Arquivo da Categoria ‘Comentários’

Torcida, o melhor do Cruzeiro no Maraca

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Atuações dos celestes e seus adversários no FLAMENGO 3×0 CRUZEIRO, no Maracanã, Rio de Janeiro, pela 28ª rodada do Brasileiro 2014, às 16h de 12out14:

TORCIDA CELESTE compareceu em grande número e incentivou o time até que a casa caiu de vez.

FÁBIO não teve culpa nos gols.

MAYKE foi o único defensor a não jogar contra o patrimônio durante os 95 minutos que durou o jogo.

DEDÉ fez um gol contra, traído por um desvio da bola e por uma certa afoiteza característica de seu estilo. Afora isto, jogou bem, com raça e precisão.

MANOEL vacilou feio no segundo gol flamengo, quando tinha a posse da bola e podia ter resolvido a parada, mas não o fez e acabou surpreendido pelo argentino Canteros. De resto, andou calculando mal algums investidas contra os atacantes rubronegro, inclusive no lance do terceiro gol.

EGÍDIO foi o melhor atacante, servindo uma bola limpa pra Moreno empatar e aparecendo sempre pra jogadas ofensivas. Na defesa, perdeu a bola que resultou no lance do primeiro gol flamengo.

NÍLTON fez um bom 1º tempo, com marcação forte e apoio decisivo. Saiu pro time receber um reforço ofensivo, que acabou não dando certo.

HENRIQUE, o melhor do time, arrumando a defesa em várias ocasiões complicadas. No apoio, foi discreto.

LUCAS SILVA não repetiu suas melhores atuações, sendo ineficiente no apoio e pouco atento na marcação.

MARQUINHOS correu bastante, foi combativo, mas não conseguiu selecionar e concluir jogadas decisivas, como compete ao um meiatacante.

ALISSON não se escondeu do jogo, mas também não acertou as tentativas de criar jogadas de ataque.

WILLIAN marcou, mas não incomodou a defesa flamenga, o que deveria ser sua mais importante atribuição.

MARCELO MORENO lutou muito, correu, deslocou-se, mas na única oportunidade real, desperdiçou um serviço preciso de Egídio. Se tivesse feito o gol, o jogo teria sido completamente diferente.

MARLONE entrou quando a vaca já estava atolada até o pescoço e não teve como salvá-la, apesar da boa vontade expressa em correria e no chute que obrigou o goleiro flamengo a fazer uma defesaça, no finalzim do jogo.

BORGES jogou pouco tempo, mas não foi omisso. Tentou o gol com obstinação e até sofreu um pênalti, que o juiz não viu.

MARCELO OLIVEIRA armou o time com mais cautela do que o habitual, mas não conseguiu apurar dividendos de sua estratégia, pois os ventos da sorte não sopraram a seu favor. No desenrolar da partida, tentou voltar ao esquema antigo e também não deu certo.

CRUZEIRO foi punido pelo excesso de lambanças de sua defesa. No ataque, criou pouco também.

FLAMENGO começou respeitoso, trancado na defesa, mas como o Cruzeiro estava doando gols a torto e a direito, não se fez de rogado: com apenas 40% de posse de bola, goleou e se distanciou da zona.

COMBO DE ARBITRAGEM teve atuação quase perfeita.

She’s under my thumb

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Também estiveram sob controle do Stone mais famoso: Marcelinho Carioca, Eduardo Suplicy, GPT, Sula Miranda, Ademir da Guia, Olívio Dutra, Garotinho, Pimenta da Veiga, Washington Coração Valente, Marques, Gustavo Perrella, Jorge Kajuru, Reinaldo, Mulher Pera, Requião, Popó, Gleisi Hoffmann, Netinho de Paula, Alexandre Padilha, Lindinho, Roberto Dinamite…

Hoje, tem RapoCota no STJD

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Se punir o Cruzeiro pelas arruaças dos emplumados no RapoCota, o STJD estará dando a senha a todas as torcidas: “avacalhem o rival que o tribunal garante”.

Até agora, GPT e o Cruzeiro agiram mal ao não botarem a boca no trombone. Não esclareceram a opinião pública. Apostaram no palavrório de advogados no tribunal, quando o assunto vai muito além disto.

Resta acreditar no impossível: que os julgadores não se balizem pelos estúpidos jornalistas politicamente corretos que, sem a presença do Cruzeiro no debate, nadaram de braçada culpando indistintamente as duas torcidas pelos crimes de uma só.

Cordeiros em pele de lobos

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Um promotor de defesa do consumidor do Ministério Público proibiu a Máfia Azul, a Pavilhão Independente e uma torcida das frangas de comparecerem a estádios e até de circularem num raio de 5 quilômetros deles por seis meses.

O motivo foram arruaças que elas promoveram nos últimos três RapoCotas. Julgamento de rito sumário! E eu, na minha ignorância, desconhecendo o direito de um promotor de sair distribuindo penas a seu bel prazer. Imaginava que o princípio do contraditório continuasse em vigor neztepaiz.

Sobre punições individualizadas a baderneiros, nada. Os torcedores brasileiros, para o MP, polícia e Justiça, são desprovidos de livre arbítrio. Não cometem crimes por decisão própria, mas porque vestem camisas de torcidas organizadas.

São cordeiros em pele de lobos.

Deixa falar

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Dedé acha que não cometeu erros no clássico. Aqui no PHD, contudo, ele foi eleito o pior do RapoCota.

Pãos ou pães é questão de opiniães…

Se Dedé acha que não errou, tem mais é que dizer isto. Não tem de ter a tal da humildade de reconhecer erros que os outros apontam.

Danem-se os acusadores.

Nenhum humilde se deu bem na vida. Beque, menos ainda. Humildade fragiliza. Apequena. No futebol, destrói seu portador.

É isto, mas também é aquilo

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

No Mineirão, escuto: “Fábio, seleção!”, “Everton, seleção!”, “Goulart, seleção!”.

No PHD, leio: “Dunga, fiadaputa!”, quando o técnico convoca quem a torcida pede pra convocar.

De duas uma: Ou é doido quem escreve em blog, ou é doido, quem incentiva jogadores no estádio.

Se é que não são todos doidos da cabeça, como se autodenominam os componentes das duas turmas.

É proibido trabalhar!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O América perdeu 21 pontos, por escalar um jogador que havia jogado por outros dois clubes na temporada e virou lanterna da Série B.

Eu desconhecia essa regra idiota. Só no Brasil, mesmo, pra se proibir um cidadão de trabalhar, criando-se obstáculos ridículos.

Depois, a gente se assusta quando fica sabendo que somente 53 entre 100 brasileiros, com idade pra trabalhar, pegam no batente.

Quando empregador é punido por empregar, dá nisso. Nisso e em bolsas que mascaram os problemas reais de um país de toupeiras.

Um time conformado, cedo demais, com a derrota

domingo, 14 de setembro de 2014

Atuações dos celestes e seus adversários no SÃO PAULO 2×0 CRUZEIRO, no Morumbi, São Paulo, pela 21ª rodada do Brasileiro 2014, às 16 de 14set14:

TORCIDA CELESTE lotou seu minifúndio no Morumbi e, algumas vezes, calou a torcida local. Desempenho nota dez. (Síndico)

FÁBIO fez três defesaças, não tinha como evitar os gols e jogou coma habitual calma e competência uma partida  terrivelmente difícil. (Síndico)

MAYKE travou bom duelo com Kaká, que jogou por seu lado. De cara, chapelou o ex melhor do mundo. Na sequência, ganhou e perdeu jogadas, mas não teve um só minuto de covardia. Foi um dos melhores da tarde. (Síndico)

DEDÉ esteve mais desembestado do que o habitual. Lvou cartão amarelo logo de cara, chegou alucinado em Ganso, no pênalti e se mandou pro ataque inopinadamente, permitindo um contragolpe de pato que por pouco não resulta em gol. Precisa trocar pastilhas e discos de freio e instalar o sistema ABS pra não atropelar adversários dentro da área celeste. (Síndico)

MANOEL substituiu Dedé, que estava pendurado com um amarelo e um pênalti e não se saiu mal. Nem bem. (Síndico)

LEO SIMÕES foi o mais equilibrado do time. Segurou a bequeira, numa tarde em que os dois colegas estavam abilolados. Não perdeu a cabeça, nem a vontade de jogar em momento algum. (Síndico)

CEARÁ jogou improvisado, contra um ataque leve e rápido, e não comprometeu. (Carpedim) /// Partiu pra cima do garoto Auro e construiu boas jogadas pela lateral. (GloboEsporte)

LUCAS SILVA joga fácil e faz o futebol parecer mais simples. Estava bem na marcação, dominando o meiocampo, antes de ser substituído. (Gil Campos)

NÍLTON lutou até o limite de suas forças. É o que está conseguindo num momento de escassez de inspiração. (Síndico)

EVERTON RIBEIRO foi um dos mais lúcidos na 1ª etapa, dando trabalho aos tricolores, abusando de seus dribles e tradicionais arrancadas, mas pecou no último passe e nas finalizações. No 2º tempo, recuou pra compor a marcação, após a entrada de Dagol e JB. (Miguel Tolentino)

RICARDO GOULART fez bom 1º tempo, com bastante movimentação, bons passes pelos flancos e teve a chance de assumir a artilharia isolada do campeonato numa excelente finalização cruzada, que graças ao Ceni não foi morrer no fundo das redes. No 2º tempo, sentiu o ritmo e acabou engolido pela marcação adversária. (Miguel Tolentino)

ALISSON procurou o jogo o tempo inteiro. Errou algumas e acertou várias, sempre em direção ao gol adversário. (Hendrix)

MARCELO MORENO nada fez no ataque, mas ajudou a marcar. Fosse o contrário, o time teria ficado mais bem servido. (Síndico)

JÚLIO BAPTISTA entrou quando a vaca já tinha ido pro brejo, ainda assim tentou algumas jogadas ofensivas, mas lento e diante de uma equipe bem postada defensivamente, não obteve sucesso. (Miguel Tolentino)

DAGOBERTO entrou pra incendiar o jogo, mas não teve êxito. Por falta de inspiração e também porque o time já estava precocemente conformado com a derrota. (Síndico)

MARCELO OLIVEIRA ousou começando com Alisson e apostou todas as fichas quando sacou Lucas Silva e Ricardo Goulart, que estavam muito bem no jogo. Não venceu, mas aprendeu. Inclusive que é necessário administrar Dedé. (Gustavo Rocha) /// Senti imensa satisfação com sua postura ousada, a despeito da substituição de Lucas Silva. (Razger)

CRUZEIRO jogou muito bem na etapa inicial, sem abdicar de seu estilo agressivo e de toques rápidos. Levou o gol inesperado e manteve a chama acesa até o intervalo. Na etapa final, voltou sem pegada e facilitou a vida dos tricolores. (Síndico)

SÃO PAULO foi montado pra enfrentar uma equipe melhor, por isto, Muricy ficou aborrecido com a ligação direta no 1º tempo. Ele sabia que estava dando milho a bode, mas foi salvo por um pênalti. O 2º gol premiou ainda mais as escolhas de seu treinador em detrimento da ousadia do treinador do Cruzeiro. (Razger)

COMBO DE ARBITRAGEM cometeu alguns erros, nenhum decisivo. E Vueden acertou ao não expulsar Dedé. Não houve violência e nem chance clara de gol. (Síndico)

Superpunição

sábado, 13 de setembro de 2014

Uma guria entre 20 mil torcedores, chamou goleiro Aranha de macaco, no Grêmio 0×2 Santos, pela Copa do Brasil.

A grotesca imprensa esportiva brasileira fez um tremendo escarcéu.

Ficou parecendo que metade do povo brasileiro é racista. E a outra metade tem de ir à guerra pra acabar com isto.

As punições foram aplicadas em doses cavalares:

  • Grêmio excluído da Copa do Brasil, torcedora demitida de seu emprego e escondida em casa de parentes no interior gaúcho, sua casa apedrejada e, em seguida, quase incendiada.

É isto mesmo que pretendia o senhor Mauro Cezar Pereira, comentarista daquela partida?

É isto mesmo que a ESPN pretendia ao deixar o rosto da guria exposto horas e horas na tela?

É isto mesmo que vc queria, caro leitor? Está tudo certo?

Somos um país racista, como apregoam os partidos e organizações terroristas do Foro de São Paulo e repetem à exaustão nossos marxistas de galinheiro na telinha?

Vc só vai cair da real quando seu time também for excluído de um torneio?

Quero muito aprender com vc. Fale!

De chuá! Brasil 85×65 Argentina

domingo, 7 de setembro de 2014

Brasil mandou a Argentina pro saco, em Madrid.

85×65!

Argentinóides, desculpem o mau jeito.

Quarta-feia, 10, Brasil x Sérvia, pelas quartas de final do Mundial de Basquete.