Arquivo da Categoria ‘Comentários’

Tinga no estaleiro

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

TINGA quebrou a perna, após uma dividida com o goleiro Rafael Monteiro, no treino de hoje à tarde, na Toca II.

O volante está internado no Hospital Lifecentar, na Serra, Zona Sul de Belo Horizonte.

Marcelo Oliveira, técnico do Cruzeiro, comentou: “Tínhamos até então uma tarde agradável, alegria por uma vitória contra o Grêmio. O treinamento corria normalmente, sem nenhuma jogada mais dura, como é no Cruzeiro. Mas numa dividida simples, com o goleiro visando a bola, e o Tinga acabou aparentemente tendo uma fratura. O Tinga é muito querido por todos e uma de nossas lideranças”.

Força, Tinga!

Detalhamento para afoitos

sábado, 16 de agosto de 2014

O Cruzeiro iniciou 2014 com quatro torneios a disputar: Mineiro, Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil.

Um já está no papo, o Mineiro. Outro, foi pro espaço, a Libertadores. Agora, começa a Copa do Brasil.

Se tudo der certo, o penta vem em 8 rodadas. Mas pode custar alguns tropeços no Brasileiro, pela pletora de jogos.

Enquanto isto, rola o Brasileiro, o mais complicado de todos. Tão complicado que se desdobra em três etapas.

A primeira é a classificação para o ano seguinte. Pra esta, faltam 5 vitórias. Que não devem demorar.

A segunda, uma vaga no G4 e a classificação pra Libertadores, requer mais 13 vitórias em 24 jogos. Dificuldade imensa.

Pra campeonar, 15 vitórias. Ou mais. Por ora, não dá nem pra sonhar, embora, os afoitos já estejam em contagem regressiva.

E são esses afoitos que mandarão a fatura aos derrotados, caso seus sonhos não sejam alcançados por terceiros.

Preciosismo

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

No vernáculo, o substantivo masculino PRECIOSISMO significa requinte, sofisticação, perfeccionismo excessivo ao falar, escrever ou fazer algo.

No futebol também pode ser tudo isto, mais do que isto, menos do que isto ou qualquer coisa parecida com isto, que dê na moleira do termocéfalo.

Vejamos:

O atacante aparece na cara do gol e dá um lençol no goleiro. Se a bola entra é categoria, se não entra, é preciosismo.

O meia tabela com um colega de time. Se der um toque de calcanhar e o correspondente receber a bola, é categoria, se o beque cortar, preciosismo.

Se, apertado por um adversário, o beque aplica-lhe um drible e sai jogando, é categoria, se perde a bola é por causa do preciosismo.

Preciosismo na literatura é uma chatice, no serviço, atravancamento, no futebol, depende de como o torcedor, esse velho volúvel, avalia o resultado de uma  jogada.

Bolsa Estacionamento, próxima exigência do torcedor bebê

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Vc acha difícil estacionar no Mineirão? Se a resposta for positiva é porque vc é preguiçoso, ignorante ou mal intencionado e quer sacanear o estádio.

São 3 mil vagas no estádio. Melhores do que a de qualquer outro estacionamento da cidade, incluindo shoppings e hipermercados.

Mas não é só. A 150 metros, existem mais mil vagas no Mineirinho. Ao longo das guias da avenida atrás do ginásio, mais 500 vagas.

Estacionamentos particulares, do Ouro Preto ao São José e São Luís, existem às dezenas. Ruas, então, nem se fala.

Quando chego em cima do laço costumo guardar o carro a mil metros do estádio, num estacionamento onde cabem no mínimo 100 veículos.

Nenhum estádio neztepaiz oferece tantas facilidades aos folgados que não gostam de viajar de ônibus.

Mas há quem reclame e peça a liberação do entrono do estádio. Como os locutores Alberto Rodrigues e Osvaldo Reis. Dois que jamais precisaram estacionar seus carros fora do Mineirão.

O próximo passo será exigir a criação de um bolsa estacionamento, afinal, brasileiro é um bebê sempre dependente de um estado babá.

Por pouco, o modelo seria outro

sábado, 19 de julho de 2014

Proponho uma reflexão:

  • Com a conquista da Copa pela Alemanha, chove comentários e reportagens na mídia brasileira sobre a necessidade que temos de aprender com os vencedores. Ocorre que, na final, a Argentina perdeu três chances claras de gol, antes de tomar o que definiu a partida. Se converte uma delas, campeonava. Neste caso, teríamos de copiar o que faz a AFA com seus torneios e seleções?

Sou todo olhos pra vossos comentários, atentos e preclaros leitores.

Plantão da Toca

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Notícias do Cruzeiro, nesta segunda, 16jun14, quando se inicia a intertemporada para as 29 rodadas restantes do Brasileiro 2014:

  1. O atacante LUAN está fora. Rescindiu contrato com o Cruzeiro.
  2. O beque WALLACE está quase vendido ao Grupo Getistufe, que já tem grande parte de seus direitos econômicos
  3. MIAMI DADE será o adversário do Cruzeiro em 22jun14, às 16h, no Bowditch Field Stadium, em Framingham, e em 24jun14, às 21h, no Veterans Memorial Stadium, em Lawrence, ambas cidades de Massachusetts.
  4. AMÉRICA (México) será o adversário em 27jun14, no Cotton Bowl Stadium, em Dallas, Texas.
  5. TIGRES (México) será o adversário em 03jul13, às 22h, no BBVA Compass Stadium, em Houston, Texas.
  6. CHIVAS (México) será o adversário em 06jul14, às 22h, no Sun Bowl Stadium, em El Paso, Texas.

O futebol que a gente ama…

sábado, 7 de junho de 2014

LUCIANA BOIS

…também chora.

Futebol que nos deixa fanáticos, que nos deixa loucos e nos faz chorar.

Sei que sou um pouco emotiva, mas nesses dias estou um pouco mais.

Daquele grande jogo do Real Madrid x Atlético de Madrid, do gol aos acréscimos, do choro na arquibancada pelo “quase” do pequeno, do jogo do Cruzeiro contra o Flamengo com a magnífica atuação do Cruzeiro que eu não queria que terminasse… Essa tal de essência do futebol que faz a gente pensar: futebol é do c******.

Mas o futebol ainda é humano.

O Fernandão foi um ídolo do Inter e hoje se foi. Não foi só do Inter, foi de todos que um dia também sentiram ao menos uma pontinha de inveja quando ele, como capitão colorado, carregou as taças da Libertadores e do Mundial com uma postura que qualquer torcedor quer ver defendendo sua camisa.

A gente não santifica depois de morto. Eu realmente o admirava, assim como admiro o D’Alessandro do próprio Inter e tantos outros grandes jogadores de outros times.

Futebol nos deixa abobados… fingimos que somos eternos rivais e adversários, mas na verdade a inveja aguça esse sentimento e gostamos dos outros principalmente pela postura (mesmo que nunca confessemos o contrário). E defendemos os nossos jogadores com unhas e dentes, porque só nós mesmos podemos falar mal dos nossos próprios jogadores, né? Até do Leandro Guerreiro ficamos gratos e gritamos seu nome quando foi nosso adversário.

E sentimos suas faltas.

O futebol nos deixa apegados a caras que vivem outra realidade, andam de carrões, não chegam a trabalhar 8 horas por dia batendo ponto, não possuem – grande parte – uma escolaridade que aos 20 anos nós temos. Mas nos apegamos a eles. É que muitos deles também ficam putos com derrotas como a gente, comemoram loucamente os gols, choram em eliminações, dão um sorriso largo e cantam qualquer coisa na hora que erguem a taça.

Desde lá da base, acompanhando os moleques crescendo a gente se sente como da família. Foi com o Élber essa semana também. Como não sentir saudade ao ler aquela mensagem que ele escreveu pra torcida e relembrar do gol que ele tirou a camisa, estendeu-a no chão e a beijou? A gente queria sim que ele fosse um grande jogador aqui no Cruzeiro. Mas a saída era melhor pra ele.

Nós somos loucos e bobos. Esquecemos que eles são humanos. Que erram, que acertam, que querem o melhor para eles, que se despedem e, infelizmente, que morrem. Alex Alves, o da capoeira, que tantos meninos imitavam na escola… era humano também. Fernandão, aquele louco no meio do campo cantando no microfone com a torcida do Inter, também era humano. O Roberto Batata do Cruzeiro, que vibrou do céu uma Libertadores pra ele dedicada…

Assim como uma mãe entra na igreja com o seu filho para levá-lo à futura esposa e percebe que ele cresceu, assim nós, torcedores, percebemos – quase sempre de forma trágica – que os jogadores também são de carne e osso.

O futebol ainda é feito de ídolos, de craques, de pernas de pau e, ainda assim, humanos.

Ahh… o futebol.

LUCIANA BOIS, 23, Técnica em Edificações em horário útil, estudante de engenharia civil no happy hour, apaixonada por esportes e pelo Cruzeiro em tempo integral. ;) Twitter: @LucianaBois

Cada um com sua lista

sábado, 24 de maio de 2014

Cada torcedor do Cruzeiro tem sua própria lista de dispensas. E com arrazoado bem fornido pra defendê-la. Coisa de catedrático do ludopédio.

E tome diversão! Quem já pediu a cabeça de Fábio, Maicon, Jonathan, Walter, Wagner, Jefferson e outros tantos que se deram bem mundo afora tem mesmo bastante competência pra sair por ai dispensando jogadores.

Outro aspecto intrigante nessa fúria é a memória ruim dessa gente. Nenhum dos críticos foi capaz de alertar às diretorias celestes sobre os erros que elas cometiam ao contratar Ernesto Farias, Júlio Baptista, Martinuccio, Dedé, Montillo, Borges, Ricardo Goulart, Egídio e outros mais pra quem, passado algum tempo, os sabichões começaram a torcer o nariz.

São sócios apenas nas boas. Nas furadas, não aparece um pra dizer que errou. O verbo errar jamais é conjugado na primeira pessoa por esses cornetas desafinados.

Xavier não vê ninguém melhor que o Cruzeiro

quarta-feira, 21 de maio de 2014

LUIZ XAVIER, comentarista do PHD, já está comemorando. Ou quase.

Não vejo ninguém jogando melhor que o Cruzeiro, neste Brasileiro. Talvez o Fluminense, que só não venceu o Grêmio porque o goleiro Marcelo Grohe estava inspirado. O Internacional vai dar trabalho, mas o Cruzeiro é melhor. Tem elenco mais numeroso e com mais qualidade. Posso estar sendo otimista ao extremo, mas acho muito difícil o tetra não ser nosso! Só teríamos problemas maiores se o Everton Ribeiro, principal jogador do time, for vendido ou se machucar.

Parecer do Síndico: não são considerações absurdas, mas prematuras. Ainda não se jogou o suficiente pra se avaliar os times.

Ou alguém se sente à vontade pra assinar embaixo, como co-autor do comentário?

Juiz absolvido, bandeirinha condenada

terça-feira, 13 de maio de 2014

ALÍCIO PENA JÚNIOR, membro da comissão de arbitragem da CBF informa sobre as punições dos árbitros que decidiram o RapoCota de domingo passado.

  • Um instrutor designado e o presidente da comissão de arbitragem do estado de Santa Catarina farão trabalho de análise da situação da FERNANDA COLOMBO ULIANA pra entender o que motivou o erro. Ela fará treinamentos ministrados por eles. E não existe tempo pré-estabelecido pra ela ficar fora dos sorteios da CBF. Quando ao HÉBER ROBERTO LOPES houve entendimento da ANAF e da comissão de arbitragem de que não há necessidade que ele seja treinado.

Então quem errou menos recebe punição maior do que quem errou mais? That’s Brazil! Só quero ver na Copa.