Arquivo da Categoria ‘Cruzeiro’

Mineirão das 1.001 vitórias celestiais faz 49 anos

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Neste 05set14, o MINEIRÃO das 1.001 vitórias do Cruzeiro completa 49 anos.

Ele é mais que um estádio, é o templo onde se celebram os cultos da religião cruzeirense.

Lavem a boca antes de falar mal dele. Desinfetem os dedos antes de teclar sobre ele.

E adentrem-no de joelhos. Respeitosamente.

E lembrem-se dos grandes momentos que viveram nele.

Um deles, te convido a contar, aqui no PHD, caro leitor.

História da carochinha

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Paulo Vinícius Coelho, da Iespien, informa, no site da emissora, que o Cruzeiro rejeitou R$47 milhões, do Monaco, por Ricardo Goulart.

Truco! E explico:

  • Banqueiro nenhum rasga dinheiro, menos ainda, os donos do jogador.
  • E clube nenhum, com dívida de R$200 milhões, pode se dar ao luxo de reduzir seu déficit operacional.

O que eu não duvido, de jeito nenhum, é de história da carochinha pra enganar torcedor trouxa.

Com 95% de certeza, a maioria é cruzeirense

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

MARCOS PINHEIRO

Muito barulho está sendo feito por conta da última pesquisa Ibope sobre torcidas publicada neste mês. Não havendo fraudes ou outras picaretagens do estilo, não podemos dizer que esta ou aquela pesquisa está errada porque as pesquisas informam probabilidades. O fato é que essa do Ibope não diz que a torcida do AtléticoMG é maior que a do Cruzeiro. Vamos as análises.

A margem de erro geralmente publicada nas pesquisas é a máxima esperada, que ocorre quando a estimativa é igual a 50%. A medida que a estimativa se afasta de 50%, a margem de erro diminui. Isto é lógico. Ilógico seria pensar que uma estimativa de 2% tem margem de erro de 3%, podendo variar de -1% a 5%!

Para calcularmos a margem de erro, utilizando uma aproximação pela distribuição binomial (podemos sempre fazer para populações grandes, maiores que 100 mil), considerando um intervalo de confiança de 95%, usamos a fórmula: ME = 1,96 x raiz quadrada [ p (1-p) / n ], onde p é o valor da estimativa e n é o tamanho da amostra.

Assim, no caso da pesquisa do Ibope (7.005 entrevistas), as MEs para as estimativas de Cruzeiro e AtléticoMG é de 0,4%, o que significa dizer que num nível de confiança de 95% não é possível dizer que a torcida do AtléticoMG é maior do que a do Cruzeiro nem o contrário. Configura-se, portanto, o empate técnico. Para o Ibope, há 95% do percentual real do tamanho da torcida do Cruzeiro estar no intervalo de 2,7 a 3,5% e, do AtléticoMG, de 3,1 a 3,9%. E há 5% de chance, para cada time, do percentual real estar fora dessas faixas.

Tudo é uma questão de probabilidades. Assim, 95% significa que, em média, em cada 20 pesquisas o valor real da estimativa estará dentro do intervalo de confiança e em 5%, não. É, portanto, oportuno analisarmos outras três pesquisas de torcidas publicadas recentemente, todas com menos de um ano.

Em dezembro do ano passado foram publicadas duas pesquisas: uma do Datafolha (2.588 entrevistas) e uma do Instituto Paraná Pesquisas (7.302 entrevistas).

Para o Datafolha, a estimativa do Cruzeiro foi 3,24% ou, considerando a ME com 95% de confiança, entre 2,56 e 3,92%. Já a estimativa do atlético-MG foi 1,88%, variando entre 1,36 e 2,40% com 95% de confiança. Ou seja, por essa pesquisa do Datafolha, como não há interseção entre os intervalos de Cruzeiro e AtléticoMG, podemos afirmar, com 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é maior que a do AtléticoMG.

Para o Paraná Pesquisa, sempre com os mesmos 95% de confiança, os resultados foram: Cruzeiro 4,16% [de 3,70 a 4,62%] e AtléticoMG 2,24% [de 1,90 a 2,58%]. Novamente, não há interseção entre os intervalos, portanto, também podemos afirmar, com 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é maior que a do AtléticoMG.

A última pesquisa do Datafolha, de junho de 2014 (4.337 entrevistados), apresenta um problema: é que o Datafolha publicou os resultados arrendondados, sem as casas decimais. Assim, deveremos acrescentar à ME o erro do arrendondamento. Os percentuais estimados de Cruzeiro e AtléticoMG foram de 3 e 2%, respectivamente. Como esses resultados foram arrendondados, o valor referente ao Cruzeiro poderia ser tanto 2,5 quanto 3,4. Assim, ao somarmos o erro de arredondamento (0,5% para baixo e 0,4% para cima) à ME, a estimativa do Cruzeiro é de 2% a 3,9% e a do AtléticoMG, de 1,1% a 2,8%. Verificamos que o erro de arrendondamento não nos permite concluir, por esta pesquisa do Datafolha de junho de 2014, se a torcida do Cruzeiro é maior que a do rival.

Mas um ponto de grande importância é que as duas pesquisas do Datafolha e a pesquisa do Paraná Pesquisas são compatíveis entre si. Há interseção entre os intervalos estimados para Cruzeiro e AtléticoMG. Mas a pesquisa do Ibope, em relação ao percentual estimado para o AtléticoMG, é incompatível com todas as outras três, mesmo considerando aquele intervalo alargado do Datafolha pelo erro de arrendondamento. Já em relação ao intervalo estimado para o Cruzeiro, a pesquisa do Ibope é incompatível apenas com a do Paraná Pesquisas.

Como já disse antes, não podemos dizer que a pesquisa do Ibope está errada por conta de sua incompatibilidade com as demais, pois a própria pesquisa afirma que há 5% de probabilidade de o valor real da estimativa está fora do intervalo de confiança.

Por outro lado, creio que nem preciso fazer muitos cálculos para percebermos que o intervalo estimado pelo Ibope para o tamanho da torcida do AtléticoMG está acima do valor real. Percebam que essa pesquisa do Ibope entrevistou pessoas a partir de 10 anos, enquanto as demais, a partir de 16 anos. Mas essa torcida do Ibope afirma que a torcida do Cruzeiro é a 4ª maior do País entre as pessoas de 10 a 15 anos, à frente do AtléticoMG. Ou seja, o centro do intervalo estimado para o AtléticoMG está acima do centro do intervalo estimado para o Cruzeiro por conta dos maiores de 16. Nesse caso do Ibope, é quase certo que deu os 5% na cabeça.

A leitura que devemos fazer, após a análise das quatro pesquisas acima, é que duas delas nos permitem afirmar, com 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é maior, e as outras duas não nos permitem afirmar nada. Como conclusão, podemos continuar afirmando, com mais que 95% de certeza, que a torcida do Cruzeiro é a maior de Minas.

MARCOS PINHEIRO, 45, cruzeirense, engenheiro, economista, nasceu no Rio de Janeiro, mora em Belo Horizonte.

Existe um grande clube…

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Dos 44 convocados, nesta terça-feira, para as duas seleções mais importantes do Brasil,

  • 4 jogam no Cruzeiro: Lucas Silva, Alisson, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart;
  • 7 jogaram no Crzueiro: Vinícius Araujo, Vinícius Freitas, Wallace, Jefferson, Maicon, Ramires e Gil;
  • 4 profissionalizaram-se em outros clubes: Everton Ribeiro (Corinthians), Ramires (Joinville), Gil (Americano) e Ricardo Goulart (SantoAndré), Vinícius Freitas (Lazio); e
  • 6 profissionalizaram-se no Cruzeiro: Lucas Silva, Alisson, Vinícius Araujo, Wallace, Jefferson e Maicon.

Dos convocados, 11, ou 25%, vestiram a azul estrelada. Isto é um indicador da força do clube.

Quem se animar pesquise os números dos outros grades clubes brasileiros.

Fala muito, fala muito…

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Carlos Miguel Aidar, presidente do Sumpaulo,  quer formar outro Clube dos 13, GPT, presidente do Cruzeiro, não topa.

Aidar comemora contratação de Bastos, que antes se ofereceu ao Cruzeiro, sem sucesso. GPT não passou recibo.

Aidar disse que o Cruzeiro não paga seus credores, GPT garante que o campeão brasileiro não deve nada a ninguém.

Não faz muito tempo, Aidar avisou que a Globo perdera o direito de transmitir treinos da F1, que a emissora carioca continua transmitindo normalmente. GPT nada comentou sobre o tema.

Será que pra ser presidente do Sumpaulo o sujeito tem de ser boquirroto?

Já não bastou o JuJu?

Se este é o perfil predileto dos tricolores, por que eles não entregam logo o clube ao maior de todos os boquirrotos, o maior cacarejante das Gerais?

Chamar GPT não rola, pois ele num tá a fim de prosear sobre assuntos que extrapolem os muros das tocas I, II e III.

Aconteceu em 2003: Criciúma 1×3 Cruzeiro

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Em 2003, foi assim:

  • CRICIÚMA 1×3 CRUZEIRO, domingo, 05set3, 18h. LOCAL: Heriberto Hulse (23 mil), Criciúma. MOTIVO: 34º rodada do Campeonato Brasileiro 2013. PÚBLICO: 14.367 pagantes, 15.849 presentes, R$16.843. JUIZ: Edílson Soares da Silva (RJ). AMARELOS: Leonardo (Cri), Felipe Melo (Cru). GOLS: Leonardo, 44, Marcinho, 60, Aristizábal, 81,  Marcinho, 90. CRICIÚMA: Fabiano Borges, Leo Mineiro, Leo Oliveira e Luciano; Paulo Baier, Cléber Gaúcho, Cléber (Paulo César), Dejair e Alonso; Leonardo (Guilherme) e Tico (Thiago Freitas). T: Gílson Kleina. CRUZEIRO: Gomes, Maurinho, Cris, Edu Dracena e Leandro; Augusto Recife (Marcinho), Maldonado e Wendel (Felipe Melo); Zinho; Márcio Nobre (Mota) e Aristizábal. T: Wanderley Luxemburgo.

O destaque da partida foi Wanderley Luxemburgo. Por quê?

Cruzeiro 3×0 Valeriodoce: Jogotreino com gol de Neilton

terça-feira, 5 de agosto de 2014

CRUZEIRO contra Valeriodoce, de Itabira, da 3ª Divisão do Campeonato Mineiro, jogotreino nesta terça-feira, na Toca II.

GOLS, segundo Angel Drumond, do site do Cruzeiro: O primeiro foi marcado por Willian depois de um cruzamento de Alisson. O segundo foi de Dagoberto, batendo pênalti sofrido por Tinga. O terceiro foi uma pintura. Neilton recebeu na entrada da área, deu uma caneta no zagueiro e bateu fora do alcance do arqueiro, golaço.

(mais…)

Do Cruzeiro pra Galáxia, há 20 anos

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O GLOBOESPORTE se lembrou:

Um dos maiores nomes do futebol mundial de todos os tempos, RONALDO Luís Nazário de Lima há exatos 20 anos deixava o Cruzeiro pra se tornar o FENÔMENO em grandes clubes da Europa e na Seleção Brasileira. Em 01ago64, o carioca, aos 17 anos, já campeão mundial pelo Brasil na Copa dos Estados Unidos, se transferiu para o PSV, da Holanda, por US$6 milhões (R$5,5 milhões na época). A quantia dava a noção da importância do jovem camisa 9, na maior negociação do futebol brasileiro até então. Antes de se aventurar nos campos holandeses, Ronaldo disputou 46 jogos pelo Cruzeiro entre 93 e 94, marcando 44 gols. Nos dois anos de PSV Eindhoven, ele manteve a média de quase um gol por partida (57 jogos e 54 gols. Algo similar a sua passagem pelo Barcelona. No clube catalão, ainda conhecido como “Ronaldinho”, o atacante participou de 49 jogos e marcou incríveis 47 gols em 1996 e 97. Entre 1997 e 2002, a média caiu, porém, surgiu o “Fenômeno”: Ronaldo jogou 99 partidas pela Internazionale, da Itália, e marcou 59 vezes. Na primeira temporada, foram 14 gols em 19 jogos oficiais.Após o título da Copa de 2002, o camisa 9 transferiu-se para o Real Madrid, por €39 milhões.  Nos 5 anos na fase “galática” do time merengue, ao lado de Zidane, Beckham, Figo e Roberto Carlos, disputou 177 jogos e fez 104 gols. No final da carreira, Ronaldo jogou mais um ano no Milan, marcando 9 gols em 20 partidas. Em 2009, voltou ao Brasil e, em duas temporadas no Corinthians, foi campeão paulista e da Copa do Brasil, com 35 gols em 69 jogos.

E o PHD conta um dos shows do craque no Mineirão:

CRUZEIRO 3×1 ATLÉTICO-MG, domingo, o6mar94, 17h. TEMPO bom. LOCAL: Mineirão (110 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: Campeonato Mineiro de 1994. PÚBLICO: 68.801 pagantes, Cr$311.846.500. JUIZ: Márcio Rezende de Freitas (MG). VERMELHOS: Eder Aleixo, Gaúcho (A), Cleison (C). GOLS: Ronaldo, 46 e 51, Paulo Roberto, 61, Ronaldo, 84. CRUZEIRO: Dida; Paulo Roberto Costa, Célio Lúcio, Luisinho e Nonato; Douglas, Toninho Cerezo e Luis Fernando Flores (Rogério Lage); Cleison, Ronaldo Fenômeno e Roberto Gaúcho. T: Ênio Andrade. ATLÉTICO-MG: Humberto; Luis Carlos Winck, Adilson Batista, Kanapkis e Paulo Roberto; Eder Lopes, Valdir Benedito e Darci (Eder Aleixo); Neto; Renato Gaúcho e Reinaldo Rosa (Gaúcho). T: Valdir Espinosa.

Por onde andam aqueles campeões?

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Será que o caro leitor ainda se lembra da conquista da Copa São Pauo de Juniores pelo Cruzeiro, em 2007?

Se não se lembra, eis a ficha técnica do jogo:

  • CRUZEIRO 1(6)x1(5)  SAO PAULO, quinta-feira, 25jan07, 10h. TEMPO bom, temperatura 30º. LOCAL: Pacaembu (38 mil), São Paulo. MOTIVO: Final da 38º Copa São Paulo de Futebol Júnior. PÚBLICO: 17.825 pagantes, 18.500 presentes, R$111.655,00. ARBITRAGEM: Marcelo Alfieri (SP). AMARELOS: Aldo, Maicon, Jonathas (C). VERMELHO: Maicon, 88. GOLS: Anderson, 32, Thiago, 48. PÊNALTIS: Guilherme, Jonathas, Simões, Luiz Fernando, Wellington e Paulinho Dias converteram a favor do Cruzeiro; Serginho, Leo, Aislan, Jorge Miguel e Eric, converteram e Bruno César perdeu para o São Paulo. Final: Cruzeiro 6×5 São Paulo. CRUZEIRO: Rafael Monteiro, Aldo (Marcos), Maicon, Wellington e Anderson; Paulinho Dias, Carlos Magno, Carlos (Luís Fernando) e Vinícius (Simões); Guilherme e Jonathas. T: Enderson Moreira. SÃO PAULO: Jorge Miguel, Jackson, Aislan, Breno e Alex Cazumba; Luan, Serginho, Flávio (Leo Gonçalves) e Allan (Bruno Formigoni); Eric e Thiago (Bruno César). T: Marcos Vizolli.

Por onde andam os jogadores dos dois times?

Jonathan, o centroavante do Cruzeiro, acaba de se transferir do Latina, da 2ª divisão da Itália, para o Elche, recém promovido à 1ª divisão da Espanha.

Rafael Monteiro está no Cruzeiro, Guilherme na Cocota, Paulinho Dias no AtléticoPR. Breno, do SPFC, foi pro Bayern, mas pirou o cabeção e está encostado.

E os demais?

Mané por Dedé

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Marcelo bateu o martelo: Sai Mané entra Dedé.

Se o prezado e expert em técnica e tática, leitor, não aprovar a nova zaga, pode escolher outra:

  • Manoel + Leo, Manoel + Bruno, Manoel + Dedé, Leo + Bruno, Dedé +Bruno, Dedé + Leo.

Resta saber, se o treinador acatará a sugestão.