quase certo que deu os 5% na cabeça.

A leitura que devemos fazer, após a análise das quatro pesquisas acima, é que duas delas nos permitem afirmar, com 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é maior, e as outras duas não nos permitem afirmar nada. Como conclusão, podemos continuar afirmando, com mais que 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é a maior de Minas.

MARCOS PINHEIRO, 45, cruzeirense, engenheiro, economista, nasceu no Rio de Janeiro, mora em Belo Horizonte.

Pague em dia

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Emanuel Carneiro não errou. A despesa do Cruzeiro com Júlio Baptista é de R$1 milhão por mês, 1/14 da folha de pagamento.

As boas notícias são: 8 mil sócios do futebol foram captados na primeira semana pós-anúncio do jogador.

E o patrimônio do clube, por decisão do próprio GPT, não foi dado aos bancos como garantia para redução de juros.

Do tamanho e da evolução da dívida, só saberemos quando for publicado o balanço.

Por ora, fica a recomendação: se vc é mesmo cruzeirense, pague sua mensalidade. É isto ou o caos.

Cinquenta mil!

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

GUSTAVO FONSECA

O Cruzeiro chegou à expressiva marca de 50.000 sócios do futebol, um feito a ser comemorado por todos que têm apreço pelo clube.

Os sócios do futebol contribuirão com uma receita bruta de mais R$38 milhões neste ano.

São aproximadamente 14.000 sócios das categorias Copa do Brasil, Brasileiro, Libertadores e Tríplice Coroa com uma mensalidade media de R$150, produzindo receita anual de R$25,2 milhões; e 36.000 sócios da categoria Cruzeiro Sempre com mensalidade de R$30, produzindo receita anual de R$12,9 milhões. (mais…)

Cruzeiro está a 0,3% do G5

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Curitiba, 18 de Dezembro de 2013.

Apresentamos os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Brasil, sobre torcidas de clubes de futebol.

O universo desta pesquisa abrange os cidadãos brasileiros. Para sua realização, foi utilizada uma amostra de 7.302 brasileiros, com estratificação por sexo, faixa etária, nível de escolaridade e posição geográfica.

O levantamento de dados foi feito por meio de entrevistas pessoais com maiores de 16 anos em 258 municípios brasileiros entre Julho a Dezembro, sendo checadas simultaneamente à realização 19,61% das entrevistas.

Esta amostra representativa do Brasil atinge grau de confiança de 95,0% para uma margem estimada de erro de 1,0% para os resultados gerais.

A Paraná Pesquisas encontra-se registrada no Conselho Regional de Estatística da 3a Região sob o no 6288/10 e é filiada à Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, desde 2003.

Para a seleção da amostra utilizou-se o método de amostragem estratificada proporcional, conforme o mapeamento do Brasil nas 5 regiões, Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, segundo o IBGE.

Essa divisão geográfica foi considerada como primeira estratificação. Dentro de cada região, agruparam-se os municípios em grupos homogêneos, procedendo-se à estratificação proporcional final da amostra.

Murilo Hidalgo Lopes de Oliveira

Diretor Comercial

Para qual time de futebol o Sr(a) MAIS torce ou simpatiza no Brasil? (ESPONTÂNEA)

  1. Flamengo 15,95%
  2. Corinthians 13,75%
  3. São Paulo 7,86%
  4. Palmeiras 5,57%
  5. Vasco 4,46%
  6. Cruzeiro 4,16%
  7. Grêmio 3,34%
  8. Santos 3,14%
  9. Internacional 2,31%
  10. AtléticoMG 2,24%
  11. Sport 1,89%
  12. Botafogo
 1,79%
  13. Bahia
 1,73%
  14. Fluminense
 1,59%
  15. Santa Cruz
 0,74%
  16. Vitória
 0,74%
  17. AtléticoPR
 0,58%
  18. Náutico 0,45%
  19. Coritiba
 0,41%
  20. Goiás
 0,36%
  21. Ceará 0,33%
  22. Paysandu
 0,31%
  23. Outros clubes citados 1,89%
  24. Não sabe 3,12%
  25. Nenhum 21,31%

FONTE: Felipe Patury, Época.

ENVIADO por Marcos Pinheiro, comentarista do PHD

Peñarol, de cabo a rabo

sábado, 12 de outubro de 2013

Pesquisa do Instituto Cifra publicada em 26set13, no jornal Búsqueda, de Montevidéu, com margem de erro de 3%, informa que:

  • 83% dos uruguaios gostam de futebol.
  • 17% detestam.
  • 42% acompanham jogos de pelo menos mais um time além do seu.
  • 46% torcem pelo Peñarol.
  • 35% pelo Nacional.
  • 6% pelos clubes pequenos.
  • O nível de interesse por futebol cresce entre as pessoas com maior educação formal.
  • O Peñarol tem mais torcida em todas as faixas etárias e de renda.
  • Entre os colorados, a vantagem aurinegra é de 56% a 33%, entre os frenteamplistas, é de 45% a 35% e entre os blancos, de 41% a 39%.
  • Entre homens, o Peñarol vence por 48% a 37%.
  • Entre as mulheres, a vantagem é de 45% a 33%.

A vantagem do Cruzeiro sobre o AtléticoMG, na RMBH, que tem quase o dobro da população do Uruguai, é um pouco maior do que a dos manyas sobre os bolsos.

Garcia e Barbosa têm mais chances

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

O AtléticoMG vendeu seu meiatacante Bernard ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por R$77 milhões.

Jogador, empresário e entourage ficarão com R$27 mi, a Cocota com R$26 mi e a Receita Federal com R$26 mi.

Isto se prevalecer a decisão judicial de um Tribunal Federal, que a Cocota contestará em segunda instância.

Ao fim e ao cabo, os cofres públicos serão tungados, como sempre.

É mais fácil o Sargento Garcia prender o Zorro ou o Joaquim Barbosa botar Zedir na cadeia, do que clube brasileiro pagar dívidas.

Os campeões mundiais de público

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Fernando Ferreira, sócio-diretor PLURI Consultoria apresenta o reelatório Os Campeões Mundiais de Público:

  1. O Ranking PLURI de público nos estádios considera somente campeonatos nacionais, comparando-se a última temporada completa em cada um dos países analisados;
  2. A Europa domina com folga o Ranking dos 100 clubes com maior média de público do mundo. São europeus os 24 primeiros colocados, e 77 dos 100 maiores; (mais…)