Arquivo da Categoria ‘Comentários’

Alegüagüagüá!!!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Caro leitor, que euforia, hem? Vc está certo. Como torcedor padrão, V. Sa. deve mesmo comemorar, antes, durante e depois das duas conquistas que estão chegando.

Bote pra quebrar! Zoe os rivais, compre as faixas, beba todas, estufe o peito, durma de olhos abertos, dê uma a mais na patroa alegando seu estado de espírito propício pra coisa, nestes dias.

Agora, se algo sair fora do esperado, comporte-se estoicamente. Absorva, sem ressalvas, as armadilhas do futebol. Não vá mandar a conta pra jogadores, cartolas, treinadores, árbitros , jornalistas e adversários.

Eles não combinaram, nem tampouco te prometeram nada. Seu acordo de resultados é unilateral. Pronto, agora, volte aos folguedos ingenuamente infantis que tanto te divertem. E, como diziam seus pares de outrora: Aleguaguaguá!

Dá um desconto, GPT!

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Gilvan erra ao obrar R$1 mil para as frangas assistirem à decisão da Copa do Brasil, n Mineirão.

Futebol é business. Faturar é fundamental. E o melhor bolso pra ser explorado, neste momento, é o das frangas, que estão eufóricas e dispostas a gastar os tubos pra acompanhar a Cocota.

Vinte mil ingressos a R$600 pra torcedoraa emplumda seria o ideal. Numa só noite, elas pagariam um ano do JB no Cruzeiro.

De resto, é bom lembrar que futebol se decide na cancha. Torcedor é paisagem. Jogador experiente nem repara na presença dos fanáticos.

Sem lotação, sem castigo

terça-feira, 18 de novembro de 2014

O Globo Esporte começou, hoje, uma série de reportagens sobre impunidade no futebol.

Chamou atenção o caso dos 12 mafiosos e 12 gueiloucos detidos, com porretes, tacos de beisebol e artefatos perfurocortantes, quando se dirigiam ao ponto de encontro de uma batalha campal adrede combinada.

Apenas três bandidos não aceitaram fazer acordo com o Ministério Público pra receberem castigos alterativos. Preferiram processos criminais.

Dos 21 que aceitaram a moleza de ficarem seis meses sem ir a estádios, apresentando-se duas horas antes e saindo duas depois no Batalhão de Eventos da Polícia Militar, só dois compareceram. Algumas vezes, não todas, bem entendido.

Chamado a se explicar, o MP culpou a deficiência de transporte coletivo, que não funciona depois de 23h em alguns bairros, pela inviabilização do castigo.

Faz-me-rir. Quer dizer que a falta de transporte coletivo não tira os vagabundos dos jogos, mas os impede de ir à delegacia?

Então a solução continuará a de sempre: proibir que o cidadão vista as camisas das organizadas ao invés de puni-lo por violência, depredação e não raro assaltos aos torcedores comuns.

Dá pra levar a sério?

Renata e André

sábado, 8 de novembro de 2014

Os cruzeirenses Renata Pâmela e André Oliveira (filho do Evandrão), casam-se, hoje às 22h, na Igreja Batista da Lagoinha, Rua Manuel Macedo, no São Cristóvão (em frente ao IAPI).

Felicidades e meia dúzia de filhos,  são os votos do PHD aos jovens nubentes.

Torcida, o melhor do Cruzeiro no Maraca

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Atuações dos celestes e seus adversários no FLAMENGO 3×0 CRUZEIRO, no Maracanã, Rio de Janeiro, pela 28ª rodada do Brasileiro 2014, às 16h de 12out14:

TORCIDA CELESTE compareceu em grande número e incentivou o time até que a casa caiu de vez.

FÁBIO não teve culpa nos gols.

MAYKE foi o único defensor a não jogar contra o patrimônio durante os 95 minutos que durou o jogo.

DEDÉ fez um gol contra, traído por um desvio da bola e por uma certa afoiteza característica de seu estilo. Afora isto, jogou bem, com raça e precisão.

MANOEL vacilou feio no segundo gol flamengo, quando tinha a posse da bola e podia ter resolvido a parada, mas não o fez e acabou surpreendido pelo argentino Canteros. De resto, andou calculando mal algums investidas contra os atacantes rubronegro, inclusive no lance do terceiro gol.

EGÍDIO foi o melhor atacante, servindo uma bola limpa pra Moreno empatar e aparecendo sempre pra jogadas ofensivas. Na defesa, perdeu a bola que resultou no lance do primeiro gol flamengo.

NÍLTON fez um bom 1º tempo, com marcação forte e apoio decisivo. Saiu pro time receber um reforço ofensivo, que acabou não dando certo.

HENRIQUE, o melhor do time, arrumando a defesa em várias ocasiões complicadas. No apoio, foi discreto.

LUCAS SILVA não repetiu suas melhores atuações, sendo ineficiente no apoio e pouco atento na marcação.

MARQUINHOS correu bastante, foi combativo, mas não conseguiu selecionar e concluir jogadas decisivas, como compete ao um meiatacante.

ALISSON não se escondeu do jogo, mas também não acertou as tentativas de criar jogadas de ataque.

WILLIAN marcou, mas não incomodou a defesa flamenga, o que deveria ser sua mais importante atribuição.

MARCELO MORENO lutou muito, correu, deslocou-se, mas na única oportunidade real, desperdiçou um serviço preciso de Egídio. Se tivesse feito o gol, o jogo teria sido completamente diferente.

MARLONE entrou quando a vaca já estava atolada até o pescoço e não teve como salvá-la, apesar da boa vontade expressa em correria e no chute que obrigou o goleiro flamengo a fazer uma defesaça, no finalzim do jogo.

BORGES jogou pouco tempo, mas não foi omisso. Tentou o gol com obstinação e até sofreu um pênalti, que o juiz não viu.

MARCELO OLIVEIRA armou o time com mais cautela do que o habitual, mas não conseguiu apurar dividendos de sua estratégia, pois os ventos da sorte não sopraram a seu favor. No desenrolar da partida, tentou voltar ao esquema antigo e também não deu certo.

CRUZEIRO foi punido pelo excesso de lambanças de sua defesa. No ataque, criou pouco também.

FLAMENGO começou respeitoso, trancado na defesa, mas como o Cruzeiro estava doando gols a torto e a direito, não se fez de rogado: com apenas 40% de posse de bola, goleou e se distanciou da zona.

COMBO DE ARBITRAGEM teve atuação quase perfeita.

She’s under my thumb

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Também estiveram sob controle do Stone mais famoso: Marcelinho Carioca, Eduardo Suplicy, GPT, Sula Miranda, Ademir da Guia, Olívio Dutra, Garotinho, Pimenta da Veiga, Washington Coração Valente, Marques, Gustavo Perrella, Jorge Kajuru, Reinaldo, Mulher Pera, Requião, Popó, Gleisi Hoffmann, Netinho de Paula, Alexandre Padilha, Lindinho, Roberto Dinamite…

Hoje, tem RapoCota no STJD

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Se punir o Cruzeiro pelas arruaças dos emplumados no RapoCota, o STJD estará dando a senha a todas as torcidas: “avacalhem o rival que o tribunal garante”.

Até agora, GPT e o Cruzeiro agiram mal ao não botarem a boca no trombone. Não esclareceram a opinião pública. Apostaram no palavrório de advogados no tribunal, quando o assunto vai muito além disto.

Resta acreditar no impossível: que os julgadores não se balizem pelos estúpidos jornalistas politicamente corretos que, sem a presença do Cruzeiro no debate, nadaram de braçada culpando indistintamente as duas torcidas pelos crimes de uma só.

Cordeiros em pele de lobos

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Um promotor de defesa do consumidor do Ministério Público proibiu a Máfia Azul, a Pavilhão Independente e uma torcida das frangas de comparecerem a estádios e até de circularem num raio de 5 quilômetros deles por seis meses.

O motivo foram arruaças que elas promoveram nos últimos três RapoCotas. Julgamento de rito sumário! E eu, na minha ignorância, desconhecendo o direito de um promotor de sair distribuindo penas a seu bel prazer. Imaginava que o princípio do contraditório continuasse em vigor neztepaiz.

Sobre punições individualizadas a baderneiros, nada. Os torcedores brasileiros, para o MP, polícia e Justiça, são desprovidos de livre arbítrio. Não cometem crimes por decisão própria, mas porque vestem camisas de torcidas organizadas.

São cordeiros em pele de lobos.

Deixa falar

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Dedé acha que não cometeu erros no clássico. Aqui no PHD, contudo, ele foi eleito o pior do RapoCota.

Pãos ou pães é questão de opiniães…

Se Dedé acha que não errou, tem mais é que dizer isto. Não tem de ter a tal da humildade de reconhecer erros que os outros apontam.

Danem-se os acusadores.

Nenhum humilde se deu bem na vida. Beque, menos ainda. Humildade fragiliza. Apequena. No futebol, destrói seu portador.

É isto, mas também é aquilo

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

No Mineirão, escuto: “Fábio, seleção!”, “Everton, seleção!”, “Goulart, seleção!”.

No PHD, leio: “Dunga, fiadaputa!”, quando o técnico convoca quem a torcida pede pra convocar.

De duas uma: Ou é doido quem escreve em blog, ou é doido, quem incentiva jogadores no estádio.

Se é que não são todos doidos da cabeça, como se autodenominam os componentes das duas turmas.